Fotógrafa transforma piscina e nadadoras em arte surrealista com pitada de Wes Anderson

Os fotógrafos costumam se especializar em um tipo de fotografia. Se alguns possuem um talento natural para clicar paisagens, enquanto outros preferem fazer retratos, não seria diferente com Maria Svarbova, fotógrafa baseada na Eslováquia, que é conhecida por retratar piscinas.

A artista, que gosta de fotografar espaços públicos do século 20, possui uma estima especial pela arquitetura socialista, que traz toda uma estética retrô minimalista, que se comunica muito bem com as técnicas digitais que ela usa para compor suas séries.

Misturando cores fortes e detalhes com artimanhas como clonar digitalmente o mesmo retrato em uma única composição, ela consegue criar uma arte enigmática, incomum e surrealista, algo que nos remete naturalmente à estética dos maravilhosos filmes de Wes Anderson. Não tem como ficar indiferente!

Fotos: Maria Svarbova /fonte:via

Artista brasileira ‘conserta’ cadeiras com acrílico e cria verdadeiras obras de arte

Com a enxurrada de informações e novidades que recebemos todos os dias, realidade que fica mais evidente com as redes sociais, inovar tornou-se uma tarefa muito mais complexa do que você imagina. O grande desafio dos artistas de hoje é criar algo inédito e dar novo significado às coisas, o que a artista visual Tatiane Freitas faz com maestria em sua série My Old New Chair (Minha Velha Cadeira Nova).

A brasileira – baseada em São Paulo, possui formação em Moda, pela tradicional Faculdade Santa Marcelina, onde desde o início de seus estudos prezou pelo conforto, acima de tudo. Sua série, que ainda não foi totalmente finalizada, trata-se de reparar móveis antigos, porém com um elemento novo: o acrílico, trazendo a união do velho com o novo.

Com o objetivo de criar peças que ‘conversarão’ com diferentes gerações, suportando a passagem do tempo, suas peças são uma grande metáfora daquela luta constante entre passado e futuro, memória e transformação.

Fotos: Tatiane Freitas/fonte:via