As impressionantes lagoas de sal do Peru

Peru-S11-LR-5986e322491dd__880

Ao longo dos últimos dois anos e meio, o casal Chanel Cartell e Stevo Dirnberger começou uma jornada pelo mundo documentando o que via através do blog How Far From Home. Até agora eles já conheceram 41 países e se surpreenderam com a beleza de muitos lugares maravilhosos com os quais se depararam.

Entre os lugares de tirar o fôlego que encontraram, está o Maras Salt Ponds, localizado no antigo Vale Sagrado Inca, em Cusco, no Peru. Eles flagraram a paisagem única vista de um ponto onde é possível enxergar as mais de 3 mil lagoas em toda a sua glória.

A água salgada emerge de uma corrente natural subterrânea e seu fluxo é direcionado para sistema de canais construídos para que ela flua gradualmente para as lagoas.

As lagoas têm em média quatro metros quadrados de área, e nenhuma ultrapassa trinta centímetros de profundidade. Todas são moldadas em polígonos com o fluxo de água cuidadosamente controlados pelos agricultores.

A água evapora dos lagos aquecido pelo sol e se torna supersaturada de sal que se acumula no fundo. Então é fechado o fluxo de água e após alguns dias ao sol o sal é raspado e recolhido.

As minas de sal de Maras funcionam em uma espécie de cooperativa e qualquer cidadão de Maras pode ter seu tanque para produzir sal.

O efeito da luz solar refletida pelo labirinto das lagoas, no terreno inclinado da região forma uma paisagem impressionante.

Cusco-S10-LR-5986e2fe96938__880

kurt_grande

Peru-S11-LR-5986e322491dd__880

Peru-S12-LR-5986e34e4540b__880

Peru-S14-LR-5986e337ec750__880

PIC-2-5986de46bc2a9__880

PIC-4-5986de582aa8c__880

Todas as fotos © How Far From Home /fonte:via

Anúncios

As 21 melhores fotos viajantes anunciadas pela National Geographic são estonteantes

nat2

Todos os anos, a National Geographic promove um grande concurso de fotografias aberto a participantes de todo o mundo, o National Geographic Travel Photographer of The Year. E os resultados da premiação deste ano acabam de ser divulgados!

A premiação contou com três categorias: Natureza, Pessoas e Cidades. Além disso, uma fotografia é escolhida para o prêmio geral e o fotógrafo responsável por ela recebe uma viagem de 10 dias para duas pessoas para Galápagos. Além dele, os três primeiros lugares em cada categoria também são contemplados com uma premiação: US$ 2.500 para o primeiro lugar; US$ 750 para o segundo; e US$ 500 para o terceiro lugar.

Neste ano, a premiação recebeu mais de 15 mil participações. Abaixo, nós trazemos as fotos escolhidas pela equipe da revista como as 21 melhores desta edição – confira também os ganhadores de 2016 e de 2015.

1º lugar geral – Categoria Natureza

nat1

Rancho de Aguirre – Colima – México. Foto © Sergio Tapiro Velasco

2º lugar – Categoria Natureza

nat2

Oinukake – Miyagi – Japão. Foto © Hiromi Kano

3º lugar – Categoria Natureza

nat3

Camaronal – Puntarenas – Costa Rica. Foto © Tarun Sinha

Escolha do Público – Categoria Natureza

nat8

Capturado em um floresta no Equador. Foto © Hymakar Valluri

Menções Honrosas – Categoria Natureza

nat4

Floresta na região de Tamba – Japão. Foto © Y. Takafuji

nat5

Torres del Paine – Magallanes  – Chile. Foto © Clane Gessel

nat6

Monte Bromo – Indonésia. Foto © Reynold Dewantara

nat7

Área marinha em Cuba. Foto © Shane Gross

1º lugar – Categoria Pessoas

nat9

Konya – Turquia. Foto © F. Dilek Uyar

2º lugar – Categoria Pessoas

nat10

Amsterdã – Holanda. Foto © Julius Y. 

