O delicado cultivo das algas mozuku, o segredo da longevidade dos habitantes de Okinawa

Na culinária japonesa há sempre segredos milenares devidamente guardados, tanto em termos de sabores refinados e novos quanto nas benesses para a saúde que esses alimentos podem oferecer. O último tesouro revelado diretamente do fundo dos mares da ilha de Okinawa é uma alga marinha chamada mozuku. Plena em benefícios para a saúde e bastante utilizada na culinária japonesa tradicional – tida como um dos segredos da longevidade dos moradores da ilha – dentre muitas a mozuku possui uma peculiaridade em sua colheita: ela precisa ser aspirada do fundo do mar.

A alga é plantada em redes no fundo dos mares rasos, limpos e de clima temperado da ilha de Okinawa – o único lugar do mundo onde a mozuku é cultivada. As técnicas de cultivo e de colheita com um gigante aspirador aquático foram desenvolvidas há 50 anos, e se caracteriza por ser sustentável, e não criar nenhum lixo em excesso. Cultivada em uma área rasa de 300 metros quadrados, em época de colheita é possível aspirar mais de uma tonelada de mozuku por dia.

Cheia de nutrientes, a alga, além de saborosa, possuem baixa caloria, são ricas em fibras, minerais, sódio, magnésio, potássio, iodo, ferro, zinco, diversas vitaminas, e ainda oferecem efeito antioxidante, probióticos – ajudando na digestão e na perda de peso – e ainda DHA e EPA, ácidos graxos da família ômega 3, trazendo assim melhorias para a saúde cognitiva e cardiovascular. Trata-se de um super alimento, e a única ameaça a esse tesouro é, como sempre, o ser humano.

O lixo nos mares, além de poluir a água e afetar a qualidade da alga, ainda cria uma barreira para que o sol atinja a planta, elemento fundamental para seu melhor desenvolvimento. “Não importa quais técnicas sejam desenvolvidas, se o ambiente continuar a ser poluído, a produção ficará cada vez mais difícil”, diz Tadashi Oshiro, um dos mais experientes fazendeiros marítimos de Okinawa, produtor de mozuku, e estrela do vídeo abaixo. Como em toda natureza, os tesouros estão disponíveis, para serem cultivados, aproveitados mas também cuidados – ou viveremos como o lixo que jogamos no mar.

© fotos: reprodução/divulgação/fonte:via

Anúncios

Idosa de 82 anos cria aplicativo de sucesso e vira referência no mundo da tecnologia

Não seria de impressionar que uma senhora de 82 anos estivesse em casa tricotando ou fazendo alguma tarefa mais condizente com sua idade, mas a japonesa Masako Wakamiya não é como a maioria. Há um ano, ela aprendeu a programar e criou o Hinadan, um app direcionado a terceira idade.

O Hinadan se trata de um jogo baseado no festival anual de bonecas japonesas Hina Matsuri e chegou perto de 5 estrelas na Apple App Store com 53 mil downloads em todo o mundo. O objetivo é fazer com que os jogadores organizem 12 bonecos ornamentais (representando o imperador, família e convidados do país) em uma ordem específica.

Em 2017, o governo do Japão nomeou Masako para um comitê especial sobre envelhecimento e, em abril deste ano, ela foi a oradora principal no evento “Por que as habilidades digitais são críticas para os idosos?”, realizado na sede da ONU em Nova York. Para a desenvolvedora, a resposta se resume à motivação.

Masako aprendeu a programar através de livros de programação e aprendeu a linguagem Swift da Apple com aulas com uma programadora via Facebook Messenger e Skype em seis meses. Depois de concluir o curso e consultar regularmente a professora, ela teve a ideia para criar o Hinadan.

Comemorado em 3 de março, o Hina Matsuri, um feriado conhecido por suas exibições de bonecas, que são cuidadosamente organizadas em uma série de plataformas. Reconhecendo que muitas pessoas desconhecem a colocação correta das hinas, Wakamiya criou o aplicativo, que usa um jogo peculiar para ensinar aos usuários como apresentar corretamente suas bonecas.

Desde a criação do aplicativo exclusivo, Masako frequentemente incentivou seus colegas mais velhos a se familiarizarem com a tecnologia de hoje, citando os serviços de mensagens como uma etapa introdutória de fácil utilização e como uma forma de manter contato com os membros mais jovens da família.

Durante um TEDx Talk inspirador, Masako concluiu seu discurso dirigindo-se aos membros mais antigos da audiência. “Por que não aproveitamos a vida digital?”, Perguntou ela retoricamente. “Há muitas aulas de informática por aí, então agora é a hora de fazer isso! Sua vida na velhice será enriquecida e muito energética”.

fonte:via