Esta ciclista quebrou incrivelmente o recorde de velocidade a alcançar quase 300 km/h

A ciclista extrema Denise Mueller-Korenek quebrou o recorde de velocidade terrestre no último domingo (16): com a ajuda de um veículo aerodinâmico, atingiu uma média de 295,96 quilômetros por hora em sua bicicleta, por uma distância de 5,6 quilômetros.

O recorde foi quebrado no deserto de sal Bonneville Salt Flats, em Utah, nos EUA.

A bicicleta que Denise utilizou para superar a marca anterior de 268 km/h fez toda a diferença: possuía aros de motocicleta de 17 polegadas e pneus de alta velocidade para ajudar a reduzir seu centro de gravidade; uma estrutura personalizada feita à mão e alongada para melhorar a estabilidade; bombas de suspensão de curta distância para ajudar a dissipar vibrações de alta velocidade; e um estabilizador de direção para minimizar a oscilação, potencialmente fatal nessas velocidades.

Sobre-humano

Sem dúvida, Denise treinou duro para garantir que estivesse à altura do desafio. Ainda assim, as leis da física, aerodinâmica e biologia impedem que um ser humano atinja tais velocidades sem uma pequena ajuda.

Durante os primeiros 2,4 quilômetros da corrida, ela foi rebocada por um dragster (um tipo de veículo leve com motores extremamente potentes, especialmente projetados para provas de arrancada) equipado com um para-brisa para eliminar qualquer resistência ao vento, uma vez que o cabo de ligação entre a bike e o veículo fosse liberado.

A superfície lisa do Bonneville Salt Flats e a configuração da bicicleta dificultam a impressão de quão rápido Denise estava realmente pedalando, mas quem sabe sua equipe poste mais vídeos em seu canal no YouTube, mostrando a corrida de outras perspectivas.

Se quiser ter uma noção basta lembrar, da próxima vez que você estiver percorrendo uma estrada a 100 quilômetros por hora, de que esse é apenas um terço da velocidade de Denise em sua bicicleta, sem a tranquilidade de um cinto de segurança e um airbag em caso de acidente.

fonte:via [Gizmodo]

Anúncios

Teia de aranha gigante de 300 metros é encontrada na Grécia

Pior que encontrar uma aranha é encontrar milhares de aranhas, certo?

Depois desses animais literalmente choverem no Peru, Panamá e Austrália, a Grécia é o mais novo palco do último espetáculo de horror aracnídeo.

Condições climáticas mais quentes levaram a formação de uma teia gigante de 300 metros na cidade de Aitoliko, cobrindo uma vasta área de vegetação.

Especialistas dizem que é um fenômeno sazonal, causado por aranhas do gênero Tetragnatha, que podem construir grandes ninhos para acasalamento.

Sem perigo

De acordo com Maria Chatzaki, professora de biologia molecular e genética na Democritus University of Thrace, na Grécia, altas temperaturas, umidade e alimento suficiente (devido a um aumento na população de mosquitos) criaram as condições ideais para as aranhas se reproduzirem em grande número.

É como se elas estivessem aproveitando essas condições e fazendo uma espécie de “festa”, onde se esbaldam e se reproduzem em massa.


“Essas aranhas não são perigosas para os seres humanos e não causam danos à flora da área. Elas farão sua festa e logo morrerão”, explicou Chatzaki ao portal Newsit.gr.

fonte:via  [BBC]