Aqui estão as provas de que, na verdade, carteiros e cachorros são ótimos amigos

Há uma crença popular que indica que carteiros/entregadores e cachorros são grandes inimigos. Você com certeza já viu algum desenho, quadrinho ou filme fazendo piada da relação, talvez mostrando um profissional aterrorizado fugindo de um cão de guarda.

Mas, veja bem, parece que essa teoria está furada. Prova disso é a página UPS Dogs no Facebook, que publica fotos feitas por funcionários da UPS, uma das maiores empresas de entregas dos Estados Unidos, dos cãezinhos que eles conhecem durante a rotina de trabalho.

A página foi criada pelo entregador Sean McCarren cinco anos atrás. Segundo ele, é comum que os funcionários da empresa aproveitem os intervalos entre as entregas para brincar com os cachorros que circulam pelas ruas – em cidades menores, muitos deles ficam soltos e podem correr atrás dos caminhões livremente.

Sean passou a receber muitas fotos enviadas por colegas que viraram fãs da página e começou a publicá-las. Ele e outros entregadores afirmam que ver a alegria dos animais ao avistar o caminhão é um dos melhores momentos da jornada de trabalho.

Ah, e é interessante apontar que nem só a cães se resume a amizade entre entregadores e animais: há também fotos com gatos e até alces, cavalos e galinhas!

Fotos: Reprodução/fonte:via

Conheça Lulu, a cachorra que foi ‘demitida’ por falta de vontade de trabalhar na CIA

Sabe aquela história de não se sentir bem com a carreira que parece ser seu destino profissional? Uma filhote de labrador passou por isso nos Estados Unidos, mas, graças à atenção de seus treinadores, conseguiu encontrar um caminho mais adequado.

A protagonista dessa trama é Lulu, que estava na turma de labradores treinados pela CIA para fazer parte da K9, um grupo de cães especializados em detectar explosivos a partir do faro.

Conforme o treinamento avançava, os tutores dos animais perceberam em Lulu alguns sinais de que ela não estava gostando muito daquelas coisas.

De acordo com a CIA, é normal que os cães tenham dias bons ou ruins no treinamento, mostrando preguiça, tentando simplesmente adivinhar de onde vêm os odores ou mesmo ignorando tudo que se passa ao redor.

Como normalmente esse tipo de comportamento dura um ou dois dias, eles decidiram tentar com Lulu algumas técnicas que funcionam com outros cães desinteressados, como brincar mais, acrescentar novos desafios ou simplesmente descansar.

Não resolveu, e ficou claro para os treinadores que fazer parte da divisão K9 não era mesmo do agrado de Lulu. Quando isso acontece, é comum dispensar os cães do programa, e seus treinadores têm a oportunidade de adotá-los, o que geralmente acontece.

Agora, Lulu está vivendo na casa de um dos treinadores da CIA. Ela já se tornou amiga de Harry, outro labrador preto que vive com a família. Agora, ela passa os dias brincando no quintal, farejando coelhos e esquilos e se divertindo junto das filhas do seu novo tutor.

Fotos: Divulgação/CIA/fonte:via

Esta deslumbrante cidade italiana paga R$ 9 mil para você se mudar para lá

Enquanto a maioria das grandes cidades enfrenta as problemáticas consequências do excesso de população, disputando trabalhos, oportunidades e até moradia, alguns locais no interior de certos países europeus sofre do mal oposto: com as populações jovens deixando seus pequenos vilarejos a procura de emprego e de outra vida nas grandes cidades, alguns desses locais estão apelando a tudo que podem para tentarem simplesmente ter alguma população.

É esse o caso de Candela, cidade a duas horas de Nápoles, na Itália.

O prefeito de Candela, Nicola Gatta, está oferecendo até 9 mil reais para quem decidir se mudar pra lá – tudo pra trazer a vida de volta à cidade, que tem sua origem no período medieval, que já teve quase 10 mil habitantes e que hoje não chega a 3 mil residentes.

 

Há, inclusive, uma tabela de preços: se você for solteiro, recebe 950 euros (cerca de 3,6 mil reais); casais sem crianças recebem 1,400 euros (cerca de 5,3 mil reais); famílias com três pessoas recebem 2100 euros (cerca de 8 mil reais) enquanto famílias com quatro ou mais pessoas recebem 2350 euros (cerca de 9 mil reais).

 

Nada, porém, nessa vida é tão simples assim, e pra receber o dinheirinho da prefeitura de Candela é preciso cumprir uma série de contingências, como alugar uma casa na cidade por pelo menos um ano, é preciso ter um emprego e ganhar anualmente no mínimo 33,5 mil reais. Algumas pessoas, segundo consta, já se mudaram pra cidade. Pra quem cansou da maluquice da cidade grande e sonha com uma vida pacata no interior da Itália, essa é a oportunidade de alcançar um sonho e ainda receber por isso.

© fotos: divulgação/fonte:via

Sem teto devolve bolsa e R$ 960 para jovem. E ela retribuiu mudando a vida dele

Perder uma bolsa com boa parte de seus pertences mais pessoais, como documentos, iPhone, chave e ainda uma boa quantia em dinheiro é um pesadelo não só pela dor de cabeça evidente, mas também pelo fato de que tais situações quase sempre nos fazerem perder ainda mais a esperança na humanidade.

Rapidamente temos certeza de que ninguém irá devolver tal bolsa, e foi isso que a jovem Daisy Owen imaginou quando se deu conta de que tinha perdido sua bolsa com todos pertencem acima citados dentro, e ainda cerca de R$ 960.

Pois o morador em situação de rua Paul Calderbank achou a bolsa de Daisy e decidiu fazer justo o oposto que se esperaria de qualquer pessoa, e se pôs aguerridamente a procurar pela dona da bolsa que encontrou. Paul se colocou atrás de pistas para devolver a bolsa, sem pegar nenhum pertence da moça nesse tempo.

A jovem Daisy Owen 

 

Mesmo para fazer o bem, porém, Paul teve de lidar com a suspeita da polícia (sobre se ele não havia roubado a bolsa) e com espertas que se diziam ser Daisy. Ele escreveu de próprio punho uma nota para deixar clara suas intenções.

“Eu quero localizar a verdadeira dona e pessoalmente entregar todos os seus pertences de volta para ela, porque eu sou uma pessoa honesta agora. Porque para mim é tão bom fazer o que é certo, e há dinheiro na bolsa e eu não peguei um centavo.”

Quando enfim descobriu o verdadeiro endereço da dona, a recompensa veio enfim: não só Daisy fez um post em tributo à sua honestidade, como ainda ela começou uma campanha de financiamento coletivo, contando o ocorrido, para reunir dinheiro para tirar Paul das ruas – e, até aqui, mais de 4 mil libras já foram arrecadadas.

Às vezes, quem diria, a honestidade é devidamente recompensada.

 

© fotos: Facebook/fonte:via