Ilustrador francês cria série para a gente rir de nossa dependência da tecnologia

https://www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2018/09/tec24.jpg

Ela é provavelmente a primeira coisa com a qual você tem contato ao acordar, está presente em todas as refeições, deslocamentos e até mesmo quando você vai ao banheiro.

E o pior: nosso vício em tecnologia parece só aumentar.

Para rir dessa relação (ou seria adição?), o artista francês Jean Jullien cria ilustrações memoráveis que vão fazer você pensar melhor antes de checar as notificações do seu smartphone.

Natural de Nantes, na França, Jean Jullien vive hoje em Londres.

Além de lançar um olhar ácido sobre as tecnologias atuais, as ilustrações do artista também nos convidam a refletir sobre como estamos nos adaptando às mudanças do mundo.

Suas criações mais recentes podem ser acompanhadas através do Instagram, onde mais de um milhão de pessoas já seguem de perto suas obras. Posters com seus trabalhos também estão disponíveis para venda no site pessoal do artista.

Vem ver só algumas das ilustras mais emblemáticas do moço!

Fotos: Jean Jullien /fonte:via

Holandês transforma alimentos desperdiçados em incríveis salgadinhos impressos em 3D

biscoitos 3d (Foto: Divulgação)

Infelizmente, cerca de um terço da comida do mundo é perdida ou jogada fora todos os anos, o que significa que mais de 1,6 toneladas de alimentos deixam de alimentar quem precisa. Um dado triste e alarmante, que abre espaço para diferentes questionamentos. Foi com o objetivo de combater este imenso desperdício, que o holandês Van Doleweerd se uniu à empresa de tecnologia 3D China Food Company, transformando alimentos que seriam jogados no lixo, em incríveis lanches impressos em 3D.

Foi durante sua graduação de Design Industrial, na Universidade de Tecnologia de Eindhoven – Holanda, que ele começou a estudar diferentes maneiras de diminuir o desperdício, criando assim o conceito de alimento sustentável. Muitos alimentos são jogados no lixo por causa da aparência e textura, o que não é justificável, já que eles mantêm sua função primordial, que é a de nutrir.

A base para os biscoitos é feita de arroz, que existe em abundância na China e, após criar uma pasta, adiciona-se frutas e legumes desperdiçados (sem estarem contaminados), para que o biscoito ganhe cores vibrantes. Depois da pasta estar pronta, ela é inserida na impressora 3D, que fará formas geométricas comestíveis e sustentáveis, contendo até 75% de resíduos alimentares em sua composição.

https://s2.glbimg.com/kbBjrZcNHa_A4AMc6_MHNwReanQ=/620x345/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2018/10/19/3d-food-printing-china_dezeen_hero3-852x479.jpg

Porém, logo depois do biscoito ser impresso ele será completamente desidratado, para que atenda os padrões de higiene e segurança alimentar. O resultado é um salgadinho que pode ter diversas cores, sabores e, até mesmo uma versão vegana.

Fotos: Elzelinde Van Doleweerd /fonte:via