Os bizarros conselhos sexuais de um manual banido há 300 anos no Reino Unido

No começo da vida sexual, muita gente busca por conselhos sobre o que fazer ou não na cama. Com o tempo, a gente acaba descobrindo que não existe certo ou errado entre quatro paredes, desde que haja consentimento. Mesmo assim, os conselhos deste manual provavelmente parecerão estranhos para qualquer um.

Escrito há cerca de 300 anos por um autor desconhecido que usava o pseudônimo de Aristóteles, o livro “Aristotle’s Masterpiece Completed In Two Parts, The First Containing the Secrets of Generation” (que poderia ser traduzido como “A obra-prima de Aristóteles, feita em duas partes, contendo a primeira os segredos da procriação“) tem conselhos que nem a sua avó daria. As dicas são acompanhadas de xilogravuras explicativas para que ninguém fique em dúvidas sobre o que o autor pretendia dizer…

Confira algumas das preciosidades encontradas na obra, cheia de fundamento científico (só que ao contrário):

Segredos da alimentação

Para os homens que pretendem procriar, o manual recomenda uma dieta à base de raízes e aves que cantam. As mulheres, no entanto, deveriam evitar comidas gordurosas e temperos, pois isso deixaria seus corpos mais quentes – e, pelo visto, ninguém queria ver mulher fogosa por aí…

Sobre a aparência dos filhos

De acordo com as crenças do autor do manual, a aparência dos filhos não tem nenhuma relação com o nosso código genético. Ela depende mesmo é da imaginação da mãe que, portanto, deveria focar o pensamento no marido e encará-lo fortemente para que a criança se pareça ao pai. Também é importante que as mulheres “não deitem com animais”, já que assim poderiam dar à luz a monstros. Então tá, né?

O gênero dos bebês

Decidir o gênero dos futuros bebês de um casal é mais simples do que você imaginava. Segundo o manual, a mulher precisaria deitar-se sobre o lado esquerdo para ser mãe de uma menina após o sexo. Se desejasse um filho homem, bastaria fazer o contrário, virando-se para o lado direito.

Os atros também pesam nessa balança. Para engravidar de um menino, a melhor época é “quando o sol está em Leão e a Lua, em Virgem, Escorpião ou Sagitário”. Para as meninas, o melhor é quando a “a Lua está na fase minguante, em Libra ou em Aquário”.

Foto: Hanson’s Auction House/Divulgação/fonte:via

Este retiro ecológico nas montanhas do Vietnã é o paraíso na Terra

Longe das tumultuadas cidades vietnamitas, esse retiro nas montanhas do parque nacional Hoang Lien é pura paz. O Topas Ecolodge conta com 33 bangalôs e fica a 45 minutos (ou apenas 18 km) do povoado de Sapa, no norte do Vietnã.

Embora o gerente do hotel seja francês, 95% dos funcionários pertencem a minorias étnicas da região. Aberta em 2005, a construção também busca gerar o mínimo de impacto ambiental. Para isso, as compras são realizadas localmente sempre que possível e o uso de energia é restrito apenas ao necessário. Sistemas de separação de lixo foram implementados no local e as sobras de alimentos são destinadas a fazendeiros locais, para que sejam utilizadas na alimentação de animais.

Apesar disso, a acomodação pode não ser para qualquer um. Para evitar os danos ao entorno e oferecer uma verdadeira imersão na vida das montanhas do Vietnã, muitas comodidades foram cortadas da lista. Portanto, os bangalôs não dispõem de televisão ou conexão à internet – embora o wi-fi esteja disponível no lounge do hotel. Além disso, faltas de água e de luz são comuns na região, como explica o site do Topas Ecolodge.

O vídeo abaixo dá uma ideia do que você irá encontrar por lá (em inglês, mas vale assistir pelas imagens incríveis da região):

 

Fotos: Topas Ecolodge /fonte:via

Depois de um ano colando 42 mil fósforos, este homem toca fogo na esfera e cria uma fantástica cena

Você já deve ter tido muitas ideias bizarras e aleatórias no bar ou no chuveiro. A maioria de nós não tenta realizá-las, mas o usuário do Reddit wallacemk é diferente.

Wallace, que vive no estado americano de Nova York, estava brincando com fósforos um dia quando um pensamento “fascinante” lhe cruzou a mente: “Eu pensei como as cabeças dos fósforos são ligeiramente maiores do que os corpos. Me perguntei o que aconteceria se eu começasse a colá-los e nunca parasse. Eu imaginei que uma esfera se formaria, então eu decidi descobrir”.

O projeto

Depois de quase um ano e um gasto de aproximadamente US$ 500, Wallace finalmente teve o prazer de atear fogo em sua esfera gigante de 42 mil fósforos.

“Ao iniciar o projeto, eu estava muito interessado em tentar descobrir aproximadamente quantos fósforos eu precisaria”, escreveu no portal The Bored Panda.

Wallace usou o software de modelagem Rhino para ter uma noção do que essa esfera se tornaria em última instância. De acordo com o programa, se todos os fósforos fossem exatamente iguais (o que não são), o rapaz iria precisar de 62.654 deles para fazer uma esfera perfeita.

