A história de Margaret Hamilton, a incrível mulher que foi pioneira na tecnologia e ajudou a NASA a aterrissar na Lua

Quais nomes vêm à sua cabeça quando pensa na missão Apollo 11, que levou o homem à Lua pela primeira vez na história? Provavelmente você lembre muito bem de nomes de astronautas como Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins, mas será que consegue nomear alguma mulher que tenha exercido um papel fundamental na conquista espacial?

Estamos falando sobre a matemática Margaret Hamilton. Com apenas 24 anos, ela começou a trabalhar para o MIT em 1960 como programadora em uma época em que pouco se sabia sobre o assunto. De acordo com o My Modern Met, Margaret entrou para o emprego para ajudar o marido enquanto ele estudava, mas o que era para ser um trabalho temporário se tornou uma grande missão de vida. Através de uma parceria entre o MIT e a Nasa, a jovem se tornou responsável por parte da programação que levaria o homem à Lua.

Com o tempo, Margaret foi subindo de posição e se tornou a diretora de desenvolvimento de software da Apollo. Seu principal foco era identificar e corrigir erros do sistema com uma incrível dedicação. O trabalho teve um papel importante no sucesso da missão, como conta um vídeo publicado pelo canal do Youtube SciShow (confira abaixo e não esqueça de selecionar a opção de legendas em português).

Hoje Margaret continua trabalhando na área da tecnologia. Ela é a CEO de sua própria empresa, a Hamilton Technologies. Fundada em 1986, a companhia oferece produtos e serviços para modernizar o planejamento e engenharia de sistemas e softwares para outras empresas.

Fotos: MIT Museum – http://bit.ly/2wytJYg/fonte:via

Esse garoto de 20 anos é mais um a conseguir uma carreira de modelo através da ‘mugshot’ que tirou quando foi preso

Em 2014, um mugshot – foto de fichamento em delegacia – se espalhou pela internet após ser divulgada no Facebook do departamento de polícia de Stockton, Califórnia. Na imagem aparecia Jeremy Meeks, um detento de 33 anos indiscutivelmente gato que, desde que foi solto em 2016, se tornou modelo.

Agora, outro criminoso bonitão vem chamando atenção por conta da foto de sua ficha na polícia. Mekhi Alante, de apenas 20 anos, já foi preso algumas vezes e a última, em abril de 2016, aconteceu por dirigir um veículo roubado.

Esta foto, tirada em sua mais recente detenção, acabou indo parar na internet e chegou até Demanti O’Bryant, gerente da St. Claire Modeling, com sede em Atlanta, no Texas. Como Mekhi conseguiu evitar a prisão, ele assinou um contrato com a agência e começou uma nova vida como modelo.

A heterocromia do modelo, anomalia genética que faz com que ele tenha um olho de cada cor, é seu grande diferencial. Dá uma olhada na foto que mudou sua vida:

A partir daí, tudo mudou e hoje sua conta Instagram já possui mais de 25 mil seguidores.

 

Imagens: Reprodução/fonte:via

Se você tem medo de palhaços, não veja esse ensaio que um garoto fez com seu irmão caçula

Há algo especialmente sinistro sobre os palhaços, que faz com que muitas pessoas vejam na felicidade perpétua, no sorriso sempre estampado, na alegria exagerada e infantil um verdadeiro pesadelo. Nenhuma obra encarnou tão bem a Coulrofobia, ou fobia de palhaços, como o livro It (A Coisa, em português), de Stephen King – levado aos cinemas duas vezes, uma primeira em 1990 e outra agora, em 2017.

O It de 1990 e o de 2017  

Foi inspirado no pavor provocado pelo palhaço Pennywise que o americano Eagan Tilghman, de 17 anos, realizou um ensaio fotográfico estrelado por seu irmãozinho Louie, de 3 anos. Se você tem fobia de palhaço, essa matéria não é pra você.

A inspiração para o ensaio foi a versão 2017 de Pennywise, mas o espírito é universal: o lado sombrio que os palhaços parecem sempre sugerir, sublinhado ao máximo do pavor. Como crianças podem também ser assustadoras, o medo aqui é dobrado. A produção e a maquiagem foi toda realizada pelo próprio Eagan – e o resultado é tão incrível que até o diretor do remake cinematográfico, Andy Muschietti, curtiu no Instagram.

Eagan e seu irmãozinho Louie

 

© fotos: Eagan Tilghman/fonte:via

Esse cara visitou uma pista de pouso da 2ª Guerra Mundial e é arrepiante e bonito ao mesmo tempo

Durante uma expedição pelo sudeste da Groenlândia, um usuário do Imgur que se identifica como CanadaSpeedoMan conta que se deparou com uma pista de pouso usada pelo exército americano durante a Segunda Guerra Mundial. Abandonada durante o pós-guerra e localizada em uma região remota, a área ganhou um ar assustadoramente bonito com o passar do tempo.

Na semana passada eu e minha esposa tivemos a oportunidade de participar de uma expedição rural ao Sudeste da Groenlândia. Após dias e muitos quilômetros caminhados pelos fiordes, nós chegamos ao local em que fica o ‘Bluie East Two‘. Ele estava EXTREMAMENTE remoto e foi bastante estranho achar isso tão longe da civilização“, conta ele em uma publicação no site.

O depoimento foi acompanhado de diversas fotografias clicadas durante a visita, bem como algumas imagens históricas do local, que serviu como um ponto de abastecimento para aviões voando entre os Estados Unidos e a Europa durante a guerra. Ainda de acordo com o relato, a área só podia ser acessada de barco durante diversos meses do ano – em épocas mais frias, o acesso era quase impossível devido ao mar estar congelado.

O usuário conta que diversos barris de combustível foram deixados por lá, muitos ainda cheios. Após a área ser abandonada, praticamente toda a estrutura permaneceu como estava. Alguns habitantes locais levaram partes pequenas que poderiam ser carregadas em seus barcos de pesca e reutilizadas, embora o restante do material ainda lembre a época em que a guerra ocorreu.

Ele até mesmo compara imagens da época com algumas fotos mais recentes. Repare no topo da montanha que está ao fundo na foto abaixo para perceber que se trata do mesmo local.

De acordo com a National Geographic, a base teria sido estabelecida pela força aérea americana em 1941 e foi abandonada pouco após o fim da guerra, em 1947. Devido à enorme quantidade de lixo e potenciais resíduos tóxicos deixados na região, uma petição criada online pedia sua limpeza e conquistou mais de 36 mil assinaturas, menos do que as 100 mil necessárias para que o projeto chegasse à Casa Branca.

Assim mesmo, a iniciativa foi debatida pelo parlamento dinamarquês, que se comprometeu a repassar o equivalente a US$ 23 milhões durante o curso de cinco anos para a limpeza desta e de outras bases militares americanas na região – estima-se que mais de 30 estações similares tenham sido abandonadas.

Todas as fotos: Reprodução Imgur/CanadaSpeedoMan – https://imgur.com/gallery/ymK0I/fonte:via