É possível se hospedar numa réplica perfeita da casa do Bob Esponja

Não é preciso ter calças quadras para passar a noite dormindo em um abacaxi.

Em Punta Cana, na República Dominicana, já é possível se hospedar em uma réplica perfeita da casa do Bob Esponja.

O projeto foi idealizado pela Nickelodeon, que criou a “Vila do Abacaxi” como parte do Nickelodeon Hotels & Resorts Punta Cana. O espaço tem decoração inspirada no fundo do mar e no universo da esponja mais amada dos desenhos.

A estadia conta com piscina privativa, mordomo 24 horas por dia e regime all inclusive, com comidas e bebidas à vontade. De acordo com o Follow The Colours, tem até hambúrguer de siri no cardápio!

Decoração temática com direito a um telefone em forma de concha e uma réplica em tamanho real de Gary, o caracol de estimação de Bob Esponja, dão o toque especial à estadia. A acomodação conta ainda com dois quartos e três banheiros.

Usufruir de tudo isso não será barato: a noite no espaço custa a partir de R$ 7.500. A casa têm capacidade para quatro adultos e duas crianças ou dois adultos e quatro crianças – se bem que, em um lugar desses, qualquer adulto vira criança também!

 

Fotos: Reprodução/fonte:via

Usando apenas maquiagem, ela cria ilusões de ótica que vão bugar sua mente

Uma artista de Vancouver leva suas habilidades com a maquiagem a um novo patamar e promete deixar todo mundo com a cabeça bugada após olhar para suas criações.

Estamos falando de Mimi Choi, uma ilusionista, maquiadora e professora de maquiagem extremamente habilidosa. Cada criação leva em torno de 2 horas – o que é até pouco tempo, visto que o resultado pode ser um rosto completamente coberto por maquiagem.

Suas inspirações são múltiplas e incluem desde pinturas surrealistas (impossível não reconhecer um toque de Dalí em suas criações), lembranças de infância e até fotografias tiradas por conhecidos.

Através do Instagram, ela compartilha suas criações mais recentes, a agenda de capacitações e também dá dicas para quem pretende seguir uma carreira como maquiador profissional. Na rede, ela já conta com mais de 600 mil seguidores e suas publicações são sempre um sucesso instantâneo, acumulando milhares de curtidas.

O trabalho dela é ou não é sensacional?

 

Fotos: Mimi Choi /fonte:via

Designer cataloga azulejos e gradis de Olinda para que eles não sejam esquecidos

Em uma cidade com um vasto passado cultural como Olinda, em Pernambuco, a arquitetura em seus detalhes e elementos decorativos podem contar e significar parte importante da história e da memória da cidade. Em Olinda especialmente as características arquitetônicas de tal forma narram e simbolizam elementos e forças locais que o centro histórico hoje é tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e reconhecido como Patrimônio Mundial Cultural pela Unesco. Foi nesse rico cenário que a designer gráfica Renata Paes cresceu, e é essa identidade gráfica arquitetônica que ela quis preservar em seu mais recente trabalho.

Filha de um arquiteto preservacionista, Renata desde pequena costumava caminhar com o pai pela cidade, reparando em ladrilhos, azulejos, cobogós, gradis e tantos outros detalhes que compõem a impactante arquitetura olindense. “Quando tive que escolher meu trabalho de conclusão de curso, percebi quanto essa memória gráfica permeava minha infância”, ela disse. O catálogo Memória Gráfica da Arquitetura de Olinda, lançado em 2017, é o resultado de sua pesquisa, mas também dessa vida de caminhadas e observações pelo centro histórico, traduzida em um registro fotográfico dessa identidade arquitetônica de sua cidade.

A pesquisa de Renata não se deu somente caminhando pela ruas, mas também entrando nas casas, conversando com as pessoas, recebendo indicações e ouvindo histórias – vivendo na prática o que ela própria já sentia: a relação entre o design e o afeto, a relação entre as pessoas, suas casas e sua cidade. Os detalhes e objetos arquitetônicos remetiam a lembranças, sonhos, a passados que já não existem mais – à própria história das pessoas e, assim, de Olinda.

Para Renata, o catálogo se tornou, portanto, não só um registro fotográfico e visual, mas também um levante da própria importância de um patrimônio cultural. A história de uma cidade está também inscrita nos adornos, portões, gradis e cobogós de suas casas – e agora em seu catálogo. Memória Gráfica da Arquitetura de Olinda está disponível na plataforma Cidades Educadoras, e também na memória e nos corações dos moradores da cidade.

 

© fotos: Renata Paes/fonte:via

Professor de Gana que ensinava computação em lousa ganha computadores

Uma notícia recente comoveu a todos pela internet e relembrou o quanto o trabalho de um professor é fundamental para a medida não só do aprendizado, mas da resiliência e do caráter de seus alunos – e, em modo geral, de todos nós. Em Gana, o professor Owura Kwadwo ensina Tecnologia de Comunicação e Informação para uma escola de ensino médio, por ter certeza da importância da matéria para o desenvolvimento profissional e para o futuro de seus alunos. Para tal, no entanto, Owura precisa superar um nada mero detalhe: a escola não possui computadores; ele os ensina a usar o Word em uma lousa, na qual desenha com detalhes a tela do computador.

Ou não possuía. A repercussão mundial da notícia – e das fotos de seu esmero e esforço para conseguir ensinar a seus alunos – fez com que a própria Microsoft fornecesse à escola os computadores necessários. Além disso, e das diversas doações particulares que o professor recebeu, a empresa o convidou a participar do evento educacional Microsoft Education Exchange, em Cingapura.

Acima, os alunos e seus novos computadores; abaixo, o professor

Agora especula-se que Owura irá receber o prêmio de Melhor Professor Nacional de Gana, ao qual já foi anteriormente indicado. O prêmio dá ao vencedor uma casa de 3 quartos.

Nada mais justo para alguém que claramente não reconhece limites diante do mais nobre objetivo que se pode imaginar: passar conhecimento aos jovens, não só sobre as matérias e temas objetivos, mas também sobre o quanto podem superar as maiores dificuldades.

 

© fotos: divulgação/fonte:via