Cientistas fazem grande descoberta, mas causam polêmica por drogas em experimento com polvos

A revista Current Biology resolveu entender o que se passa na cabeça dos polvos. Os animais são conhecidos por serem antissociais e apenas procuram companhia para procriar.

Entretanto, o neurocientista Gul Dölen e o biólogo Eric Edsinger conseguiram descobrir uma parte mais oculta, mostrando que os polvos não são assim tão reclusos. Na verdade, eles possuem um lado sociável armazenado em seus genes.

“Acreditamos que, no caso dos polvos, era vantajoso ser associal, então esse mecanismo é suprimido, exceto quando se acasalam”, conta Dölen.

Embora a descoberta seja importante para o entendimento das mentes destes animais chamados no passado pelo filósofo australiano Peter Godfrey-Smith de a coisa “mais próxima de uma inteligência extraterrestre que podemos encontrar na Terra”, o método utilizado pelos cientistas está causando polêmica.

Para entender como a mente dessas criaturas funciona, os cientistas recorreram ao MDMA, popularmente conhecido como ecstasy. A droga é usada pelos seres humanos com frequência e ficou famosa pelos efeitos pró-sociais.

Entre pessoas, o ecstasy contribui para o aumento da serotonina, dopamina e ocitocina, produzindo a necessidade de se aproximar e interagir. Isso também aconteceu com os polvos, que ao entrar em contato com a substância diluída junto com a água do aquário, intensificaram o contato com um polvo preso dentro de uma câmara.

Os resultados geraram mais uma polêmica. Após resultados animadores, os pesquisadores pretendem utilizar polvos para testes de drogas experimentais, assim como é feito com os roedores.

Foto: Reprodução/fonte:via

Acusada de embranquecimento, Disney redesenha ‘Princesa Tiana’ em ‘Detona Ralph’

Desde a primeira aparição da Princesa Tiana em Detona Ralph, a Disney foi alvo de inúmeras críticas por causa do tom de pele mais claro e traços distante do fenótipo de uma mulher negra da personagem.  

A pressão aumentou e grupos com o Color of Change – instrumento de combate ao racismo sistêmico disseminado por muitos veículos de comunicação, a gigante do cinema mundial resolveu voltar atrás.

Segundo noticiou o The Wall Street Journal, a Disney se comprometeu em redesenhar a Princesa Tiana, desta vez com características mais próximas a de uma mulher negra. A decisão vem, sobretudo, por causa dos insistentes pedidos de Anika Noni Rose, a atriz responsável pela voz da personagem.

No Twitter, Rashad Robinson, presidente da Color of Change, comemorou a decisão. “Grande notícia. Por causa dos membros da COC (Color of Change), a Princesa Tiana vai ser redesenhada desta vez mantendo a forma original. Agora, garotas negras vão poder assistir Detona Ralph e encontrar a princesa com uma cor de pele que realmente parece com as delas”.

Na versão anterior, Tiana aparecia com a pele visivelmente embranquecida e com um cabelo mais para o cacheado. Além disso, a princesa possuía traços finos.

“Assim eu posso apresentar para as meninas (e adultos também) a importância da representatividade por meio do tom de pele, do nariz arredondado, que agora vão ser retratados com maestria no filme”, encerrou  Anika Noni Rose.

Fotos: Reprodução/fonte:via