Golfinho ameaçado de extinção é achado desnutrido, com bico lacrado e plástico no sistema digestório

Um golfinho ameaçado de extinção foi encontrado morto com um lacre plástico que o impedia de se alimentar. A toninha (Pontoporia blainvillei), golfinho de menor porte, foi resgatada próxima à orla de Praia Grande, no litoral de São Paulo.

O Instituto de Biopesca diz que o animal já estava sem vida e com sinais de desnutrição provocados por objetos plásticos no sistema digestório. O bicho foi resgatado por um pescador, que se espantou com a toninha, um macho adulto, presa na rede que ele havia jogado ao mar.

O animal estava desnutrido e com plástico no sistema digestório

Rodrigo Vale, veterinário responsável pelo instituto, afirma que essa espécie de golfinho sofre com o risco sério de ser extinto. O animal, de acordo com ele, estava magro e não conseguia se alimentar há algum tempo. Isso em razão do lacre em forma de argola preso ao seu rosto, com estrutura parecida com um bico.

O exame necroscópico aponta que não havia nenhum tipo de alimento no sistema digestório do animal. Foram retirados apenas pedaços de plástico, o que reforça os riscos gerados pelo impacto do homem na desregulação do ecossistema marinho.  

“Tivemos [ocorrências] com diferentes espécies. O lixo é principalmente plástico, e a situação é bem preocupante”, disse ao G1.

No litoral de SP, mais de 70 animais encalham em um raio de 80 quilômetros

O próprio Biopesca, responsável por monitorar a exploração do pré-sal na Bacia de Santos, revela ter encontrado, em apenas 48 horas, 110 brinquedos e 155 óculos na orla em períodos de alta temporada.

O problema é sério e aproximadamente 70 animais encalham, muitos já mortos, em um raio de 80 quilômetros de praia em apenas quatro cidades da região do litoral paulista. No caso das tartarugas, 90% foram achadas com plástico no estômago.

Fotos: foto 1:  Kaio Nunes/Instituto Biopesca/foto 2: Vanessa Ribeiro/Instituto Biopesca fonte:via

Anúncios

Vovó de 90 anos viaja o mundo e compartilha experiências no Instagram

Esse papo de idade certa pra viajar é coisa do passado mesmo. A russa Elena Mikhailovna está aí para contar a história e comprovar que determinação e vontade de viver são elementos suficientes para desbravar o mundo.

Com 90 anos e um desejo de conhecer culturas e lugares diferentes, ela colocou a mochila nas costas, um cajado e foi atrás da realização dos sonhos. Agora, como documentar paisagens pessoas interessantes? Ora, da mesma maneira que você faz.

Mas que vovó porreta!

Vó Lena, como é carinhosamente chamada, registrou tudo usando o perfil no Instagram. Ela conta que a ideia de rodar o mundo surgiu aos 83 anos e desde então esteve na Polônia, Vietnã, Israel, Alemanha e República Tcheca.

Os custos foram cobertos com o dinheiro da aposentadoria e a venda de flores. Ela recebeu ajuda de parentes e atualmente bate cartão no aeroporto pelo menos duas vezes ao ano.

A ideia surgiu há sete anos, quando ela tinha 83

“Quero dizer a todos da minha idade: não tenham medo de viajar. É necessário e útil conhecer o mundo”, deu o tom. Vó Lena revela o que conhecidos e amigos pensam da atitude. “As meninas já estão com inveja”.

Para se inspirar diariamente, siga o perfil dela no Instagram. É uma foto mais bonita do que a outra. Viver e não ter vergonha de ser feliz é um mantra que se aplica para todas as idades. Diversidade é isso!

Fotos: Reprodução/Instagram