Primeira vila de casas feitas com impressão 3D está prestes a ficar pronta na Holanda

A Holanda parece estar sempre na frente quando o assunto é ter uma vida mais sustentável.

Depois de se tornar o país das bicicletas, ele também deverá abrigar a primeira vila feita apenas com casas impressas em 3D. As construções do estilo utilizam menos materiais e, portanto, tendem a ser mais ecológicas do que empreendimentos convencionais.

As moradias serão localizadas em Bosrijk, um vilarejo em Eindhoven. Inicialmente, cinco residências serão contruídas como parte de um projeto apelidado de Milestone.

Para mostrar a flexibilidade da tecnologia, cada casa será feita com um formato e tamanho diferente. Além disso, cada residência será construída após o término da anterior, de forma que os arquitetos possam aprender com os erros do processo. Estima-se que os primeiros moradores poderão se mudar para o bairro futurista já no próximo ano.

De acordo com o Ciclo Vivo, este é o primeiro programa de habitação comercial do mundo que utiliza a tecnologia de impressão de concreto em 3D. A iniciativa está sendo desenvolvida por diversas empresas em parceria com a Universidade de Tecnologia de Eindhoven e o Município de Eindhoven.

Fotos: Reprodução/fonte:via

Anúncios

Camelos podem comer cactos: vídeo

https://alfredojunior.files.wordpress.com/2012/06/camelos1.jpg

Confesso que o vídeo abaixo me deu muita aflição. Muito embora as bocas desses animais sejam adaptadas para comer coisas como cactos, não me pareceu nada agradável.

Antes de mais nada, vale lembrar que, enquanto a filmagem afirma que se trata de um camelo, o animal do vídeo pode ser um dromedário. É fácil confundi-los, uma vez que eles são similares e pertencem à mesma família. A principal diferença é que os camelos possuem duas corcovas, e os dromedários apenas uma.

De qualquer maneira, segundo os zoologistas, ambos os animais têm a capacidade de consumir alimentos espinhosos.

Isso porque possuem papilas em forma de cone dentro de suas bocas, e essas saliências são parcialmente queratinizadas. A queratina é a matéria dura da qual suas unhas são feitas. Essas papilas semirrígidas ajudam a proteger a boca dos camelos e dromedários de danos internos como arranhões e abrasões, bem como direcionam a comida para dentro do corpo dos animais.

Apetite arriscado

Conforme reportado na plataforma reddit, os animais geralmente não comem cactos como este na natureza. Em vez disso, preferem arbustos de acácia – que também são espinhosos, vale mencionar.

E, mesmo que possuam ferramentas para tal alimentação, os camelos e dromedários podem de fato sentir alguma dor ou desconforto ao comer essas coisas, já que partes das suas bocas – particularmente os lábios – são muito sensíveis, apesar das papilas protegidas.

Sendo assim, é um pouco estranho que camelos e dromedários tenham um apetite voraz por plantas espinhosas; com certeza, há algo nessas plantas que realmente os agrada para compensar o perigo.

E eles sequer são os únicos do reino animal que gostam de alimentos arriscados. Os mesmos tipos de estruturas papilares evoluíram independentemente em diferentes espécies, notavelmente dentro das bocas e gargantas das tartarugas-de-couro. As tartarugas usam essas estruturas para evitar picadas de suas presas, as águas-vivas, bem como para empurrar essa comida em direção ao seu estômago.

fonte;via[BoingBoing]