Vídeo inédito mostra Lennon e Harrison tocando juntos após fim dos Beatles

Os anos 1960 não acabaram nada bem para os Beatles. Depois de reinarem absolutos no cenário da música e da cultura, os quatro rapazes de Liverpool atravessavam uma verdadeira tormenta.

As coisas já não eram mais como antes e nem mesmo os ensaios e sintonia de outros tempos foi suficiente para impedir brigas quentes no seio do grupo mais famoso da história. Tudo começou durante as sessões de gravação do Álbum Branco, por volta de 1968. McCartney estava insatisfeito com a presença de Yoko Ono, levada por John Lennon, que de tão apaixonado, não conseguia ficar longe da amada.

Os embates eram frequentes entre os dois e sobrou inclusive para George Harrison e Ringo Starr. Durante uma sessão, diante de inúmeros desentendimentos, Harrison resolveu chamar Eric Clapton para tocar em While My Guitar Gently Weeps.

O anúncio oficial do fim do sonho foi feito por McCartney. De forma surpreendente, o baixista foi sucinto ao confirmar que estava de saída da banda. A notícia deixou Lennon revoltado, pois nos bastidores tinha sido ele o primeiro a largar o barco.

A confusão gerou processos e troca de farpas entre Lennon e McCartney. John foi bastante agressivo e em seu primeiro disco solo lançou a ácida How do You Sleep? (Como você dorme?, em português) com um desfile de críticas ao ex-amigo.

Mais de 40 anos depois, uma fato interessante surge. O canal oficial de Lennon divulgou um vídeo inédito de John e George tocando juntos na gravação da faixa. A revelação faz parte da divulgação do lançamento de Imagine – Ultimate Collection. O clipe está disponível no YouTube e vem emocionando os fãs.

Aliás, quando a poeira baixou, Paul e John fizeram as pazes antes da morte trágica de Lennon – assassinado por Mark Chapman na porta do Edifício Dakota, em Nova York. Em entrevista recente, Macca disse ter se sentido aliviado por ter aparado as arestas com o amigo antes de sua morte. O fato ficou conhecido como Lost Weekend (fim de semana perdido).

fonte:via

Anúncios

Existem 75 mil bibliotecas livres pelo mundo e isso é importante e maravilhoso

Não é preciso citar todos os benefícios que os livros trazem para nossas vidas. O mundo cada vez mais tecnológico em que vivemos não impede que os livros continuem a existir e sejam parte essencial de nossa formação enquanto cidadãos e seres humanos. Sabendo da importância e magnitude dos livros, o norte americano Todd Bol desenvolveu o projeto Little Free Libraries (pequenas bibliotecas livres), em 2009.

As bibliotecas nada mais são do que pequenas caixas, que podem ser instaladas em qualquer lugar, garantindo que todo mundo possa ter acesso a um bom livro, sem precisar pagar nada. Um projeto simples, colaborativo e de uma importância imensa, que está sendo levado para diversos países e acaba de instalar sua 75.000 biblioteca, na cidade de Jenks – Oklahoma.

Todd deu início ao projeto montando a primeira biblioteca em seu jardim e em menos de uma década, ele já se estende para 88 países ao redor do mundo, entre eles, México, Síria, China, Porto Rico, Coréia, Rússia e Irã. Qualquer pessoa pode se oferecer para ser administrador de uma biblioteca, que pode ser instalada em jardins particulares ou em algum espaço público, desde que tenha uma pessoa responsável.

O que começou com meia dúzia de livros, hoje possui uma rede imensa e estima-se que, somente neste ano, mais de 54 milhões de livros serão compartilhados. A troca que se faz entre as pessoas também é parte importante da iniciativa, que faz com que milhões de vizinhos se conheçam, estabelecendo não somente conversas relacionadas aos livros que leram, como interações humanas e relações de amizade.