Exposições internacionais podem desaparecer do Brasil por conta da taxas aeroportuárias

Qual a relação entre o mercado da arte e a aviação? Saiba que ela pode ser mais forte do que você imagina.

Com o reajuste das tabelas de preços para o armazenamento de mercadorias estipulado pelo governo, as concessionárias dos principais aeroportos do Brasil passaram a interpretar que obras de arte devem ser sobretaxadas.

Os aeroportos de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e Galeão (Rio de Janeiro) passam a cobrar uma taxa de 0,75% sobre o valor da obra de arte para o armazenamento desta. Antes da mudança, a cobrança consistia em R$ 0,15 por quilo de peça guardada, segundo noticiou a Folha de S. Paulo.

Os valores mudaram de acordo com a nova interopretação da tabela que detalha como deve ser feita a cobrança do armazenamento de bens. Antes, as obras eram taxadas como bens de cunho cívico-cultural. Agora, passam a pagar os mesmos valores que bens comerciais. Segundo depoimento de Fernanda Feitosa, da SP-Arte, à Gaúcha ZH, o aumento pode chegar a 10.000%.

A alteração gera um aumento de custos infundado, que pode inviabilizar futuras exposições e mostras de arte internacionais em solo brasileiro. Um quadro de Van Gogh, vendido por US$ 66 milhões, pagaria o equivalente a quase R$ 2.000 somente em custos de armazenamento, segundo a nova interpretação.

Fotos via Unsplash /fonte:via

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s