Entenda por que este resort na Indonésia é o ‘melhor hotel do mundo

guests-can-also-travel-by-safari-jeep-or-boat-to-neighboring-bays-with-less-advanced-surfing-spots

Nihi Sumba Island (anteriormente Nihiwatu) foi eleito o melhor hotel do mundo pela Travel + Leisure pelo segundo ano consecutivo. O resort da ilha de luxo na Indonésia foi criado por Chris Burch, famoso por fundar várias marcas de renome internacionalmente conhecidas como C. Wonder e Tory Burch – e investir em várias outras.

Juntamente com James McBride, o hoteleiro comprou o albergue na ilha indonésia de Sumba em 2012. A dupla gastou US $ 30 milhões em reformas e o reabriu como um resort cinco estrelas em 2015.

Em uma entrevista ao Business Jet Traveler em 2015, Burch disse: “Eu o comprei para meus filhos como uma peça de algo que espero que possamos preservar e devolver à comunidade. Quando você está em um lugar onde a paisagem é tão linda, você pode fazer coisas que você não pode fazer em outros lugares: construir um spa sob uma cachoeira, ir a lugares onde nenhum outro tem, ter um mordomo em todos os cômodos”.

Veja imagens do local:

burch-and-his-partner-mcbride-are-also-looking-to-expand-and-build-resorts-in-costa-rica-and-nicaragua-they-want-to-create-resorts-that-are-more-accessible-to-the-millennial-traveler

burch-and-mcbride-redeveloped-the-land-and-opened-it-as-nihiwatu-in-2015-though-they-have-since-changed-its-name-to-nihi

guests-can-also-travel-by-safari-jeep-or-boat-to-neighboring-bays-with-less-advanced-surfing-spots

it-also-has-a-large-indoor-outdoor-entertaining-area

it-has-27-private-villas-with-plunge-pools

it-has-become-the-largest-local-employer-on-the-island-a-portion-of-the-hotels-profits-are-also-given-to-the-sumba-foundation-an-organization-that-funds-projects-to-help-the-local-community

its-plunge-pool-has-views-over-nihi-beach-and-across-the-indian-ocean

nihi-is-on-the-west-coast-of-sumba-a-remote-indonesian-island

prices-for-a-one-bedroom-villa-start-at-750-a-night-during-the-low-season-burchs-five-bedroom-private-estate-costs-around-14000-a-night-throughout-the-year

raja-mendaka-chris-burchs-private-home-is-also-available-to-guests-it-has-a-main-house-and-four-additional-villas

the-beach-has-always-been-considered-a-surfers-paradise

the-name-means-mortar-stone-and-the-beach-was-originally-named-after-a-rock-formation-on-the-tide

there-are-riding-stables-with-a-team-of-guides-to-take-guests-out-on-sunrise-and-sunset-horseback-riding-trips-along-the-beach-or-up-into-the-hills-and-past-rice-fields-and-the-rain-forest

there-is-a-beach-spa-available-but-treatments-can-also-be-done-in-your-own-room

the-wellness-center-offers-daily-group-yoga-sessions-instructors-can-also-hold-private-classes-that-are-tailored-to-an-individuals-needs

traditional-sumbanese-antiques-local-wood-and-ikat-prints-are-featured-throughout

you-can-book-excursions-to-nearby-waterfalls-through-the-resort-one-trip-includes-a-90-minute-trek-to-a-blue-lagoon-where-guests-can-jump-off-the-rocks-and-swim-the-trip-costs-175-per-person

fonte:via

Fotógrafa capta momentos belos e fugazes dos melhores dançarinos do mundo em ação

A arte da dança é hipnótica. Ao mesmo tempo em que a fluidez dos corpos maravilha, faz desejar que cada momento pudesse ser registrado. É mais ou menos a isso que a fotógrafa Lois Greenfield se dedica: capturar os instantes mais belos da ação dos melhores dançarinos do mundo.

Algumas das melhores imagens produzidas pela norte-americana nos últimos vinte anos foram reunidas no recente livro Moving Still (“Movimento Imóvel”, em tradução livre, que não tem versão em português, mas pode ser encontrado online).

