Série fotográfica retrata mulher de burca em situações cotidianas e levanta debate

O uso da burca, aquela vestimenta islâmica que cobre todo o corpo e que vem com uma rede na área dos olhos para permitir a visão, é bastante polêmico, até mesmo entre os muçulmanos.

Enquanto em alguns países seu uso é obrigatório, em outros ela chegou a ser proibida, por “questões de segurança”. Na Austrália, por exemplo, há um grupo político que luta para sua extinção. No início do mês, inclusive, uma senadora foi a uma sessão no Parlamento usando a vestimenta, como forma de protesto, ato que foi bastante criticado.

E para nos fazer pensar sobre esse tipo de imposição e criar um debate sobre a islamofobia, o fotógrafo australiano Fabian Muir produziu a série Urban Burqa, onde fotografou uma muçulmana vestida com uma burca azul em cenários e situações cotidianas. “Protestar contra julgamentos gerais baseados em crenças, origem ou aparência é a minha intenção”, disse o australiano, que já havia feito anteriormente outra série onde a burca foi o elemento principal, em 2014.

A burca é uma veste feminina que cobre todo o corpo, até o rosto e os olhos, porém nos olhos há uma rede para se poder enxergar. É usada pelas mulheres do Afeganistão e do Paquistão, em áreas próximas à fronteira com o Afeganistão.

Muitos muçulmanos acreditam que o livro sagrado islâmico, o Alcorão, e outras fontes de estudos, como Hádice e Suna, exigem a homens e mulheres que se vistam e comportem modestamente em público. No entanto, esta exigência tem sido interpretada de diversas maneiras pelos estudiosos islâmicos e comunidades muçulmanas. A burca não é especificamente mencionada no Corão e nem no Hádice. A comunidade religiosa Talibã, que comandou o Afeganistão nos anos 2000, impôs seu uso no país.

A burca foi proibida, na França, em 17 de julho de 2010, pela Lei nº 524, que entrou em vigor seis meses após sua promulgação. Está também proibida em lugares públicos na Bélgica (desde Julho de 2011), na Bulgária (desde Setembro de 2016), em Itália (desde 1975), e na Holanda (desde Maio de 2015).

A burca já foi descrita como uma “prisão de pano”, um símbolo da opressão das mulheres entre os muçulmanos, mas há também relatos de mulheres que defendem o seu direito de optar por utilizá-la.

Confira as imagens abaixo:

Todas as fotos:Fabian Muir /fonte:via

Anúncios

Os imóveis que podem ser alugados por R$ 1.000/mês em diversas cidades do Brasil e do mundo

Se tá difícil encontrar aluguel que custe menos de R$ 1.000 aqui no Brasil, então imagina no resto do mundo! Resolvemos fazer uma pesquisa em imobiliárias de diversos países para descobrir o que esse dinheiro consegue alugar – e encontramos desde propriedades minúsculas até lugares dos sonhos por esse preço.

Para os imóveis localizados no Brasil, nossas buscas foram feitas por aluguéis que custassem entre R$ 900 e R$ 1.000 em zonas centrais (sempre que possível) e cujo condomínio fosse menor do que R$ 200. No caso dos alugueis no exterior, tivemos que expandir um pouco esse conceito, porque em alguns países mais caros (como EUA ou Austrália) não existe nada próximo a esses valores em áreas mais urbanas.

Vem ver os nossos achados.

São Paulo 

Aluguel: R$ 1.000
Condomínio: R$ 180
Localização: Sé
Estrutura: 1 ambiente + banheiro
Área: 30 m²

Cidade do México – México

Aluguel: 5.500 pesos mexicanos (R$ 972)
Localização: La Magdalena Contreras
Estrutura: 1 quarto
Área: 41m²

Porto Alegre

Aluguel: R$ 990
Condomínio: R$ 200
Localização: Centro
Estrutura: 2 quartos
Área: 48m²

Phuket – Tailândia

Aluguel: US$ 301 (R$ 951)
Localização: Kathu
Estrutura: 1 quarto
Área: 53 m²

Belo Horizonte

Aluguel: R$ 900
Condomínio: R$ 140
Localização: Liberdade
Estrutura: 2 quartos
Área: 44m²

Marseille – França

Aluguel: € 280 (R$ 1.050)
Localização: Marseille 8E
Estrutura: 1 ambiente
Área: 9 m²

Belém

Aluguel: R$ 1.000
Localização: Curió-Utinga
Estrutura: 2 quartos
Área: 90 m²

Abuja – Nigéria

Aluguel: 1.200.000 nairas por ano (cerca de R$ 875/mês)
Localização: Apo
Estrutura: 2 quartos + 2 banheiros
Área: não informada

Armidale – Austrália

Aluguel: 50 dólares australianos por semana (cerca de R$ 524/mês)
Localização: Armidale
Estrutura: 1 quarto
Área: não informada

Salvador

Aluguel: R$ 900
Condomínio: R$ 180
Localização: Federação
Estrutura: 3 quartos + 2 banheiros
Área: 65 m²

Lubbock – Texas (EUA)

Aluguel: US$ 395 (R$ 1.251)
Localização: Lubbock
Estrutura: 1 quarto
Área: 50 m²

Bucareste – Romênia

Aluguel: € 300 (R$ 1.122)
Localização: Bucareste
Estrutura: 1 quarto
Área: 45 m²

Rio de Janeiro

Aluguel: R$ 900
Condomínio: R$ 130
Localização: Joaquim Palhares
Estrutura: 1 quarto
Área: 22 m²

Turíngia – Alemanha

Aluguel: € 340 (R$ 1.270)
Localização: Centro
Estrutura: 2 quartos + 1 banheiro
Área: 47 m²

Bogotá – Colômbia

Aluguel: 924.000 pesos colombianos (R$ 993)
Localização: San Cristóbal Norte
Estrutura: 2 quartos + 2 banheiros completos
Área: 47 m²

Tóquio – Japão

Aluguel: 34.013 ienes (R$ 975)
Localização: Hino-Shi
Estrutura: 1 ambiente + banheiro
Área: 17,5 m²


Cidade do Cabo – África do Sul

Aluguel: 35.000 rands (R$ 850)
Localização: Camps Bay
Estrutura: 2 quartos + 2 banheiros
Área: não informada

 

Todas as fotos: Reprodução da respectiva imobiliária

5 lugares para surfar que você nunca cogitou e que são ótimas ideias

Havaí, Indonésia, Austrália e Costa Rica são destinos que costumam fazer parte da lista dos sonhos de qualquer surfista. São praias bastante conhecidas por suas ondas quase perfeitas, e que atraem legiões para suas águas todos os anos.

Mas você já pensou em sair do lugar comum, e surfar umas ondas incríveis em um lugar onde nunca imaginou? Há inúmeros destinos propícios ao surf que a maioria não conhece, mas que não deixam nada a desejar aos locais mais populares.

Você sabia, por exemplo, que pode pegar belas ondas em Nova York? Ou então no Iêmen? Pois é, aposto que você nunca havia pensado sobre isso. Então aproveita para programar as próximas férias para alguns dos lugares abaixo, e boas ondas!

Nova York

Rockaway, Lido e Long Beach são ótimas opções pertinho de Manhattan. O único problema é que a melhor época para pegar ótimas ondas é no inverno, mas nada que uma boa roupa de neoprene não resolva.

a-hora-do-surf-em-nova-york

Canadá

Pensava que o país vivia só de hockey? Pois uma ilha chamada Tofino, vilarejo de Vancouver, é bem conhecida pelo surf entre os canadenses. O destaque fica para a paisagem, repleta de florestas – e de ursos também, então melhor tomar cuidado.

tofino-entre-ursos-e-florestas

Itália

Na Itália, se come e bebe bem, mas se surfa também. O destino mais indicado fica na ilha da Sardenha, que oferece aos surfistas boas ondas e pouco crowd (quando o mar está lotado de surfistas).

sardenha

Noruega

As águas são, sem dúvidas, congelantes. Mas as ondas compensam, pode acreditar. E o melhor é que, assim como na Sardenha, o mar vai estar bastante vazio, com pouquíssimo crowd.

noruega

Iémen

Apesar de não ser muito turístico, o país do Oriente Médio esconde praias com boas ondas. A parte ruim é que ninguém vai querer te acompanhar, já que lá não tem mais nada para fazer.

lecc81men-do-surf-5-lugares-que-vocecc82-nunca-pensou-em-surfar

Via © Red Bull /fonte:via

A polícia de Taiwan decidiu anunciar seus novos ‘recrutas’ com um ensaio fotográfico adorável

Os novos recrutas da polícia de Taiwan acabam de ser contratados – e eles são lindos demais. Graças a isso, o órgão decidiu anunciá-los com um ensaio fotográfico que promete arrancar suspiros por aí.

Os novos membros da equipe são Fushin, Schuman, Federica, Eagle, AJ e Sunny, filhotes de labrador que irão fazer parte da equipe canina da Agência Nacional de Polícia de Taiwan. Os cães estão apenas começando o treinamento, mas, no futuro, irão ajudar a polícia a detectar a presença de sangue e drogas em Taipei, segundo informações do Daily Mail.

O departamento de polícia local publicou as fotos dos novos integrantes da equipe no dia 8 de junho através do Facebook. A publicação que anunciava a chegada dos novos recrutas foi compartilhada por mais de 1,8 mil pessoas e recebeu 16 mil reações. Eles são mesmo apaixonantes! ♥

Todas as fotos: Reprodução Facebook/fonte:via