Wallace criou um modelo, mas seu computador não conseguiu renderizá-lo. Esse é um quarto da esfera representado em realidade virtual:

Colocando em prática

Segundo Wallace, seu estado mental e emocional variou com o tempo enquanto criava a esfera. A foto abaixo, por exemplo, foi tirada em um momento de entusiasmo e otimismo. “Minha teoria estava funcionando e a curvatura da esfera estava começando a tomar forma”, comentou.

Já a imagem abaixo marca um ponto de inflexão na trajetória de Wallace. Ele passou a ter uma forte compreensão de quanto tempo, energia e fósforos iriam levar para chegar na maldita esfera: “O formato estava indo bem, mas demorava muito tempo para fazer uma única camada de fósforos”.

Wallace começou a alinhá-los para poder colá-los mais rápido.

“A alegria de me aproximar do meio do caminho foi apagada pelo fato de eu estar usando caixas com 300 fósforos e uma caixa nem me dava uma única camada a mais. O meio foi um momento deprimente”, escreveu para o The Bored Panda.

“Mas eu continuei! Eu tive que abandonar a ideia de perfeição quando eu vi que não consegui manter um crescimento perfeito colando os fósforos apenas no olho. Eu acho que poderia ter moldado a curvatura, mas já estava tão adiantado no projeto que só queria terminá-lo”, explicou.

Wallace realizou todo o trabalho em uma oficina de metal, de forma que foi um desafio manter as faíscas longe da esfera em formação. “Grandes agradecimentos vão aos meus chefes e colegas de trabalho que me aguentaram fazendo isso em seu espaço”, disse.

Dez meses depois, Wallace terminou o projeto com exatamente 140 caixas de fósforos. Se elas de fato vinham com exatamente 300 fósforos cada, isso equivale a 42 mil utilizados. Isso é significativamente diferente da estimativa inicial de 62.654, mas muitos fatores podem ter contribuído pata isso, como o fato de que o resultado final não foi uma esfera perfeita.

A esfera pronta começou com vários tons de verde diferentes e terminou completamente preta. “A energia era palpável. Valeu a pena”, observou Wallace. Confira o momento glorioso em que o rapaz taca fogo na esfera:

 
fonte:[via] [TheBoredPanda]

As impactantes fotos que disputam o World Press Photo 2018

A World Press Photo, associação sem fins lucrativos que anualmente premeia fotógrafos de todo o mundo em diversas categorias, anunciou a coleção das nomeadas de 2018. O concurso é um dos mais prestigiados do jornalismo fotográfico no mundo. Ao todo, são 47 indicados para a 61ª edição do prêmio que acontece em 12 de abril, em Amsterdam.

O jovem José Víctor Salazar Balza, 28 anos, corre em chamas durante confrontos violentos com a polícia num protesto contra o presidente Nicolás Maduro em Caracas, Venezuela. Foto indicada nas categorias 'Foto do Ano' e 'Temas da atualidade', feita pelo fotógrafo Romaldo Schemidt, da agência France Presse (AFP).

As categorias são: Questões Atuais, Meio Ambiente, Notícias Gerais, Projetos de longo prazo, Natureza, Pessoas, Esportes e Notícias Locais. Ao todo, 4.500 fotógrafos enviaram mais de 77 mil imagens fruto de trabalhos fotojornalísticos.

O júri avalia as fotografias com base em três perguntas: o que a imagem conta sobre o evento, qual a força emocional que transmite e como ela se compara com as outras imagens, tanto do passado quanto as atuais. Assim, as vencedoras estão sempre ligadas a assuntos marcantes da atualidade.

Junto com a imagem acima, de Romaldo Schemidt, confira as outras cinco imagens indicadas ao prêmio de Fotografia do Ano:

Corpos de refugiados Rohingya cobertos no chão, mortos após o barco que levava cerca de 100 pessoas de Myanmar para Bangladesh, em 28 de setembro de 2017. Apenas 17 pessoas sobreviveram. Foto feita por feita pelo fotógrafo Patrick Brown, da Panos Pictures para a Unicef, indicada nas categorias "Foto do Ano" e "Notícias Gerais".

A jovem Aisha, de 14 anos, foi sequestrada pelo grupo terrorista Boko Haram e forçada a participar de uma missão suicida. Ela conseguiu ajuda e evitou sua morte e a explosão das bombas. Imagem tirada pelo fotógrafo australiano Adam Ferguson para o New York Times, em Maiduguri, na Nigéria, e indicada na categoria "Foto do Ano".

Criança é levada da última área controlada pelo Estado islâmico na Cidade Velha de Mosul por um homem suspeito de ser militante, atendido por soldados das Forças Especiais do Iraque. Foto indicada na categoria "Foto do Ano", feita pelo fotógrafo Ivor Prickett.

Mulher ajuda uma das vítimas do atropelamento na ponte de Westminster, em Londres. Foto indicada nas categorias "Foto do Ano" e "Temas atuais", feita pelo fotógrafo Toby Melvill, da agência Reuters.

Civis que permaneceram em Mosul durante a batalha para recuperar a cidade do Estado islâmico aguardam para receber ajuda no bairro de Mamun, no Iraque.

 

Imagens: Romaldo Schemidt, Patrick Brown, Adam Ferguson, Ivor Prickett e Toby Melvill/fonte:via