Ela adotou um gato em 1988 e não esperava celebrar seu aniversário 30 anos depois

Em seu aniversário de 20 anos, Michele Foster adotou o gatinho Rubble. Ela havia saído da casa dos pais há pouco tempo e achou que o animal seria uma ótima companhia.

O que a humana não esperava é que essa parceria completaria 30 anos.

Adotado em maio de 1988, Rubble acaba de completar seu 30º aniversário. O gato teve direito a uma festa surpresa ao fazer uma visita de chek up em seu veterinário, o City Vets, Exeter.

Rubble é o paciente felino mais antigo do CityVets e provavelmente o gato mais velho do Reino Unido. Nós o surpreendemos quando ele veio para uma consulta de rotina com um balão e sua comida preferida“, escreveram os veterinários em sua página do Facebook. A publicação ainda acrescenta que, apesar de tomar remédios para a pressão, a saúde do animal é incrivelmente boa.

Embora possa ser considerado o gato mais velho ainda vivo, o recorde mundial pertence a Creme Puff, um animal nascido em 1967  e que viveu até 2005. Ao todo, ele teria vivido durante 38 anos e três dias, de acordo com a Fox News.

Fotos: SWNS /fonte:via

Marca de roupa íntima andrógina faz sucesso estrondoso sem estereótipos de gênero

É provável que muitos de vocês não aguentem mais as tais restrições de gênero. “Meninas isso. Meninos aquilo”. Vivemos no século 21 e está mais do que na hora da liberdade sexual ser desfrutada em sua plenitude.

A TomboyX, marca especializada em roupas íntimas, parece concordar. Deixando de lado conceitos ultrapassados sobre masculinidade e feminilidade, a empresa lançou uma linha de cuecas, calcinhas e sutiãs unissex. Não importa o seu sexo, mas sim se a peça lhe deixa confortável.

A ideia surgiu a partir da dificuldades das CEOs da companhia, Fran Dunaway e Naomi Gonzalez, de encontrarem roupas livres de etiquetas de gênero. A iniciativa parece ter agradado aos clientes também, pois o números os últimos cinco anos demonstram um crescimento entre 100% e 200%.

A TomboyX também defende conceitos feministas e por isso todos as vagas de emprego são preenchidas por mulheres e para a promoção das peças foram usadas modelos negras e fora dos tradicionais padrões de beleza.

Para especialistas a mudança de padrão se traduz pela perda de espaço de uma das gigantes da moda. Desde 2016 a Victoria Secret’s enfrenta dificuldades, principalmente pela insistência em sexualizar a mulher, o que não é visto com bons olhos pela nova geração. 

Fotos: Reprodução/Facebook Oficial/fonte:via