Um rolê com os Jokers, a gangue que aterrorizou o Brooklyn nos anos 1950

Em 1959 os Jokers eram uma gangue de jovens do bairro do Brooklyn, em Nova Iorque, conhecidos não só por aterrorizarem as ruas do bairro, mas também pela melancolia, pelo desejo de viver a vida em liberdade, por se cortarem e usarem bandagens no corpo. O fotógrafo americano Bruce Davidson, então com 25 anos, conseguiu passar um tempo com os Jokers, ou Coringas, e fotografou esse grupo de jovens do final dos anos 1950.

As imagens parecem não só definir o grupo como também o espírito de uma época – jovens, descolados, agressivos, e também amorosos e divertidos. Davison garante que os via como crianças – que, passados quase 60 anos, permanecem significando certo espírito da juventude em imagens impactantes, lindas e atemporais.

 

© fotos: Bruce Davidson/fonte:via

Anúncios

Filho conhece pai aos 19 anos e o convence a largar o crack

Criado pela avó materna, o brasiliense Leonardo Roque, soldado do exército, sempre quis ter o nome do pai na carteira de identidade e, para isso, precisou descobrir suas origens. Aos vinte anos, ele descobriu que seus pais foram colegas de escola e, depois de muita procura, acabou chegando até o homem, o vigilante Orlandino Ferreira Roque.

Depois de realizar o sonho de colocar o nome do pai no documento, descobriu através da madrasta, que o convidou para um almoço, que o homem possuía um sério vício em drogas que já existia mesmo antes de Leonardo nascer. Orlandino, precisava de ajuda.

Com o casamento por um fio, todo salário recebido no mês ia para traficantes da Ceilândia. Ele chegou até mesmo a gastar R$ 35 mil em crack, em apenas um mês – dinheiro de herança de sua mãe.

“Fizemos um almoço pela manhã para eu conhecer a família, e à noite a esposa dele me ligou e contou sobre o vício em drogas. Fiquei muito triste. Eu pensava ‘acabei de conhecer meu pai e posso perder ele’. Imaginava como ajudar, mas também não tinha muito conhecimento nem intimidade com ele”, contou ao G1.

Por quatro anos seguidos Leonardo tentou de tudo para livrar o pai das drogas, mas só no meio do ano passado deu um ultimato ao vigilante também se envolver com drogas caso ele não se internasse. Sensibilizado, ele topou ir para uma clínica.

Graças ao incentivo do filho, Orlandino está internado na ONG Salve a Si, local onde ganhou um ano de tratamento acompanhado por psiquiatras e psicólogos. Ele já está na instituição há quatro meses e tem apresentado bastante melhora, a começar pelo peso: ele chegou ao local com apenas 58kg e agora pesa 90kg.

 

Imagens: Acervo pessoal/ Reprodução / ONG Salve a Si/fonte:via

Este simpático roedor estava ‘extinto’ há um século – e agora ressurgiu

Uma bela, felpuda e fofa notícia para começar o ano trouxe sorrisos aos cientistas australianos do estado de New South Wales: depois de um século considerado extinto, uma espécie de marsupial batizada como Dasycercus Cristicauda, e conhecida como Mulgara, foi encontrada, sã e salva, em um parque nacional. Os pesquisadores trabalhavam em um projeto para restaurar ecossistemas em desertos quando encontraram o pequeno roedor.

O Mulgara pesa 159 gramas, e foi encontrado por pesquisadores da Universidade de New South Wales. O animal, que já habitou intensamente a região, foi considerado extinto há quase um século. Carnívoro, alimentando-se de pequeno lagartos, invertebrados e pequenos mamíferos, a descoberta foi comemorada pelos cientistas australianos.

O motivo é especial: o projeto dos pesquisadores da universidade visa justamente reintroduzir espécies no Parque Nacional de Sturt que não mais habitavam o local. A chegada triunfal do Mulgara, portanto, é não só uma pequena e adorável esperança, como um triunfo de um projeto que visa salvar a vida de animais ameaçados.

 

© fotos: divulgação/fonte:via

Família chinesa se une para perder peso

Perder peso é difícil, física e psicologicamente, ainda mais considerando que dietas quase nunca funcionam. Para facilitar essa tarefa, o fotógrafo chinês Jesse, de 32 anos, decidiu fazer isso com toda sua família. O apoio que eles se deram mutuamente durante 6 meses causou uma verdadeira transformação em suas vidas, como mostram as fotos de antes e depois.

Quando a esposa de Jesse ficou grávida, a mãe do fotógrafo decidiu morar com eles por alguns meses, para ajudar com os primeiros estágios da gravidez. Aproveitando a oportunidade, Jesse convidou seu pai para morar com eles também, para fortalecer o vínculo da família.

Quando percebeu que seu pai trazia consigo uma barriga de cerveja, fruto do alcoolismo, Jesse pensou que um programa de perda de peso poderia ajudá-lo a recuperar sua paixão pela vida. Eles começaram a caminhar e gradualmente passaram a correr. Adicionando mais e mais exercícios, eles começaram a ir à academia. Além disso, eles mediram os resultados a cada 10 dias.

O que inicialmente foi planejado para durar seis meses, acabou se tornando o modo de vida da família. Jesse diz, no entanto, que, acima de tudo, o resultado mais gratificante foi ver seu pai se tornar um homem confiante. Veja mais fotos da família.

 fonte:[via] [Bored Panda]: