O encantador ensaio do gatinho que não tem olhos, mas enxerga com o coração

gatinho sem olho 10

Sabine Fallend é uma fotógrafa alemã que encontrou a melhor maneira de homenagear seu gatinho – Kazou, que não tem os dois olhos. Depois de uma grave infecção nos olhos, eles precisaram ser retirados, pois já não havia mais nada a ser feito. No entanto, Kazou, que este ano completa 5 anos, continua levando sua vida normalmente e estas fotos são a prova disso.

gatinho sem olho 1

O amor que sentimos por nossos pets é algo impossível de ser descrito, pesquisas mostram que ele é exatamente igual ao que sentimos pelos filhos. A fotógrafa conseguiu unir suas duas grandes paixões e fez uma verdadeira declaração de amor pública ao seu gatinho, que ela garante ‘enxergar’ com o coração.

gatinho sem olho 2

Carinhoso e sapeca, ele adora passear no jardim, ficar de barriga pra cima tomando sol e sair à caça de abelhas. Nada mudou. Mas o amor que um sente pelo outro, este aumenta a cada dia!

gatinho sem olho 3
gatinho sem olho 4
gatinho sem olho 5
gatinho sem olho 6
gatinho sem olho 7
gatinho sem olho 8
gatinho sem olho 9
gatinho sem olho 10

Fotos: Sabine Fallend

Anúncios

Finlândia tem ilha particular que só permite a entrada de mulheres

As vezes passar férias em um lugar onde não existam homens é tudo o que uma mulher precisa na vida e isso já é possível em grande estilo. Kristina Roth, uma empresária norte-americana, criou a SuperShe Island, uma paradisíaca ilha particular na Finlândia, na costa do Mar Báltico, onde apenas mulheres podem ir.

A ideia surgiu depois que Kristina passou vários feriados restauradores na Califórnia sem a presença masculina e percebeu que poderia ser muito mais divertido do que acompanhada.

Ela ama ambas as experiências (sozinha e acompanhada), mas descobriu que a presença masculina parece mexer com as vibrações relaxantes. “Quando há um cara fofo por perto, as mulheres imediatamente colocam o batom”, ela disse ao The Post. “A ideia [da ilha SuperShe] é, ‘ei, concentre-se em si mesma – não tente fazer com que seus hormônios interfiram’”.

Roth decidiu na Finlândia depois de se apaixonar pelo local. “Meus pais possuem uma ilha no arquipélago, e ficavam me dizendo, a ilha ao lado está à venda”, ela contou ao The Post. “Eu disse, não estou interessada, mas uma vez que vi o lugar, me apaixonei pela utopia arborizada”.

E ela a comprou. Até o momento, apenas ela e suas amigas estiveram lá, mas a partir de junho a SuperShe Island começará a funcionar.

Atividades dentro e ao redor da ilha, como trilhas, caiaque, esqui aquático, ioga e alguns cursos sobre temas como nutrição. Será uma experiência de transformação em muitos níveis, para se reinventar, trocar ideias, fazer negócios, sentir-se sexy entrando em forma e aprender um novo hobby ou dois”, conta a empresária. E nada de substâncias, a ideia é “focar na saúde e no bem-estar”.

Imagens: Reprodução