Primeiro grande café permanente temático da Hello Kitty é inaugurado

São poucos os ícones que resistem à prova do tempo. Entretanto, alguns personagens só ganham mais importância com o passar dos anos.

É o caso da gatinha Hello Kitty.

Criada em 1976 pela empresa Sanrio, ela acaba de ganhar um grande café temático permanente – e nós esperamos que ele seja o primeiro de muitos.

O estabelecimento está prestes a inaugurar em Irvine, Califórnia (EUA). Dia 14 de setembro as portas do espaço estarão serão abertas pela primeira vez aos fãs da personagem.

O café irá contar com dois ambientes. O primeiro deles, mais casual, será aberto ao público; enquanto o segundo espaço é um quarto rosa destinado apenas àquelas pessoas que fizerem reserva antecipadamente.

Esta segunda sala é o verdadeiro diferencial do espaço, visto que existem ainda outros cafés temáticos da personagem. A área privada fica aberta apenas de quarta a domingo e oferece a oportunidade de provar um chá da tarde (ao custo de US$ 55 por pessoa) ou alguns bons drinks à noite (apenas para maiores de 21 anos).

Com comidas temáticas que incluem de macarons com o rosto de Hello Kitty a bolos totalmente personalizados, o café já é um sucesso garantido. Na hora dos drinks, a personagem também dá as caras, adornando coquetéis mais do que instagramáveis.

Para reservar seu lugar, é só clicar aqui – ou aproveita e confere o menu do espaço neste link.

Fotos: reprodução /fonte via

São Paulo ganha escola de hortas para pessoas em situação de rua

O Brasil tem mais de 100 mil pessoas oficialmente registradas como ‘Em situação de rua’. Só em São Paulo são ao menos 15 mil. Ao mesmo tempo, há um potencial pouco explorado nas grandes cidades: a agricultura urbana é capaz de empregar pessoas e fornecer alimento de qualidade a um preço acessível para a população.

Um projeto na capital paulista que tem como objetivo unir as duas pontas acaba de ser lançado: trata-se da Horta Social Urbana, que oferece formação em agricultura urbana para pessoas em situação de rua, atendidas nos Centros Temporários de Acolhimento (CTAs) e Centros de Acolhida.

O curso, cuja primeira turma terá aulas na Horta Escola Lucy Montoro, inclui capacitações em técnicas de permacultura e agroecologia, unindo os conhecimentos mais modernos em relação à cultura de alimentos à necessidade de usar a terra de forma sustentável e maximizar o uso de recursos naturais para evitar desperdício.

Além das aulas, o projeto também prevê a criação de hortas urbanas em terrenos baldios e telhados de condomínios comerciais e residenciais, sempre de forma orgânica e gerando renda para os trabalhadores.

O programa Horta Urbana Sustentável foi proposto pelo ex-prefeito Joao Dória e segue o modelo de parceria com empresas privadas, permitindo que o projeto saia do papel sem que a prefeitura precise investir recursos próprios.

Fotos: reprodução/Prefeitura de São Paulo /fonte via