20 mil obras de arte para download gratuito num dos acervos mais robustos do mundo

Apaixonados por arte já podem dizer adeus à produtividade. O “culpado” é esse acervo incrível com 20 mil obras de arte disponíveis para download gratuitamente. Sim, nós também estamos encantados com a ideia!

Trata-se do acervo do Los Angeles County Museum of Art (LACMA), que foi digitalizado ao longo de dois anos. Agora, imagens das obras podem ser vistas online. E, como muitas já entraram em domínio público, é possível fazer o download gratuitamente destas.

Ao todo, são 93 mil trabalhos disponíveis no site do museu, embora muitos tenham seu uso restrito. Esse número representa apenas cerca de um quarto das obras da coleção física do LACMA – o restante ainda não foi digitalizado.

Entre os trabalhos, encontram-se obras de Mondrian, Cezanne e Degas, entre outros artistas. A ferramenta de busca permite pesquisar por área de curadoria, cronologia e termos específicos, além de selecionar a opção de ver apenas imagens que estão em domínio público.

Espia só algumas das obras exibidas no site:

Obras: François Boucher; Mondrian; Edgar Degas; Peter Behrens; Jean-Auguste Dominique Ingres; Paul Cézanne; Mary Cassatt; Circle of Pierre Julien; Kobayashi Kiyochika; Kresilias:/fonte:via

Fotógrafo retrata a cultura do surf e do skate em imagens poéticas

O fotógrafo e diretor de arte francês Sebastien Zanella acaba de publicar seu primeiro livro, Wave Melancolia, uma obra com temática completamente coerente com duas de suas grandes paixões: o surfe e o skate.

Originalmente do sul da França, ele reuniu no livro momentos de grande melancolia, um sentimento autêntico que ele descreve como “um estado de suspense a partir do qual observamos o mundo à distância”. Sua abordagem artística poética e narrativa deixa o espectador livre para classificar suas emoções.

Para fotografar as imagens do livro ele viajou por dois anos com a família por lugares como Indonésia, Havaí, Tahiti, Austrália, Estados Unidos, costa atlântica europeia, América Latina, Central, Marrocos e dezenas de outros países.

Veja algumas fotos:

 

Imagens: Reprodução/fonte:via

Conheça a espécie de pinguins super rara que está prestes a ser extinta

Nós amamos pinguins e, até onde sabemos, esses bichanos só merecem elogios. Uma espécie, porém, está enfrentando maus bocados. São os pinguins-de-olho-amarelo (Megadyptes antipodes), encontrados no sul da Nova Zelândia.

Considerados como uma das espécies de pinguins mais raras do mundo, eles estão em perigo de extinção. Esse risco foi potencializado após o desaparecimento de cerca de metade da população de pinguins-de-olho-amarelo da ilha neo-zelandesa Codfish (também conhecida como Whenua Hou) este ano, segundo reporta o The Dodo.

A ilha é livre de predadores e foi considerada como um santuário de animais. Por isso, todos estavam intrigados com a diminuição da população de pinguins. Ainda de acordo com a publicação, os animais estariam sendo vítimas das redes de pesca que atuam próximas à ilha. Enquanto buscam comida no mar, alguns pinguins teriam caído nestas redes e se afogado ou sido pescados junto a outros animais.

As redes são responsáveis pelo afogamento de 13 das 18 espécies de pinguim encontradas no mundo, segundo um estudo realizado pela Bird Life International. Como consequência do desaparecimento dos animais, apenas 14 ninhos de pinguins foram encontrados pelos guardas-florestais na região este ano – no ano passado foram 24.

Estima-se que hoje a população de pinguins-do-olho-amarelo seja de apenas 4.000 indivíduos. Se eles continuarem morrendo, logo a única maneira de vê-los pode ser na nota de 5 dólares neozelandeses, onde os pinguins estão estampados.

 

Este orangotango roubou uma câmera e tirou selfies maravilhosas

Encontrar um orangotango selvagem é um fenômeno raro. Por conta das ameaças de tempestades e adversidades naturais onde eles vivem, esses animais são considerados como sempre estando em perigo.

É por isso que Ian Wood, um fotógrafo da vida selvagem que vive no Reino Unido, é parceiro da Orangutan Foundation UK para liderar viagens anuais para a ilha de Borneo, na Indonésia, em busca de reunir fundos para proteção dessa espécie.

Em uma viagem recente, Wood deu a sorte de ter um raríssimo encontro com um grupo de orangotangos, que decidiram roubar sua câmera e fazer umas fotos.

Wood tem fotografado esses animais por anos, só que dessa vez decidiu fazer diferente.

Ele escondeu sua câmera GoPro em uma área da floresta por onde os orangotangos adoram passear. Ele sabia que conseguiria algumas imagens bastante próximas e inéditas deles, mas nunca pensou que seriam selfies.

Alguns dos cliques são muito parecidos com aquelas selfies que as pessoas fazem acidentalmente enquanto tentam desvendar os “mistérios” da câmera fotográfica. Só que algumas outras mostram que eles rapidamente aprenderam a mexer no aparelho.

Segundo Wood disse ao The Guardian, por muito pouco ele perdeu a oportunidade de ver o resultado do “ensaio” dos orangotangos.

“Quando um orangotango de 3 anos pegou a GoPro, ele mostrou um incrível nível de interesse nela. Minha emoção rapidamente se tornou preocupação quando ele colocou a boca nela e tentou mordê-la”, contou.

O problema para Wood não era perder a câmera, mas sim o risco do animal engasgar.

“Após quebrar a tela LCD, ele a tirou da boca e, acidentalmente, clicou centenas de fotos. Após uns 30 minutos, ele correu com a câmera para uma árvore e eu achei que aquela fosse a última vez que eu iria vê-la”.

Talvez o orangotango tenha perdido interesse, porque, no momento seguinte e por sorte, o animal derrubou a câmera no chão. “Eu fui até lá e pude minha câmera danificada mas que ainda estava funcionando”, Wood celebrou.

 

Fotos: Ian Wood/fonte:via