Misterioso castelo antigo é encontrado no fundo de um lago na Turquia

Arqueólogos da Universidade Yüzüncü Yil encontraram um castelo de 3 mil anos escondido no fundo do Lago Van, na Turquia, centenas de metros abaixo da superfície.A descoberta incrível foi preservada dentro do lago em uma qualidade surpreendente. O castelo abrange cerca de um quilometro, com paredes de até 3 ou 4 metros, mantidas em boas condições pelas águas alcalinas turcas.

Urartu

Os pesquisadores, liderados por Tahsin Ceylan, acreditam que a construção é uma relíquia da civilização Urartu, da Idade do Ferro, também chamada de Reino de Van, que prosperou na região dos séculos IX a VI aC.

O nível de água do lago flutuou de forma bastante dramática ao longo dos milênios, e os cientistas acreditam que era muito menor no auge da sociedade urartiana do que é hoje, aumentando lentamente ao longo do tempo até cobri-la parcialmente.Os arqueólogos, inclusive, estão estudando outras partes do antigo assentamento, mesmo acima da linha da costa atual.

 

“Muitas civilizações e pessoas se instalaram em torno do Lago Van”, disse Ceylan. “Eles chamavam o lago de ‘mar superior’ e acreditavam que ele tinha muitas coisas misteriosas. Com esta crença em mente, estamos trabalhando para revelar seus ‘segredos’”.

Mistérios de Van

A equipe ainda não conseguiu verificar quão profundamente as paredes do castelo estão enterradas sob o sedimento no lago, e mais trabalho de campo será necessário para aprender mais sobre a estrutura, e as pessoas que viviam dentro dela.

No ano passado, a equipe de pesquisa também descobriu um campo de estalagmites de 4 quilômetros quadrados, que eles chamaram de “chaminés de fadas subaquáticas”, sob o lago. As lápides parecem ser da época dos seljuques, um povo nômade turco, de cerca de 1.000 anos atrás.

No início deste ano, anunciaram ainda a descoberta de um navio russo que deve ter afundado no lago em 1948.

Permanecemos curiosos para saber o que os pesquisadores vão desvendar das vidas e épocas registradas nesse incrível lago.fonte:[via] [ScienceAlert, IFLS]

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Duas irmãs gêmeas, de origem afro-americana, ganharam os corações de todos pela internet por um charmoso e interessante detalhe, que mostra como a cor da pele e a diversidade racial é uma questão complexa e irrelevante no que diz respeito a quem as pessoas biologicamente são: Isabella tem a pele mais clara, enquanto Gabriella possui a pele bastante escura.

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Segunda a mãe, Clementina Shipley, a diversidade não para na cor da pele – ainda que sejam gêmeas, ambas são muito diferentes. Isabella é um bebê calmo e tranquilo, que ri sempre que alguém olha pra ela e adora receber cócegas. Já Gabriella começou a engatinhar com 5 meses e nunca mais parou, cheia de energia e sorrisos.

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Muitos pensam que as duas fofuras são filhas de uma mistura racial, mas não – ambas são negras. Para além de qualquer coisa, a beleza da diversidade, a pureza e a ternura que as duas provocam parece mover o sucesso que vêm fazendo na internet – provando como a diversidade começa na barriga, e o quanto a pele negra é linda, seja no tom que for.

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Gêmeas tons de pele diferente mostram que a diversidade existe até dentro da barriga

Você pode seguir essas duas belezuras no Instagram.

© fotos: Instagram/fonte:via

Esta casa incrível pode ser construída em praticamente qualquer lugar em apenas 6 horas

A casa M.A.Di. parece boa demais para ser verdade, mas é. Em uma época com preços imobiliários impeditivos, o italiano Renato Vidal criou uma brilhante alternativa que não é somente barata, mas também moderna e ecológica.

A casa pode ser construída em qualquer local plano, até sem uma base de concreto, em cerca de 6 horas.Criada com material de alta qualidade, é segura contra abalos sísmicos e vem em uma variedade de tamanhos, que vão desde uma casa de cerca de 27 metros quadrados por US$ 33 mil (aproximadamente R$ 106 mil, no câmbio comercial de hoje) até uma de 84 metros quadrados por US$ 73 mil (R$ 235 mil).

 

Todos os modelos básicos incluem banheiro com instalações sanitárias, conexões na cozinha, escada e instalações técnicas.

Uma vez montada, a estrutura de M.A.Di. pode suportar também painéis solares, iluminação LED e sistemas alternativos de água.

Por fim, o projeto é personalizável de acordo com suas necessidades. O tempo de entrega da casa é de até 60 dias após a aceitação dos desenhos finais.

Você pode obter mais informações no website da M.A.Di. /fonte:via[BoredPanda]

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Se você é do tipo que duvida da obsolescência programa das máquinas fabricadas hoje, e pensa se tratar de mera teoria da conspiração a ideia de que as empresas fabricam eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos, computadores e afins feitos previamente para deixarem em breve de funcionar, então você precisa conhecer o casal Sydney e Rachel Sanders, de Exeter, no Reino Unido. Ou melhor: você precisa conhecer seus eletrodomésticos, pois o casal Sanders possui os mesmos desde 1956 – e todos funcionam.

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

A história dos eletrodomésticos dos Sanders, claro, não comprova objetivamente a má intenção das empresas de hoje – mas comprova, ao menos, a má fabricação atual, e confirma aquela velha e nostálgica ideia de que as coisas não são feitas hoje como eram antigamente.

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionamEste casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

O casal gastou cerca de 193 dólares, em meados dos anos 1950, quando se casaram, para comprar uma secadora, um boiler, um fogão, ferros de passar e uma máquina de lavar. Hoje, ambos na casa dos oitenta anos, o máximo que podem reclamar é que a máquina de lavar de vez em quando vasa um pouco de água.

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Seria ingênuo não concluir que a péssima qualidade dos produtos de hoje serve perfeitamente para o consumo irrefreável que nos acomete, trazendo lucros obscenos para empresas que obrigam os clientes a comprarem novamente o mesmo produto a cada par de anos. Como se não bastasse, a obsolescência programada provoca um enorme problema ambiental.

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Os Sanders no dia de seu casamento, em 1956

O casal Sanders finalmente decidiu renovar seus eletrodomésticos, que agora deverão ir para um museu – a fim de serem preservados, e de nos lembrar como as coisas poderiam e deveriam durar, além de marcar o charme e o estilo com que tais eletrodomésticos eram desenhados no passado.

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

Este casal de idosos comprou seus eletrodomésticos há 60 anos e eles ainda funcionam

© fotos: David Hedges SWNS/fonte:via