Este tatuador francês é o mestre do realismo em preto e cinza

O francês Eliot Kohek sempre gostou de desenhar, mas jamais teve educação formal ligada à arte. Nem tinha tanto interesse pela tatuagem até que, aos 19 anos, foi a um evento sobre o tema e descobriu que era aquilo que ele queria fazer pelo resto da vida.

Não demorou muito para ele se demitir do emprego e encontrar um tatuador que deixasse Eliot o observar trabalhando para pegar as manhas do negócio. Ele treinou os primeiros riscos em vários amigos que se dispuseram a ajudar, e logo se especializou no realismo feito apenas com tintas preta e cinza.

Em uma entrevista para o site francês Inkage, Eliot disse que o estilo hiper-realista o atraiu desde o início, porque é o “mais intrigante e que mais provoca reações nas pessoas”.

Ele já trabalha como tatuador há quase dez anos, e é capaz de criar obras tão incríveis que parecem que ganharão vida e saltarão da pele a qualquer momento.

Fotos: reprodução /fonte via

Maior mutirão de limpeza da história faz com que tartarugas retornem à praia após 20 anos

Ninguém gosta de praia suja, nem mesmo a vida marinha.

Entre os animais mais ameaçados por essa poluição estão as tartarugas, muitas vezes pescadas por engano em redes buscando por camarões ou prejudicadas devido à grande quantidade de plástico nos mares. Se a vida não estava fácil para estes animais, a ação de um ambientalista está mudando esse cenário e trouxe de volta as tartarugas à praia de Versova, em Mumbai (Índia).

O maior mutirão de limpeza do mundo foi organizado pelo advogado Afroz Shah. Durante 85 semanas, ele foi responsável por remover 5 milhões de quilos de plástico da praia, com a ajuda de diversos voluntários.

Em pouco mais de um ano, a costa da praia que parecia um verdadeiro lixão a céu aberto se transformou em uma bela praia. A mudança não foi sentida apenas pelos humanos: após 20 anos, tartarugas voltaram ao local para fazer seus ninhos.

Segundo o jornal The Guardian, pelo menos 80 filhotes de tartarugas foram vistos a caminho do mar em Versova. Um grupo de voluntários, incluindo o próprio Afroz, protegeu a ninhada para que elas não fossem vítimas de outros  animais durante esse percurso.

Os impactos que um mutirão de limpeza pode ter em um ambiente natural são inúmeros, Melhor do que ficar apenas observando, uma boa alternativa é organizar o seu próprio mutirão. Entre os dias 16 e 24 de setembro, a ONU Meio Ambiente promove a Semana Mares Limpos. Para auxiliar pessoas interessadas em organizar o seu próprio mutirão, a organização lançou uma cartilha disponível gratuitamente online.

Entre as indicações, estão o uso de materiais retornáveis na coleta ao invés de sacolas plásticas, bem como o contato direto com cooperativas de catadores de lixo, buscando garantir que os resíduos recolhidos receberão o tratamento adequado. Afinal, não adianta recolher o lixo da praia se ele não tiver a destinação correta, né?

Clica aqui para acessar o conteúdo na íntegra.