Fotógrafa faz ensaio com cachorros resgatados da rua e mostra nova realidade deles

Penkta Koja trabalha em um abrigo para cachorros de rua e recebe novos hóspedes todos os dias. Esses cães vivem realidades vulneráveis, podendo estar perdidos, serem atropelados por um carro, deixados em uma floresta ou simplesmente não serem mais necessários na visão de seus tutores, que os abandonam na rua.

Por conta dos muitos anos que passam batalhando pela vida, os animais não conseguem se acalmar, o que faz com que eles tenham uma postura raivosa diante de humanos, deixando o resgate um pouco mais complicado, mas não impossível.

No abrigo onde Koja trabalha, os primeiros dias de um novo hóspede são sempre estressantes, especialmente pela expectativa de serem adotados por uma nova – e boa – família. Os cães só saem do abrigo nessas condições, não importando quanto tempo demore.

Penkta trabalha em parceria com a fotógrafa Ausra Kel. Ela resolveu selecionar uma série de cachorros que já não vivem mais no abrigo e criou um ensaio fotográfico cheio de esperança.

As fotos de Ausra mostram a nova realidade dos cães com suas novas famílias. A série tem animais que permaneceram de dias a anos no abrigo esperando serem adotados.

A ideia do ensaio é mostrar que os pets e seus tutores se enxergam como heróis e amigos. A rotina deles não é melhor que a de ninguém, apenas diferente, pois eles se veem de uma forma diferente.

 

Fotos: Ausra Kel/Divulgação/fonte:via

Anúncios

Vulcão nas Filipinas explode, e uma violenta erupção é iminente

O vulcão Mayon lançou uma pluma de cinzas a mais de 1.220 metros de altura do seu cume e gerou até 480 metros de fontes de lava antes do amanhecer de segunda-feira (22), iluminando o céu escuro com um intenso brilho avermelhado.

Ativo desde 13 de janeiro, após suas últimas explosões sísmicas, o governo das Filipinas elevou o nível de perigo na região de 3 a 4. O nível mais alto – 5 – significa que uma erupção perigosa está em andamento.

A zona de risco na qual ninguém deve adentrar foi estendida a um raio de 8 quilômetros a partir do vulcão.As autoridades de aviação civil também devem aconselhar pilotos a evitarem voar perto da cúpula do Mayon.

Perigo crescente

O Instituto Filipino de Volcanologia e Sismologia (PHIVOLCS) comunicou que a última explosão ocorreu em torno do horário local do meio-dia da segunda-feira e enviou lava superaquecida, rochas derretidas e vapor em cascata pelas encostas do Monte Mayon, deixando aldeias próximas na escuridão.

De acordo com o portal Live Science, mais de 27 mil moradores deixaram a província de Albay desde que Mayon entrou em atividade.

Já o jornal The New York Times informou que mais de 40.000 pessoas foram afetadas diretamente pela erupção, sendo que aproximadamente metade delas foram para um dos cerca de 27 campos de evacuação, conforme dados do Conselho Nacional de Redução e Gestão de Riscos de Desastres em Manila, nas Filipinas.Na semana passada, lava quente lançada da boca do Mayon chegou até a reparar danos no lado sul do monte, feitos em erupções anteriores, restaurando sua famosa forma de cone.

 PHIVOLCS também detectou “dois terremotos” gerados pelas explosões a nível do solo, bem como dezenas de cachoeiras e “episódios de drenagem de lava” dentro e ao redor da cratera vulcânica.

História

O Mayon, que se ergue 2.462 metros acima do Golfo de Albay, é o vulcão mais ativo das Filipinas. Suas encostas íngremes tornam-no um ponto de escalada popular, embora perigoso.

Em 2013, sem aviso prévio, o vulcão explodiu devido a uma infiltração de água na sua câmara de magma, lançando um vapor muito quente. A explosão matou cinco alpinistas e feriu sete.

A erupção mais violenta do Mayon até hoje ocorreu em 1814 e matou mais de 1.200 pessoas.

fonte:[via][LiveScience, NYTimes]

Este indiano abriu sozinho uma estrada de 8 km para seus filhos irem à escola

Para algumas crianças, estudar é um verdadeiro ato de coragem. É o que acontecia com os filhos do indiano Jalandhar Nayak, de 45 anos. As três crianças costumavam caminhar um trajeto de 15 km para ir à escola todos os dias em um terreno montanhoso, levando cerca de três horas em cada sentido.

Segundo Nayak contou a um jornal local, as crianças frequentemente tropeçavam em pedras no caminho, o que o motivou a construir uma estrada para que elas percorressem o trajeto com mais segurança.

Únicos moradores de um vilarejo remoto no estado de Orissa, na Índia, a família seria a principal beneficiada com a iniciativa. Além da falta de conexão com a escola, a área em que vivem também não possui energia elétrica nem água potável.

Durante dois anos, o pai dedicado trabalhou cerca de oito horas por dia para construir sozinho 8 km de estrada, usando uma enxada e uma picareta. Após ser entrevistado pela imprensa local, a iniciativa de Nayak chamou a atenção das autoridades do país, que se responsabilizaram a construir os 7 km que ainda restam para que a estrada fique completa.

 

Foto: Simanchal Pattnaik/fonte:via

‘Mago do Photoshop’ mostra o que 21 capas de discos famosos ‘escondem’

O russo Igor Lipchanskiy é um mago do Photoshop é usa suas habilidades técnicas junto a uma dose incrível de bom humor para transformar capas de discos famosos em algo completamente diferente. Ele cria versões engraçadas das clássicas capas, expandindo-as para que possamos ver o que “realmente” acontece nas partes ocultas.

Lipchanskiy se insere como um assistente voluntário, fazendo o que for necessário para dar um toque cômico aos músicos das capas do álbum, seja dando a Will.i.am um corte de cabelo ou segurando a guitarra de Shakira. Ele também apronta várias: A camisa branca de Lana Del Rey está pronta para ser arruinada por um copo de refrigerante e Avril Levine não parece feliz por ele ter cortado um pedaço de seu cabelo.

De alguma forma, ele sempre consegue pensar em uma maneira de transformar a narrativa da obra de arte do álbum clássico em algo que nos faz rir.


 

Imagens: Reprodução/fonte:via