Retratada no filme ‘Rio’, ararinha-azul está extinta no Brasil




A organização BirdLife International revelou que de 8 aves oficialmente extintas, 4 são brasileiras.  São elas, a ararinha-azul (Cyanopsitta spixii), o limpa-folha-do-nordeste (Philydor novaesi), o trepador-do-nordeste (Cichlocolaptes mazarbarnetti) e o caburé-de-pernambuco (Glaucidium mooreorum).

O anúncio do desaparecimento da ararinha-azul causou tristeza. Talvez você não tenha se ligado, mas a ave é a estrela do filme Rio, dirigido pelo brasileiro Carlos Saldanha.

Infelizmente, a partir de agora o pássaro só vai poder ser visto com a permissão de colecionadores. Estima-se que existam entre 60 a 80 ararinhas-azuis criadas em cativeiro.

A extinção das aves se dá, sobretudo, pelo descontrole do desmatamento em áreas de preservação. A arara-azul possui cerca de 57 centímetros e uma plumagem azul. Ela era encontrada comumente no extremo norte da Bahia, mas existem relatos vindos de Pernambuco e do Piauí.

A ararinha-azul foi a estrela do filme ‘Rio’

Nem tudo é só tragédia. O desaparecimento causou comoção e o cenário desolador pode ser atenuado com a ajuda de governo internacionais. De acordo com a EBC, o ministério do meio ambiente brasileiro assinou com convênio com entidades conservacionistas de Alemanha e Bélgica. A expectativa é receber cerca de receber 50 araras-azuis até o fim do primeiro semestre de 2019. 

Foto: Flickr/Michal Plavčan/Reprodução/fonte:via

‘Para não homenagear genocida’, Los Angeles retira estátua de Cristóvão Colombo

Los Angeles resolveu encarar os atos do passado e removeu uma estátua homenageando Cristóvão Colombo. A imagem do navegador italiano estava exposta há 45 anos no Grand Park, centro da cidade norte-americana.

A decisão da retirada do monumento partiu das autoridades da cidade dos anjos e segue uma moção aprovada ano passado pedindo a substituição do Dia do Descobrimento pelo Dia dos Povos Indígenas.

Vereador eleito e membro da Nação Wyandot de índios norte-americanos, Mitch O’Farrell celebra a mudança de pensamento que gerou a remoção da estátua. Para o parlamentar trata-se de “passo natural nos avanços para eliminar a falsa narrativa de que Colombo descobriu a América. Além disso, o próprio Colombo foi responsável por genocídios e suas ações contribuíram para o maior genocídio jamais registrado. Não é preciso homenagear sua imagem em lugar nenhum”, finalizou.

A decisão incluiu ainda a exclusão do Dia do Descobrimento

Quem também enxergou com bons olhos a saída de cena do monumento em homenagem à Colombo foi a ex-secretária de Comércio dos Estados Unidos. Hilda Solís é membra do conselho do governo de Los Angeles.

“A estátua de Cristóvão Colombo reescreve um capítulo manchado da história, que carrega com um falso romantismo a expansão dos impérios europeus e a exploração dos recursos naturais e dos seres humanos”, declarou à NBC.

A ex-secretária de governo seguiu ressaltando a importância da reparação de erros cometidos no passado.

“Assim, a remoção da estátua de Colombo do Grand Park é um ato de justiça reparadora que honra e abraça o espírito resistente dos habitantes originais de nosso município. Com a sua retirada, começamos um novo capítulo em nossa história em que aprendemos com os erros do passado para que não estejamos condenados a repeti-los”.

Historiadores enxergam Colombo com um verdadeiro genocida

Por outro lado, o vereador Joe Buscaino, com ascendência italiana, não gostou nada da notícia e do cancelamento do Dia de Colombo. “Com ou sem Colombo, os italianos continuarão a celebrar seus sacrifícios e contribuições para este grande país e nossa grande cidade”, disse Buscaino.

Considerado por muitos o ‘descobridor da América’, Cristóvão Colombo, na verdade, foi responsável por um verdadeiro genocídio. A biografia Colombo – As Quatro Viagens, aponta que o Novo Mundo foi concebido debaixo de mentiras, traições e fraudes.

A biografia escrita por Laurence Bergreen revela que Colombo provocou o suicídio de mais de 50 mil nativos e mortes que podem ultrapassar as 12 milhões de pessoas.

Fotos: Reprodução/fonte:via