3º lugar – Categoria Pessoas

nat11

Tavarua – Fiji. Foto © Rodney Bursiel

Escolha do Público – Categoria Pessoas

nat15

Bangladesh. Foto © Md Tanveer Hassan Rohan

Menções Honrosas – Categoria Pessoas

nat12

Nova Déli – Índia. Foto © Jobit George

nat13

Trem em Bangladesh. Foto © Moin Ahmed

nat14

Templo Besakih – Bali. Foto © Michael Dean Morgan

1º lugar – Categoria Cidades

nat16

Biblioteca em Stuttgart – Alemanha. Foto © Norbert Fritz

2º lugar – Categoria Cidades

nat17

Whampoa Garden – Hong Kong. Foto © Andy Yeung

3º lugar – Categoria Cidades

nat18

Ilhas Lofoten – Noruega. Foto © Misha De-Stroyev

Escolha do Público – Categoria Cidades

nat21

Bangkok – Tailândia. Foto © Kajan Madrasmail

Menções honrosas – Categoria Cidades

nat19

Kitagata – Japão. Foto © Tetsuya Hashimoto

nat20

Construções próximas ao deserto de Al Ain – Emirados Árabes Unidos. Foto © Andrzej Bochenski /fonte:via

Fotos secretas mostram a preparação para os ataques nucleares de Hiroshima e Nagasaki

Em agosto de 1945, os Estados Unidos lançaram duas bombas atômicas nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki.Conhecidas como “Little Boy” e “Fat Man”, elas foram carregadas em bombardeiros na base aérea North Field, ao sul do Japão.

Até recentemente, poucas fotografias dessa preparação para os ataques nucleares eram conhecidas. Agora, as fotos antes altamente secretas se tornaram acessíveis, lançando luz sobre o primeiro e único bombardeio nuclear de guerra do mundo.Embora aparentemente mundanas, as imagens iluminam um dos momentos mais importantes da história moderna.

Soldados verificam os invólucros na bomba atômica “Fat Man”. Foram criadas várias bombas de teste na ilha de Tinian. Todas eram quase idênticas a uma bomba operacional, carecendo apenas do equipamento necessário para detonar.
À esquerda, o geofísico e participante do Projeto Manhattan, Francis Birch, marca a bomba que se tornaria “Little Boy”, enquanto Norman Ramsey, que mais tarde ganharia o Prêmio Nobel de Física, observa.
Um técnico aplica selante às fendas de “Fat Man”, uma preparação final para se certificar de que o ambiente dentro da bomba ficaria estável o suficiente para criar impacto total uma vez detonada.
Soldados e trabalhadores assinam seus nomes e outras mensagens no nariz de “Fat Man”.
Close nas assinaturas.
“Fat Man” é carregada em um reboque de transporte.
A bomba é escoltada para a base aérea North Field próxima à ilha de Tinian, envolta por uma lona.
No aeródromo, “Fat Man” é alinhada sobre um poço construído especificamente para ela, do qual é então carregada no avião que eventualmente a derrubou sobre Nagasaki.
Ambos os poços para “Little Boy” e “Fat Man”, cada um com aproximadamente 3 metros por 4 metros, ainda existem na ilha e agora servem como memorial.
A bomba e o seu reboque são abaixados no poço usando um elevador hidráulico.
Os trabalhadores verificam “Little Boy” uma última vez, mantendo a lona por razões de segurança.
Uma vez que “Little Boy” está pronta, o Enola Gay, um bombardeiro Boeing B-29 Superfortress, é posicionado sobre a trincheira.
A lona é removida e a bomba é preparada para o carregamento.
Usando o elevador hidráulico, “Little Boy” é cuidadosamente colocada no Enola Gay.
Uma vez dentro do avião, a bomba e todas as conexões e equipamentos são novamente verificados.
As bombas detonaram sobre Hiroshima e Nagasaki. Em 15 de agosto, o Japão anunciou sua intenção de se render, assinando documentos formais em 2 de setembro, encerrando a Segunda Guerra Mundial.

Este é um vídeo da preparação e do carregamento das bombas: [BusinessInsider]

fonte:[via] [BusinessInsider]

A incrível biblioteca móvel feita para viajantes é uma espécie de Kindle à moda antiga

Bibliotecários da Universidade de Leeds, no Reino Unido, encontraram o que provavelmente foi a primeira biblioteca portátil já inventada. As “Jacobean Travelling Library” remontam do século 17, portanto muito antes dos livros serem armazenados em leitores modernos, como o Kindle.

Construída como um enorme livro, a biblioteca itinerante é feita de madeira, e possui 50 livros menores dentro, todos encadernados igualmente. Entre os exemplares, há livros de teologia, filosofia, história e poesia, e obras de autores como Ovídio, Sêneca, Cícero e Santo Agostinho.

Até então, essa era a única maneira de se carregar uma grande quantidade de livros nas viagens, e pouquíssimas famílias tiveram o privilégio de ter uma Jacobean, já que não era um item barato. Até hoje, há conhecimento de apenas quatro exemplares. Abaixo, você confere um deles, construído em 1617 para o advogado e deputado inglês William Hakewill.

Jacobean-traveling-library-1

Jacobean-traveling-library-2

Jacobean-traveling-library-3

Jacobean-traveling-library-4

Todas as fotos © Universidade de Leeds /fonte:via