Lois começou a carreira como fotojornalista, mas acabou se apaixonando pelo movimento enquanto trabalhava cobrindo a cena de dança experimental de Nova York para o semanário alternativo The Village Voice a partir de meados dos anos 70.

Passei os 35 últimos da minha carreira fotográfica investigando o movimento e seu potencial expressivo. Minha inspiração sempre foi a capacidade da fotografia de parar o tempo e revelar o que o olho nu não pode ver”, escreve a artista em seu site. “O que me move é criar imagens que surpreendem e confundem o observador, ao mesmo tempo em que ele sabe ou suspeita que realmente aconteceram”, completa.

Apesar de a exuberância das fotografias poder indicar que as imagens foram cuidadosamente planejadas, Lois garante que não. Ela conta que nunca começa com um conceito ou composição em mente, preferindo deixar que as coisas fluam de forma natural. Tudo o que ela leva aos dançarinos são elementos visuais como tecidos, e então deixa que eles interajam com eles como quiserem.

 

 

Fotos © Lois Greenfield/fonte:[via]

Diamantina, Veadeiros e Guimarães: corra para as Chapadas

As chapadas, presentes na região central do país, são áreas montanhosas, com dimensões consideráveis e superfícies planas. Possuem altitudes acima dos 600 metros, e foram formadas há anos, por conta de diversos processos da natureza.

Nas chapadas, é comum encontrar vales, cachoeiras e rios, além de paisagens deslumbrantes. Aqui no Brasil há inúmeras delas, sendo que as mais conhecidas são: Diamantina, Veadeiros, Guimarães e Jalapão.

Se você ainda não teve a oportunidade de conhecer nenhuma, pense seriamente em incluir um passeio até uma delas nas suas próximas férias, com certeza você não irá se arrepender. Para te ajudar, reunimos abaixo algumas informações necessárias:

Chapada Diamantina

Localizada na Bahia em uma área de aproximadamente 152 mil hectares, é um dos maiores parques de preservação do Brasil fora da região Amazônica. Foi fundada em 1985 por meio do Decreto Nacional, com o objetivo de preservar as belezas do lugar. Uma de suas principais atrações é a Cachoeira da Fumaça, uma das maiores quedas de água do país, com seus 360 metros de altura. Para chegar, uma das opções é pegar um voo até Salvador, e de lá partir rumo a Lençóis (via aérea ou terrestre).

chapada_diamantina_bahia-1

Chapada dos Guimarães

A Chapada dos Guimarães fica no município de mesmo nome, criado em dezembro de 1953. O Parque Nacional foi criado posteriormente, através de um decreto federal que visava preservar a riqueza natural do local. A Cachoeira do Véu da Noiva, com 86 metros de queda, é um dos principais atrativos. Há também a Casa de Pedra, uma pequena caverna de arenito bastante procurada pelos visitantes. Para chegar, pegue um voo até Cuiabá, e de lá alugue um carro rumo o local (aproximadamente 70km de viagem).

Chapada_Guimaraes_Véu_da_Noiva (1)

Chapada dos Veadeiros

Distante 230 km da capital federal, a Chapada dos Veadeiros é conhecida não somente pelas inúmeras belezas naturais, mas também pelo misticismo que a cerca. Muitos acreditam que o local é frequentemente visitado por extraterrestres e naves espaciais. OS destaques ficam com a quantidade de nascentes de águas cristalinas, e com os Saltos do Rio Preto. Para chegar, vá até Brasília e de lá parta de carro ou ônibus até a chapada.

chapada_dos_veadeiros

Via © Skyscanner/fonte:via

Esse médico japonês atendeu até os 105 anos e compartilhou 12 de seus princípios para uma vida longa

Para um médico especialista em longevidade, nenhuma apresentação de suas capacidades profissionais pode ser melhor do que sua própria vida – e esse é somente um dos atributos que classificam o médico japonês Shigeaki Hinohara como o mestre e a grande inspiração que foi.

Falecido recentemente aos 105 anos e ainda trabalhando, tendo vivido sua longa vida com saúde mental e física impecáveis, Dr. Shigeaki deixou não só sua história de intensa dedicação a medicina e a cuidados mais humanos com seus pacientes, como algumas dicas concretas para vivermos uma vida boa e longeva como parte de seu legado.

