Ela usa a fotografia para escancarar a infelicidade de animais presos em cativeiro

Basta visitar zoológicos em qualquer lugar do mundo para perceber o óbvio: a tristeza dos animais aprisionados é idêntica a de qualquer pessoa aprisionada, impedida de estar com seus familiares, amigos, de expressar sua própria natureza. A destruição da saúde física e emocional dos animais confinados é o duro sentimento registrado pela fotógrafa Jo-Anne McArthur em seu livro Captive (Cativo, ou prisioneiro).

 

Apartados de qualquer alegria ou propósito, os animais aprisionados na maioria dos zoológicos e aquários – salvos os raros esforços de instituições para oferecer santuários ou locais apropriados para a vida saudável dos animais – acabam em frangalhos, impedidos de viverem aquilo para o qual nasceram: correr, voar, nadar, explorar.

Olhar as fotos de McArthur é se confrontar com a crueldade do uso de animais para o entretenimento – mas compreender a gravidade de tal prática ancestral é o primeiro passo para a conscientização, urgente, na direção de uma relação menos cruel entre nós, igualmente animais, e nossos irmãos em geral, pelo fim dessas verdadeiras prisões.

 fonte:via

1 comentário

  1. Pingback: Ela usa a fotografia para escancarar a infelicidade de animais presos em cativeiro – Eu Digo Sempre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s