Ele dedicou anos da vida a clicar os cenários de capas de vinis de reggae

Quando o fotógrafo francês Alex Bartsch era criança, seu pai o apresentou ao reggae de Bob Marley, o que o fez se tornar fã do gênero nascido na Jamaica. Á cerca de dez anos, Alex, que vive em Londres, começou a colecionar vinis de seus artistas preferidos.

Ao observar que a maioria dos vinis tinha locações da capital inglesa como capas, ele decidiu iniciar o projeto Covers. Alex busca a localização onde cada foto foi tirada e a retrata com o disco na frente, mostrando como os lugares mudaram (ou não).

Em entrevista, Alex explica que a ajuda de fotógrafos, artistas e produtores dos álbuns foi fundamental para o desenvolvimento do projeto. Em alguns casos, as informações no encarte do disco eram suficiente para ajudá-lo a fazer as buscas. Em outras vezes, ele procurava ao redor do prédio onde as gravadoras funcionavam. Mas, quando essas estratégias não funcionavam, apenas o contato com quem trabalhou nos discos era capaz de salvá-lo.

“Para minha surpresa, a maioria dos locais que eu procurei não mudaram muito. Mas há outros que desapareceram e alguns que eu não consegui encontrar. Talvez eles tenham sido substituídos por prédios ou supermercados e simplesmente sumiram”, conta.

 

Fotos: Alex Bartsch /fonte:[via]

Anúncios

Garoto 13 anos descobre tesouro de rei dinamarquês incluindo martelo de Thor

Pesquisadores descobriram centenas de moedas, anéis, pérolas e pulseiras de prata de 1.000 anos de idade, ligadas à era do rei dinamarquês Harald Gormsson, na ilha de Ruegen, no leste da Alemanha.O achado só foi possível graças a dois arqueólogos amadores – René Schön e seu estudante Luca Malaschnitschenko, de apenas 13 anos – que vasculharam a ilha de Ruegen usando detectores de metal.

Inicialmente, uma única moeda de prata foi encontrada por Luca, perto da vila de Schaprode, em janeiro.Ao se dar conta do que possuía em mãos, a dupla então entrou em contato com o departamento de arqueologia local, que finalmente conseguiu desenterrar todo o tesouro em abril.

A surpresa

O garoto de 13 anos, à primeira vista, pensou ter detectado apenas lixo de alumínio. Depois de limpar a descoberta, no entanto, ele e seu professor verificaram que se tratava de uma moeda do século 10 pertencente a um rei dinamarquês.

Schön e Malaschnitschenko foram convidados a participar da escavação final do tesouro, que abrangeu 400 metros quadrados.O tesouro inclui pérolas, joias, um martelo de Thor e cerca de 100 moedas de prata, sendo que as mais antigas são datadas de 714 dC e as mais recentes de 983 dC.

Especialistas acreditam que a coleção pertencia a Harald Gormsson, também chamado de “Bluetooth”, um rei nascido viking que abandonou sua fé nórdica e trouxe o cristianismo para a Dinamarca. O local da escavação representa o maior acervo de moedas Bluetooth já descobertas na região sul do Báltico.

História

Ameaçado por uma rebelião liderada por seu filho, o rei fugiu da Dinamarca no final da década de 980, aproximadamente na mesma época que o tesouro de prata foi enterrado, refugiando-se na Pomerânia, na costa sul do Mar Báltico. Foi ali que Bluetooth morreu, em 987 dC.

Seu apelido deriva de um dente morto que o rei possuía, que adquiriu uma cor azulada (em português, “bluetooth” significa “dente azul”).

Hoje, seu legado vive na tecnologia Bluetooth sueca que leva seu nome. Até seu símbolo usa os caracteres rúnicos para suas iniciais: HB. A Ericsson decidiu nomear a tecnologia, desenvolvida para conectar dispositivos, em homenagem ao rei por conta de sua capacidade de unir a antiga Escandinávia.

Ele foi um dos últimos reis vikings do que hoje é a Dinamarca, o norte da Alemanha, o sul da Suécia e partes da Noruega.

fonte:[via][WashingtonPost, MentalFloss]

Shopping abriga animais de rua para que eles não passem frio durante a noite

Apesar do clima quente que marca a primavera e o verão na cidade de Istambul, a capital da Turquia pode enfrentar frios inclementes no inverno, muitas vezes com nevascas ocasionais e temperaturas abaixo de zero. O inverno pode ser um perigo para quem vive na rua, e não somente as pessoas: o frio é uma ameaça à vida de animais de rua. Para ajudar os bichinhos a enfrentarem as noites geladas do inverno turco, um shopping na cidade decidiu que o horário em que o shopping fecha para pessoas é também o horário em que ele abre para esses animais.

A iniciativa do Atrium Mall, em Istambul, começou em 2017, após uma forte nevasca atingir a região no mês de janeiro. Desde então, ao longo do inverno, o shopping permite que animais de rua durmam e passem a noite no local, a fim de se protegerem do frio, de se esquentarem e se alimentarem.

Sim, pois a iniciativa é realizada com muito trabalho voluntário, trazendo cobertores, brinquedos, água e comida para os animais. O piso do shopping costuma ser forrado de papelão, para que os bichos não precisem se deitar diretamente no chão frio. São muitos os locais do Brasil que, apesar do clima tropical do país, também possuem invernos gelados – e que poderiam se inspirar no Atrium Mall para ajudar animais e pessoas em situação de rua nas noites de frio.

 

© fotos: reprodução/fonte:[via]

Vídeo: “vulcão” de morcegos entrar em erupção no México

No sul do México, próximo à Reserva da Biosfera de Calakmul, existe um lugar chamado pelos habitantes locais de “Volcán de los Murciélagos” (em tradução livre, “Vulcão dos Morcegos”).

Não há vulcões reais na área. De onde vem esse nome, então?

Surpreendentemente, de uma caverna de calcário profunda que abriga oito espécies diferentes de morcegos. Ali, vivem milhões desses animais.Todos os dias, ao anoitecer, os mamíferos “entram em erupção” como um fluxo de lava sendo expelido de um vulcão, voando no sentido horário para fora da caverna.

Vídeo

O entomologista e apresentador de TV Phil Torres visitou a caverna recentemente, a fim de registrar os morcegos em toda a sua glória crepuscular.Torres estava acompanhando a Rainforest Alliance, que realiza um trabalho de conservação na área. Na filmagem, em inglês, ele estima que 3,5 a 4 milhões desses animais demoram cerca de duas horas para voar do buraco profundo em direção à noite.

Ver tantos morcegos assim de uma vez é inconcebível: se você chegasse aos 90 anos tendo visto cerca de cem morcegos por dia, ainda não teria visto a mesma quantidade.Torres também explica que eles voam em sentido horário para confundir possíveis predadores em busca de uma bela refeição de morcego.

Nunca pensei que fosse achar um enxame de morcegos uma coisa linda, mas acho que você irá concordar comigo após ver esse vídeo:

 
fonte:[via] [MentalFloss]