Idoso ‘esquecido’ em incêndio resiste e é encontrado vivo após 5 dias

Um incêndio destruiu um complexo para idosos em Washington, nos Estados Unidos. Os bombeiros conseguiram resgatar cerca de 130 pessoas, entretanto um idoso de 74 não teve a mesma sorte.

O idoso permaneceu desaparecido por uma semana. Sem revelar a identidade, pessoas que trabalhavam no local disseram tê-lo encontrado sentado dentro de um dos quartos do Arthur Capper.

Falando em sorte, talvez ela tenha exercido um papel importante, já que o idoso só foi localizado pois, enquanto verificavam a integridade do edifício, conseguiram ouvir o homem gritar.

“Ele estava de bom humor. Quando dissemos que estávamos indo até ele, ele respondeu: ‘Não vou a lugar algum’”, revelou o engenheiro Allyn Kilsheimer à imprensa.

O paciente da casa de repouso foi levado ao hospital mais próximo para tratar ferimentos leves.

Apesar da boa notícia, o incêndio ainda está sendo investigado. Os moradores do prédio instalado em Washington reclamam de não terem ouvido nenhum alarme de incêndio. Somente depois de avisados pela Marinha norte-americana, as pessoas souberam o que se passava.

A prefeita da capital norte-americana diz que uma investigação já está apurando as circunstâncias e como um homem foi deixado para trás pelos bombeiros e pela empresa que administra do edifício.

Foto: Twitter/DC Mayor’s Office/Reprodução/fonte:via

Antes e depois: Gatos exemplificam como a tecnologia mudou nossas vidas

Não foi apenas a vida dos humanos que virou de cabeça para baixo com a chegada e o avanço das tecnologias.

Quem diria que os gatinhos também sentiriam esses efeitos?

É o que mostra essa série de imagens fofas compiladas que retratam a vida dos gatinhos antes e depois da profusão de tecnologia em nossas vidas.

Vem morrer de amores com essas imagens.

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

Créditos das fotos sob as imagens/fonte:via

Conheça o Scribit, o ‘robô grafiteiro’ que faz desenhos e decora paredes

É preciso muita convicção do que se quer fazer para pintar ou desenhar uma imagem ou um texto na parede de sua casa ou de seu negócio. E, uma vez que se começa, voltar atrás é praticamente impossível.

Quer dizer… mais ou menos por aí.

Para quem não quer passar apuros, basta utilizar o Scribit, e todos esses riscos e exigências desaparecem, e o que aparece é uma incrível ilustração feita em sua parede à perfeição e, melhor, que pode ser apagada e substituída.

O aparelho é um “robô grafiteiro”, capaz de reproduzir imagens a partir de um aplicativo em praticamente qualquer superfície vertical.

O Scribit foi inventado pelo professor da MIT Carlo Ratti, e oferece uma solução tão engenhosa e eficaz que seu projeto de financiamento coletivo no Kickstarter alcançou a meta em somente duas horas.

O Scribit é a solução perfeita para, por exemplo, um restaurante que precisa anunciar os pratos do dia, para quem quer escrever frases inspiradoras, decorar o quarto com um desenho do Van Gogh – ou um original criado por você mesmo. O robô permite apagar ou atualizar o desenho quando se quiser.

Sua tecnologia opera ao mesmo tempo com até quatro cores, e basta um par de pregos presos à parede, uma tomada e uma conexão à internet para a mágica acontecer. As superfícies mais indicadas são paredes comuns e vidros, mas o Scribit em princípio imprime sobre qualquer superfície vertical, e o robô vem com 24 cores diferentes para serem utilizadas. Para apagar ele usa o calor – fazendo a tinta simplesmente evaporar.

Não só o resultado final é incrível, mas como mostram as imagens, o próprio robô realizado o desenho já é uma atração e tanto.