Nascido em 1911, Hinohara se tornou um dos médicos a dedicar mais tempo à saúde e à felicidade de seus pacientes no mundo. E o termo “felicidade” aqui não é usado por acaso: o médico foi um pioneiro no trato mais pessoal e individual dos pacientes e, mesmo depois de sua morte, segue como inspiração para melhorarmos a qualidade de nossas vidas. Não há dúvidas: de vida, Dr. Shigeaki entendia – e por isso, vale lembrar aqui suas 12 mais importantes dicas, retiradas de uma entrevista que o médico deu aos 97 anos.

1. Coma direito

Todo mundo que vive uma longa vida, independentemente de nacionalidade, raça ou gênero, dividem uma coisa em comum: ninguém é acima do peso”.

2. Não pegue atalhos

Para permanecer saudável, sempre suba de escadas e carregue suas próprias coisas. Eu subo de dois em dois degraus, para exercitar meus músculos

3. Redescubra sua energia juvenil

Energia vem de sentir-se bem, não de comer bem ou dormir muito. Todos nos lembramos quando éramos crianças e estávamos nos divertindo, como esquecíamos de comer ou dormir. Eu acredito que podemos manter essa atitude enquanto adultos. É melhor não cansar o corpo com regras demais como hora de comer e hora de dormir”.

4. Mantenha-se ocupado

Sempre se planeje com antecedência. Minha agenda já está completa pelos próximos cinco anos, com palestras e meu trabalho usual, no hospital.”

5. Mantenha-se trabalhando

Não há necessidade de se aposentar jamais, mas se for preciso, deve ser bem mais tarde do que aos 65 anos. Cinquenta anos atrás, haviam somente 125 japoneses com mais de 100 anos. Hoje, são mais de 36 mil”.

6. Siga contribuindo com a sociedade

Depois de uma certa idade, devemos nos esforçar para contribuir com a sociedade. Desde os 65 anos que trabalho como voluntário. Eu ainda trabalho 18 horas, 7 dias por semana e amo cada minuto”.

7. Espalhe seu conhecimento

Divida o que você sabe. Eu dou 150 palestras por ano, algumas para 100 crianças do ensino médio, outras para 4.500 empresários. Eu normalmente falo por uma hora, uma hora e meia, de pé, para permanecer forte”.

8. Entenda o valor de diferentes disciplinas

A ciência sozinha não consegue curar ou ajudar as pessoas. A ciência nos trata a todos como uma coisa só, mas as doenças são individuais. Cada pessoa é única, e as doenças estão conectadas com seus corações. Para entender as doenças e ajudar as pessoas, precisamos de artes livres e visuais, não somente de medicina”.

9. Siga seus instintos

Ao contrário do que se imagine, os médicos não conseguem curar tudo e todos. Então pra quê causar uma dor desnecessária com, por exemplo, uma cirurgia, em certos casos? Eu acho que a música e a terapia animal podem ajudar pessoas mais do que os médicos imaginam

10. Resista ao materialismo

Não enlouqueça pelo acúmulo de coisas materiais. Lembre-se: você não sabe quando será sua vez, e nós não levaremos nada daqui”.

11. Tenha modelos de vida e inspirações

Encontre alguém que te inspire para procurar ir ainda mais longe. Meu pai veio para os EUA estudar em 1900, foi um pioneiro e um dos meus heróis. Mais tarde encontrei outros guias de vida, e quando me sinto paralisado, me pergunto como eles lidariam com o problema”.

12. Não subestime o poder da diversão

A dor é algo misterioso, e divertir-se é a melhor maneira de esquecê-la. Se uma criança está com dor de dentes e você começa a brincar com ela, ela imediatamente esquece a dor. Hospitais precisam oferecer as necessidades básicas dos pacientes: nós todos queremos nos divertir. No St. Luke’s [hospital que dirigiu e trabalhou até o fim da vida] nós temos música, terapia animal e aulas de arte”.

 

© fotos: divulgação/fonte:[via]