Aos 11, ela teve a perna amputada por conta de um câncer. E virou modelo 20 anos depois

A vida nunca é fácil, mas para algumas pessoas ela pode ter momentos extremamente difíceis, onde somos obrigados a tomar decisões que irão nos marcar para sempre. A norte americana Tessa Snyder, tem 29 anos e, aos 11 tomou a dura decisão de amputar sua perna inteira, para aumentar suas chances de sobreviver após um câncer. Hoje, ela é modelo e uma verdadeira inspiração para as pessoas.

Ao site Bored Panda, ela conta que começou a sentir dores na perna, no ano de 2000, mas os médicos disseram que eram dores normais de crescimento. Um dia, ela acordou e não conseguia mais dobrá-la e, foi então que, foi diagnosticada com câncer no fêmur direito.

Depois de dois meses de quimioterapia, a garota se sentia cada vez mais fraca, já havia perdido o cabelo e foi obrigada a largar a escola, pois já não tinha força para nada. A ideia de amputar a perna surgiu dos pais, ao verem que a filha não estava respondendo bem ao tratamento, que ao mesmo tempo que pode nos curar, nos enfraquece em vários outros aspectos.

Pouco tempo depois, ela teve sua perna amputada e deu início a uma nova vida. Se a adolescência já é difícil por si só, imagina para uma garotinha com uma prótese na perna? Lidar com esta nova realidade não foi fácil, mas hoje ela conta sua história com orgulho da decisão que tomou e, tem inspirado muita gente que passa por algo parecido.

Tessa hoje é casada, modelo e tem 2 filhos. Tem dias em que não quer usar a prótese, pois incomoda e muitas vezes, machuca. Quase 20 anos depois, ela aprendeu a conviver com ela, que é o que permite que ela leve uma vida normal: Mas uma coisa eu percebi é que eu não poderia continuar vivendo minha vida odiando algo que eu não poderia mudar. Minha prótese é uma parte de mim e é quem eu sou“.

Fotos: Tessa Snyder /fonte:via

Anúncios

Fã dos peixes, imperador do Japão segue publicando artigos científicos aos 84 anos

Resultado de imagem para Fã dos peixes, imperador do Japão segue publicando artigos científicos aos 84 anos

Há 28 anos que o cargo de imperador do Japão não impede que Akihito continue pesquisando e publicando artigos sobre gobis, um peixe típico das águas salobras daquela região do pacífico. Aos 84 anos e em vias de se aposentar, em abril de 2019, o imperador japonês segue investindo em sua carreira científica, como membro da Sociedade Japonesa de Ictiologia, ramo da zoologia dedicada ao estudo dos peixes.

Mesmo antes de se tornar imperador, Akihito já vinha, desde 1963, pesquisando e publicando em periódicos científicos, em especial na revista da Sociedade da qual faz parte.

Em 2016, tornou-se o primeiro autor de um estudo sobre os peixes gobi publicado na revista Gene, e suas contribuições lhe trouxeram os títulos de membro honorário da Linnean Society of London, Sociedade de Zoologia de Londres, pesquisador associado do Museu Australiano e do Instituto de Pesquisa de Ciências Naturais da Argentina.

Naturalmente que o fato do cargo de imperador do Japão ser somente simbólico e cerimonial, sem efetivo poder político, permitiu que Akihito tivesse tempo para se dedicar à sua paixão pela pesquisa e pelos peixes gobi. Mas o imperador se valeu da visibilidade do título ao longo dos anos para apontar a importância das pesquisas científicas e do conhecimento no desenvolvimento de um país – trazendo, assim, um sentido mais efetivo e importante a um cargo ilustrativo.

© fotos: reprodução/fonte:via

Menino de 6 anos ganha ensaio para para celebrar cura de câncer na cabeça

Enzo Ricardo Alves dos Santos Brito tem apenas seis anos, mas já enfrentou desafios que deixariam muita gente grande assustada.

Um tumor do tamanho de uma laranja foi descoberto na cabeça do menino em junho do ano passado. A condição levou Enzo a passar por uma cirurgia com nove horas de duração, além de 32 seções de radioterapia. Embora corresse risco de morte, o garoto venceu a doença.

Sua recuperação ocorreu sem nenhuma sequela. Moradores de Paraíso do Tocantins, Enzo e a mãe Bruna precisaram se mudar temporariamente para Barretos, onde o menino realizou o tratamento contra o tumor. O pai do garoto e seu irmão permaneceram em Tocantins durante o período. Um ano depois, a família pode enfim se reunir novamente e celebrar a vitóra de Enzo.

Bruna procurou o fotógrafo Jonathas Neles para registrar um ensaio fotográfico celebrando a cura. Emocionado com a história, o profissional decidiu não cobrar pelas fotos, presenteando Enzo com uma recordação de sua força.

Olha quanta inspiração. ❤

Fotos: Jonathas Neles /fonte:via