A Claro tem vantagens do pré ao pós-pago. Uma rede novinha, com o 4.5G até 10x mais rápido e WhatsApp e ligações Ilimitados. E ainda Passaportes Américas Europa para navegar e falar no exterior como se estivesse no Brasil. E aí, tá dentro?

© fotos: reprodução/fonte:via

Chocante: Hóspedes racistas abandonam piscina de hotel após menina negra entrar na água

O caso de racismo envolvendo uma criança de 4 anos – vítima de discriminação em um hotel de luxo em São Paulo, é o exemplo perfeito da forma de agir deste preconceito no Brasil.

Ser negro neste país é conviver com o risco de ser ofendido por causa da cor de sua pele a qualquer momento. Não importa, seja em uma simples ida até o supermercado ou para entrar no prédio onde mora, invariavelmente olhares e cochichos emergirão.

Um relato publicado no Universa, mostra outra característica da discriminação. Algumas vezes o racismo sequer pede licença. O caso aconteceu em uma tarde do domingo ensolarada no Hotel Fasano, em Porto Feliz, cerca de 100 km da capital paulista. Ava, de 4 anos, estava acompanhada pelos pais, quando toda sorridente foi para a piscina querendo fazer amigos.

Logo de cara, foi rejeitada pelas crianças brancas. “Você não está vendo que eu estou aqui?”, indagou uma delas, mostrando que desde cedo o racismo faz parte do, digamos, plano educacional de muitas crianças caucasianas do país.  

Luzinete da Silva Leandro, de 41 anos, é uma mulher negra, que trabalha como babá com a família. Calejada e possivelmente vítima de uma imensidão de preconceitos raciais, ela logo sacou o que se passava e pediu para a garota se afastar dos pequenos racistas.

Comprovando a tese que racismo vem de berço, as mães das crianças não repreenderam seus filhos, pelo contrário, insinuaram que Ava teria ‘micose’ ou algum outro tipo de ‘doença contagiosa’. Para completar, as madames se referiram a criança como ‘esse tipo de gente’.

Uma amiga de Maria – mãe da criança, ficou com Ava na piscina. Pasmem, as outras mães pegaram seus filhos e deixaram o espaço.

“Me deu raiva, vontade de chorar, me senti humilhada. Porque é como se não fôssemos gente. Como se negros só existissem para servir seus palacetes. Jamais para dividir a piscina”, disse Luzinete.

O Fasano emitiu uma nota lamentando o ocorrido. O hotel disse ainda que ‘“repudia qualquer ato de discriminação” e “reafirma seu compromisso em defesa do respeito humano e da diversidade e se coloca à disposição das autoridades para auxiliar na elucidação dos fatos”.

É importante ser dito que o Hotel Fasano Boa Vista é um point frequentado pela elite paulista. O espaço está localizado dentro de um condomínio de alto padrão onde a amiga de Maria tem uma casa. Racismo não existe?

Fotos: Reprodução/fonte:via

Tragédia: Agrotóxico da Monsanto está exterminando as abelhas, aponta estudo

A Monsanto é uma ameaça ao meio ambiente. O Roundup, vendido pela empresa norte-americana de agrotóxicos, é responsável pelo extermínio das abelhas. Um estudo feito pela Universidade do Texas, aponta que o glifosato presente no produto está afetando o microbioma intestinal das abelhas, as deixando vulneráveis à infecções.

Os pesquisadores dizem que o agrotóxico mais usado do mundo possui um princípio ativo chamado N-(fosfonometil)glicina, que contribui para a morte das abelhas. A artigo publicado no Proceedings of National Academy of Sciences explica que, assim como em seres humanos, a saúde das abelhas depende de um ecossistema de bactérias que vivem em seu trato digestivo.

O problema é que o glifosato inibe o desenvolvimento destas bactérias, causando um desequilíbrio que reduz a capacidade do inseto de combater infecções. O princípio ativo do Roundup age ao ser absorvido pela folha das chamadas plantas de crescimento rápido, o popular mato, impossibilitando a existência destas enzimas.

