Idosas que vivem com paixão são as estrelas de campanha da Helmut Lang

A Helmut Lang quer mostrar que não há idade para gostar de se vestir com muito estilo: desafiando um dos padrões de beleza mais persistentes da indústria da moda, a nova campanha da grife é estrelada por idosas para lá de fashion.

Mulheres de idade avançada que vivem no País de Gales foram selecionadas para estrelar a campanha que mostra a linha de outono e inverno da grife austríaca. A escolha do País de Gales se deu por causa da relação de membros da produção, incluindo o diretor do ensaio, com o local.

Alexandra Leese, a fotógrafa, contou ao Independent que “quis celebrar mulheres de uma idade que costuma ser ignorada pela grande mídia”. “É importante mostrar que estilo e paixão não são exclusividades dos jovens”, completou.

Alexandra explicou ainda que o objetivo foi retratar mulheres com grandes histórias para contar, capazes de inspirar as pessoas e colocar sorrisos em seus rostos.

Um exemplo é Dilys Price (foto acima), de 86 anos, que é atual detentora do recorde de mulher mais velha a saltar de paraquedas e cujo lema é “Faça o que quiser e não sinta medo”.

Outra modelo é Puleng (foto abaixo), de 66 anos, que nasceu na África do Sul mas vive no País de Gales. Ela conheceu o marido nos anos 70, mas perdeu o contato com ele após voltar para seu país natal. Há seis anos os dois se reencontraram e têm vivido juntos na cidade galesa de Merthyr.

Imagens: Divulgação/Helmut Lang/fonte:via

Empatia é amor: Mulher já salvou 14 vidas ao espalhar bilhetes de ajuda em pontes

Muitas vezes um mínimo gesto de afeto e empatia pode ser a diferença entre a vida e a morte para quem está em desespero – pode ser a ponte da morte para a vida. Foi crendo em estender essa ponte que a inglesa Lisa Barnes criou a campanha “Bridge the Gap”, na qual ela espalha bilhetes feitos à mão em pontes da cidade de Manchester, onde vive, das quais diversas pessoas já se atiraram ao suicídio. A própria Lisa cria as frases, plastifica os bilhetes e os coloca em locais específicos das pontes.

Segundo Lisa, através das mensagens que já recebeu com sua ação ela contabilizou que 14 pessoas desistiram de se suicidar ao encontrar seus bilhetes. “É ok pedir ajuda”, “Você é incrível, corajoso e forte” e “O que você está pensando? Vamos conversar” são algumas das frases desenvolvidas por Lisa, que conta às vezes com a ajuda de voluntários ou policiais para espalhar os bilhetes.

O projeto nasceu depois que ela própria foi convencida a não tirar a própria vida em 2017. Desde então, seu trabalho é para ajudar pessoas na mesma situação.

Já são 22 pontes em que Lisa deixou suas mensagens. A ideia é garantir que, em um momento tão difícil, as pessoas que precisam de um sinal ou uma mensagem de carinho encontrem tais mensagens, e revejam a decisão de tirar a própria vida.

“Elas são mensagens escritas à mão, são pessoais, não é apenas uma placa que alguém doou. Quando eu escrevo os bilhetes, eu realmente acredito no que estou escrevendo e espero que as pessoas possam enxergar isso”, explicou Lisa.

Por aqui, o Centro de Valorização da Vida oferece o serviço de apoio emocional e prevenção do suicídio de forma gratuita e sigilosa, 24 horas por dia, por e-mail, telefone e chat. O telefone do CVV é 188.

© fotos: reprodução/fonte:via