As ilustrações botânicas de antigamente que eram verdadeiras obras de arte

Se hoje o mundo conta com a ajuda da tecnologia para poder estudar e catalogar a nossa riquíssima fauna, antigamente, quando nem a fotografia havia sido inventada, eram os próprios cientistas que precisavam ilustrar seus cadernos, para registrar as diferentes espécies de plantas do mundo inteiro.

Hoje, com o microscópio podemos ver detalhes que não são vistos a olho nu e, com a ajuda de câmeras fotográficas especializadas, o trabalho fica muito mais preciso e prático, porém é inegável que as ilustrações de antigamente possuíam uma aura artística muito forte. Coloridas e ricas em cores e texturas, muitas vezes, artistas e ilustradores eram contratados para finalizar o que o cientista havia começado.

Se no passado, médicos, jardineiros, cientistas botânicos e farmacêuticos dependiam destes desenhos para trabalhar, hoje, do ponto de vista científico elas já não não mais tão relevantes. Algumas destas ilustrações já possuem mais de 300 anos, mas ela ainda podem servir de inspiração para artistas e amantes da arte, que estão em busca de uma nova técnica ou que, simplesmente querem mais cor em suas vidas.

Fotos: Wikimedia Commons/fonte:via

Anúncios

Artista une todos os planetas perfeitamente formando um novo universo incrível

Muitas pessoas se sentem atraídas pela astronomia e pelo mistério que habita fora do planeta Terra, porém o artista norte americano, Steve Gildea, conseguiu transformar sua curiosidade em arte. Misturando pintura a óleo com computação gráfica, sua mais nova série é simplesmente incrível, unindo todos os planetas de forma simétrica, formando um universo único e particular.

Ao desenvolver sua série, Planetary Suite, o artista imaginou como se todos os planetas ficassem perfeitamente alinhados, formando uma nova esfera. Para isso, ele primeiro pintou cada planeta individualmente, em telas separadas. Cada planeta é uma tela individual, medindo 6 metros de altura e pouco mais de um metro de largura.

Depois de finalizar todas as telas, ele abraçou a tecnologia e usou a computação gráfica para cortar cada um e, depois uni-los, perfeitamente alinhados, como se formassem um novo planeta, que é a junção de todos os outros. O resultado não poderia ser mais incrível!

Fotos: Steve Gildea /fonte:via