Em decisão histórica Nigéria oficializa a proibição da mutilação genital feminina

A mutilação genital feminina na Nigéria é um tema que está em voga há algum tempo. De um lado estão os defensores a manutenção de tradições. Do outro mulheres e pessoas que acreditam na importância de cessar práticas machistas.

Em meio ao cenário de debate, o presidente Goodluck Jonathan aprovou criminalização da mutilação genital feminina na Nigéria. Considerado o último ato de seu mandato, já que Jonathan foi derrotado no pleito eleitoral por Muhammadu Buhari, a lei federal representa uma mudança de postura do país da África Ocidental.

A medida, que também prevê punição aos homens que abandonarem suas mulheres e filhos, vai contribuir para a diminuição deste hábito mutilatório. De acordo com levantamento feito por entidades de defesa dos direitos humanos, a mutilação feminina atingiu 25% das mulheres nigerianas entre 15 e 49 anos. A ONU revelou em 2014 que o ato gera infertilidade, perda do prazer sexual, além de oferecer risco de morte causado por possíveis infecções.

Cercada por um debate que envolve tradição, mas também direito ao próprio corpo, a proibição da mutilação feminina traduz uma mudança oriunda do desenvolvimento social. Não se trata de um fim aos costumes tradicionais, mas de uma adequação aos tempos modernos.

“É crucial que continuemos com os esforços de mudanças de visões culturais que permitem a violência contra a mulher. Só assim esta prática agressiva terá um fim”, declarou ao The Guardian Stella Mukasa, diretora do núcleo de Gênero, Violência e Direitos do Centro de Pesquisas da Mulher.

Foto: Pixabay/fonte:via

Polícia dos EUA vira notícia ao ‘prender’ uma cachorrinha pug

Dificilmente alguma fotografia de prisioneiros, como as clássicas fotos de rosto, de frente e em perfil, com uma placa de identificação, se destacam pela fofura do detento fotografado – mas foi o que aconteceu em Cape May, na cidade de Nova Jersey, nos EUA, depois que a polícia local “prendeu” um suspeito de nove quilos e sessenta centímetros de altura. A “criminosa” atende pelo nome de Bean, e é um irresistível cãozinho da raça pug que fugiu de casa e foi encontrada solta pelas ruas da cidade. O post no facebook foi a maneira que os policiais encontraram para facilitar sua identificação.

“É isso que acontece quando você foge de casa! Ela foi capturada perambulando por jardins na avenida New Jersey“, diz o post, que foi compartilhado mais de 9 mil vezes.

Como todo suspeito detido, Bean foi fichada e passou a noite em uma cela, até que seu dono apareceu para liberá-la sob fiança – paga em biscoitos, segundo outra postagem bem-humorada da polícia de Cape May. Nos comentários, o trocadilho se fez inevitável: no lugar do “thug life” tradicional, “pug life”.

“Atualização – o dono da pug foi encontrado e ela foi liberada sob fiança” diz um dos posts. A brincadeira deu certo, e Bean voltou pra casa sã e salva. Resta agora saber se a noite no xadrez sob custódia da polícia foi o suficiente para que a cadelinha tenha tomado juízo e passe a se comportar daqui pra frente, ou se trata-se de uma rebelde, desafiando as autoridades em nome de sua liberdade.

© fotos: reprodução/fonte:via