“Diretrizes atuais consideram que as abelhas não são prejudicadas pelo herbicida. Nosso estudo mostra que isso não é verdade”, explica Erick Motta – estudante de pós-graduação que liderou a pesquisa, ao lado da professora Nancy Moran.

O resultado foi possível por meio da realização de testes que expuseram as abelhas a níveis encontrados em plantações e jardins. Três dias depois de serem liberadas, os pesquisadores notaram uma redução da microbiota intestinal saudável nas abelhas.

Para se ter ideia dos efeitos, das oito espécies dominantes de bactérias saudáveis, quatro foram consideradas menos abundantes. O grupo mais atingido foi o da Snodgrassella alvi.

“Estudos em humanos, abelhas e outros animais mostraram que o microbioma intestinal é uma comunidade estável que resiste à infecção por invasores oportunistas. Se você interromper a comunidade normal e estável, estará mais suscetível a essa invasão de patógenos”, conta Nancy Moran.

O estudo integra uma longa lista de acusações contra a Monsanto. Há poucos meses, a companhia especializada em agrotóxicos foi condenada na Justiça dos Estados Unidos a pagar 290 milhões de dólares a um jardineiro com câncer terminal. A decisão foi considerada história e representa uma ameaça ao modo de operação de uma das empresas mais controversas do mundo.

Fotos: Creative Commons/fonte:via

Tartaruga ganha cadeira de rodas de Lego pra se movimentar

Em julho, uma tartaruga foi encontrada com várias fraturas no casco. Depois de ser submetidas a cirurgias, o animal selvagem ganhou uma cadeira de rodas feita de blocos de Lego.

A ideia foi do veterinário Garrett Fraess, que na falta de cadeiras de rodas produzidas especialmente para tartarugas, resolveu improvisar.

Entusiasta do Lego, o profissional de saúde conta que a cadeira permitirá que o animal ande enquanto se recupera.

Neste momento, a tartaruga está em recuperação no zoológico de Maryland, nos Estados Unidos. Sua história correu o mundo e mostra que existem sim muitas possibilidades para ajudar. A previsão é que a tartaruginha ande por aí com sua cadeira de rodas de Lego durante seis meses.

Foto: Sinclair Miller/Zoológico de Maryland/Reprodução/fonte:via

Temos imagens da estação espacial de Elon Musk em Marte. E ela fica pronta em 10 anos

Painéis solares na Base Alfa de Marte (Foto: Reprodução/Twitter Elon Musk)

A exploração espacial é um dos principais projetos do bilionário Elon Musk. Através da empresa SpaceX, ele tem investido na criação de foguetes e sonha com feitos como viabilizar viagens de turismo espacial e a criação de uma base em Marte. E parece ter definido uma meta para fazer essa última acontecer.

Como já se tornou costume, Musk utilizou o Twitter para atualizar o público sobre as atividades da SpaceX. Ele publicou imagens do projeto Mars Base Alpha, literalmente a Base Alfa de Marte, e afirmou a um seguidor que ela provavelmente seria construída em 2028 (mas apagou o tweet horas depois).

Base Alfa de Marte, produzida pela SpaceX (Foto: Reprodução/Twitter Elon Musk)

Musk acredita que seria possível construir uma cidade com um milhão de habitantes num prazo entre 50 e 100 anos. A Mars Base Alpha seria o ponto de partido para enviar materiais e começar a construir a infraestrutura necessária para habitar o planeta.

O projeto de Musk inclui também a construção do BFR, ou Big Falcon Rocket (literalmente “Foguete Grande Falcão”), uma nave espacial com 40 cabines, com capacidade para 6 passageiros em cada uma. Os planos da SpaceX envolvem fazer testes em órbita até 2020, além de planejar uma viagem à Lua em 2022 e uma a Marte em 2024.

Imagens via Elon Musk/fonte:via