Estas 20 fotos disputam prêmio de melhor clique para o Instagram

Estima-se que 60 milhões de fotos sejam publicadas no Instagram diariamente – já são mais de 20 bilhões desde que o aplicativo foi criado. Pensando na quantidade de ótimas imagens que podem se perder em meio ao feed sempre se atualizado, uma empresa britânica resolveu criar o primeiro Prêmio de Fotografia do Instagram.

De acordo com a Photobox, que organiza o concurso, foram mais de 180 mil fotos inscritas desde julho. O processo é gratuito e obedeceu regras simples, como as imagens terem sido publicadas nos últimos 12 meses. São dez categorias diferentes, com cada vencedor embolsando 500 libras como prêmio (cerca de R$2,7 mil), além de 5 mil libras (cerca de R$27 mil) para o ganhador geral.

Os ganhadores serão anunciados no dia 3 de outubro. Enquanto isso, a organização divulgou uma https://www.pipa2018.com/shortlist/lista de finalistas, com cerca de 15 por categoria, para aguçar a curiosidade do público. Confira algumas das mais legais:

Viagem

Animais

Moda

Amor

Paisagem

Festivais

#NoFilter

Arte, Cultura e Estilo

Esporte

Família

Fotos: Divulgação/Photobox /fonte via

Eles descobriram que compostar para os outros é uma forma de ganhar dinheiro e ajudar o planeta

Como mais da metade do lixo que produzimos em casa é orgânico, muita gente hoje em dia reaproveita esses resíduos orgânicos domésticos em composteiras, colocando em suas próprias casas as cascas de frutas e sobras de comida em uma terra com minhocas que transformam esses restos em adubo. O que a empresa brasileira VideVerde faz é aplicar essa lógica em grande escala – compostando e transformando em adubo, por exemplo, os restos orgânicos dos mais de 60 restaurantes do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro.

Conduzida pelos sócios Márcio Santos e Marcos Rangel, a compostagem em escala industrial da VideVerde atende não só ao aeroporto, mas a hospitais, empresas, redes de supermercados, shoppings e até uma siderúrgica em Itaguaí, no Rio de Janeiro.

Assim, a empresa realiza em 60 dias e fechando todo o ciclo da sustentabilidade o que, em aterros convencionais (que simplesmente amontoa os materiais recicláveis e produz uma quantidade imensa de gás metano) levaria um século para ser solucionado. A empresa hoje trabalha com 35 funcionários, 10 caminhões para mais de 60 clientes em 80 pontos de coleta no Rio.

A VideVerde hoje tem capacidade para processar 1500 toneladas de resíduos orgânicos por mês, realizando justamente o ciclo completo – desde a coleta do lixo até a compostagem, produção de composto e alimentos orgânicos.

Cobrando um valor médio de R$ 400 por tonelada coletada, a empresa, sediada em Cachoeira de Macacu, no estado do Rio, é hoje uma das poucas no Brasil a realizar compostagem em escala industrial.

Diante de um problema ancestral e imenso, trata-se de uma solução ecológica, viável e até mesmo lucrativa – sem precisar, para isso, destruir o planeta.

© fotos: reprodução /fonte via