Conheça o trabalho de Joshua Smith, responsável pelas melhores miniaturas que você já viu

Se parte do espírito das grandes cidades está no tamanho colossal de suas construções, bairros, populações e das próprias cidades, o artista americano Joshua Smith parece conseguir encapsular e significar tal espírito indo na direção contrária.

Joshua é um miniaturista, que constrói diminutas esculturas de edifícios e outros elementos típicos dos centros urbanos – com riqueza de detalhes inversamente proporcional ao tamanho de suas miniaturas.

Para sua nova exposição, a peça central é a reprodução da lendária loja de discos Discolandia, em São Francisco, nos EUA – que por 30 anos serviu de referência para música latina na cidade, até fechar suas portas, em 2011.

Tudo na peça é perfeito, como uma justa homenagem – do letreiro aos cartazes colados na vitrine – de uma época que já passou.

Além da qualidade do trabalho e da perfeita transposição de tal sensação urbana, espanta o fato de que Joshua aprendeu o ofício por conta própria.

Especialmente concentrado em pequenos porém fundamentais detalhes que justamente carreguem o espírito e o realismo daquilo que suas miniaturas retratam, seu talento parece tornar belo aquilo que, em tamanho real, é por muitos visto como elementos feios de uma cidade – como uma lata de lixo, um velho prédio ou o grafite cobrindo as parede.


O artista ao lado de uma de suas criações

 

© fotos: Joshua Smith/Instagram /fonte:via

Designer de roupas conserta asa quebrada de borboleta e o resultado é impressionante

Pode parecer estranho, mas ajudar uma borboleta com a asa quebrada pode ser uma tarefa realmente simples, como mostra a designer de roupas Romy McCloskey, responsável pelo Faden Design Studios.

Em uma série de fotos publicadas através de sua conta no Facebook, a estilista mostra como auxiliou uma borboleta-monarca a recuperar sua asa e voar por aí. Segundo a publicação, a borboleta tinha três dias de vida e teria nascido com a asa cortada.

Romy começou a se interessar por borboletas após encontrar algumas lagartas em seu jardim, em outubro do ano passado. Ao ver o animal com a asa quebrada, ela decidiu usar seus conhecimentos em costura para uma verdadeira cirurgia.

Para levar a cabo a operação, ela usou as asas de uma borboleta que havia encontrado morta e colou no restante da asa do animal saudável. A ideia surgiu após assistir a um vídeo no Youtube compartilhado por um amigo que ensina como reparar as asas de borboletas-monarca (veja aqui).

Após o sucesso da cirurgia, a designer atualizou sua publicação original, para informar a todos que a borboleta já havia levantado voo, mostrando que a iniciativa foi um verdadeiro sucesso. ♥

 

Piscina na Califórnia recria quadro ‘A Noite Estrelada’, de Van Gogh

A Noite estrelada de Van Gogh é, sem dúvida, uma das obras de arte mais admiradas da cultura ocidental.

Tanto, que na Califórnia, o proprietário de uma casa, decidiu eternizar a obra do artista holandês de um jeito bem especial e diferente: com uma piscina reproduzindo a pintura original.

Um usuário do Reddit compartilhou fotos da obra-prima aquática, explicando que o pai de seu amigo é o empreiteiro que criou e capturou imagens via drone.A piscina incrível é apenas um dos elementos elaborados na incrível propriedade, embora certamente seja o mais original.

A única desvantagem é que a maravilhosa obra só pode ser totalmente apreciada a partir de uma visão aérea.

Imagens: Reprodução/fonte:via

Sensação nos Jogos do Rio, Simone Biles denuncia médico da equipe por abuso sexual

Simone Biles, sensação dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, conquistando diversas medalhas, revelou ter sido abusada sexualmente pelo hoje ex-médico da equipe de ginástica artística dos Estados Unidos, Larry Nassar, que hoje está preso.

Ela, que ganhou quatro medalhas de ouro no Rio, publicou uma declaração em suas redes sociais contando ser uma das vítimas do agressor.

“Eu também sou uma das várias sobreviventes que foram abusadas sexualmente por Larry Nassar. Acredite em mim quando digo que foi muito mais difícil expressar essas palavras em voz alta do que foi agora para colocá-las no papel. Há vários motivos para eu relutar em contar minha história, mas agora eu sei que não é minha culpa”, disse ela.

Nassar foi médico da equipe de ginástica dos EUA por mais de duas décadas, dividindo o emprego com funções na Universidade Estadual de Michigan. Ele foi condenado em dezembro a 60 anos de prisão após ter admitido abusar de ginastas, possuir pornografia infantil, além de molestar meninas que buscavam tratamento médico.

Nassar ainda enfrenta acusações de mais 40 a 125 anos de regime fechado por se declarar culpado de abusar de sete meninas.

Hoje com 20 anos – ou seja, ainda abaixo da maioridade norte-americana de 21 -, Biles classificou o comportamento do médico como “completamente inaceitável, nocivo e abusivo, especialmente de alguém a quem me disseram para confiar”.

“Por muitas vez me questionei. Eu estava sendo muito ingênua? Foi minha culpa? Agora eu sei responder a estas perguntas. Não, não foi minha culpa. Não, eu não devo carregar uma culpa que pertence a Larry Nassar, USAG e outros. Preciso de mais tempo para trabalhar essas coisas dentro de mim”, pediu ela.

Além de Biles, a seis vezes medalhista olímpica Aly Raisman, a campeã mundial de 2012 Gabby Douglas e a duas vezes medalhista olímpica McKayla Maroney também vieram a público relatar casos em que foram vítimas de Larry Nassar.

 

Fotos: foto 1: Divulgação; foto 2: AFP/Reprodução; foto 3: AFP/Reprodução/fonte:via