A história do fotógrafo que foi mordido por uma cobra venenosa, mas sobreviveu para terminar seu trabalho

As cores, formas e movimentos das cobras fascinaram tanto o fotógrafo norte-americano Mark Laita que ele resolveu criar um projeto só para retratá-las.Depois de um bom tempo capturando imagens de serpentes, ele sofreu um pequeno acidente: foi mordido por uma mamba-negra, uma das espécies mais venenosas do mundo. Mas, acredite se quiser, nem se importou tanto.

O incidente aconteceu alguns anos atrás, quando Mark estava na Costa Rica.Ele já tinha rodado os Estados Unidos e parte da América Central atrás de zoológicos, laboratórios e colecionadores que o ajudassem no projeto.

A sessão com a mamba-negra já estava finalizada quando a cobra começou a rodear seus pés.

Mark explica que não ficou com medo da serpente, pois ela tinha se mostrado bastante dócil durante o trabalho, e também por ser um animal mais velho, sem tanto ímpeto agressivo. Ele mirou a lente para baixo e começou a registrar os movimentos da cobra a seu redor, até que o dono dela decidiu usar seu bastão para tira-la de lá.

O problema é que ele acabou mexendo em um cabo do equipamento de Mark, assustando a mamba-negra, que atacou o fotógrafo. Em meio ao azar, a sorte: ele conseguiu captar o exato momento da mordida – e só descobriu isso no dia seguinte.

Sua canela começou a sangrar muito, encharcando a meia e o tênis do visitante. Mas sorte mesmo foi ter sobrevivido: praticamente todas as vítimas das mabma-negras morrem, e há até relatos de elefantes que perderam a vida ao cruzar com uma dessas cobras.

Algumas pessoas acusaram Mark de ter forjado o ataque para divulgar seu livro, mas ele nega. Em entrevista, o fotógrafo disse que estava usando uma bermuda porque alguns donos de serpentes disseram que a pior coisa que poderia acontecer seria um dos animais subir pela sua calça.

Ele nem foi a um hospital para se certificar que estava tudo bem, o que especialistas lhe disseram ter sido uma “grande estupidez”. De acordo com Mark, ele sentiu bastante dor no local à noite, como se tivesse vários alfinetes espetadss, mas depois ficou tudo bem. Especialistas acreditam que ele tenha levado uma “mordida seca”, quando o animal não injeta veneno.

Apesar da estupidez, Mark sobreviveu para seguir fotografando serpentes, o que resultou no livro Serpentine. As fotos são todas tiradas sobre um fundo preto para ressaltar ao máximo as cores e formatos dos animais.

Antes de conferir algumas das belas imagens, não custa lembrar que em qualquer caso de mordida por serpente é indicado correr para o hospital ou centro médico mais próximo o mais rápido possível.

Fotos © Mark Laita /Fonte:via

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s