Você vai rir quando descobrir o que são estes “monstros marinhos”

No início das grandes navegações europeias muitos marinheiros morriam de medo de encontrar terríveis monstros marinhos com tentáculos gigantescos e várias cabeças. Monstros de todos os tipos eram registrados em mapas dos séculos X ao XVII, nos tempos medievais e renascentistas.

Esses monstros tinham como inspiração criaturas reais de enciclopédias ilustradas, e às vezes eram híbridos imaginários entre animais terrestres e aquáticos.

É possível que algum marinheiro que tivesse encontrado um macho jubarte pronto para acasalar tenha pensado que estava diante de um terrível tentáculo de monstro. As jubarte vivem em todos os oceanos e têm um pênis retrátil de até 3 m de comprimento. O nome oficial dos pênis de qualquer espécie de baleia é pink floyd (que não tem nada a ver com a banda de mesmo nome) justamente por sua coloração rosa.

Essa visão é rara, porque geralmente o pênis fica escondido na fenda genital dos machos. A cena pode ser vista quando há um grupo de machos perseguindo uma fêmea para acasalar. Esses machos estão em competição entre si para conseguir ser o acompanhante primário da fêmea.

Os machos costumam exibir seu pênis tanto para a fêmea-alvo quanto para machos outros. “Não está claro que função esse comportamento tem em um grupo de competição”, dizem os pesquisadores que captaram o vídeo abaixo, que mostra uma jubarte nadando com o pênis exposto:

O maior pênis do mundo


Mas o maior pênis do mundo pertence à baleia azul, que também é o maior animal que vive na Terra atualmente. Esses animais têm entre 27 e 32 m de comprimento, e seus pênis têm entre 2,4 e 3 m.

Elas também costumavam ser abundantes em todos os oceanos até o século XX, quando caçadas as colocaram na lista de animais ameaçados de extinção.

Na época de acasalamento, esses grupos que ainda vivem nos oceanos Atlântico, Pacífico, Antártico e Índico migram para águas mais quentes como Golfo do México e litoral da Costa Rica.

fonte:via [Whale Facts, Whale Facts, Pacificwhale]

Bolinhas peludas e adoráveis: vejam como eram filhotes de Tiranossauro Rex

O Tiranossauro Rex adulto pode ser imponente, mas seus filhotes são mais parecidos com adoráveis bolinhas de pelo que dá vontade de morder.

Graças a novas descobertas que estão transformando a compreensão dos cientistas deste carnívoro colossal e seus primos, os quais provavelmente também tinham penas, sabemos agora que os tiranossauros jovens eram felpudos.

A reconstrução acima faz parte de uma exposição que traz os modelos mais precisos do dinossauro até hoje.Dinossauro gigante com penas é descoberto na China

Bebê tiranossauro

A exibição “T. rex: The Ultimate Predator” foi inaugurada hoje (11 de março) no Museu Americano de História Natural em Nova York.

De acordo com o paleontólogo Mark Norell, curador da exposição, mais ou menos do tamanho de um peru muito magro, com “braços” mais longos em proporção aos seus corpos do que os adultos, cada bebê T. rex era coberto por uma camada de penas felpudas.

Essas penas provavelmente cresciam ao longo da cabeça e cauda do animal até a idade adulta. Durante o seu rápido desenvolvimento, os juvenis provavelmente adicionavam cerca de 3 kg por dia durante 13 anos.

Aos 20 anos de idade, um T. rex adulto teria 3,6 a 3,9 metros de altura no quadril, ou 12 a 13 metros do nariz à cauda, e aproximadamente 6 a 9 toneladas (5.500 a 8.000 kg) de peso.

Tiranossauros e seus “bracinhos”

Enquanto o T. rex é um dos mais icônicos, a exposição apresenta outras espécies de tiranossauros, muitas desconhecidas para a ciência até 2000.

Os primeiros desses dinossauros surgiram há cerca de 167 milhões de anos, 100 milhões de anos antes que o T. rex governasse o Cretáceo. Esses tiranossauros precoces tinham braços relativamente longos e eram menores e mais rápidos que o gigante T. rex.

Embora o T. rex seja muito conhecido por seus “bracinhos” dramaticamente subdimensionados para seu tamanho corporal, poucos dos membros desta espécie foram recuperados no registro fóssil.

Com base nos raros exemplos fósseis que os paleontologistas descobriram recentemente, pode-se concluir que os adultos tinham braços ainda menores do que foram retratados no passado.

Pequenos, mas fortes

Isso não significa que os braços do T. rex fossem fracos ou inúteis. “Eles não eram frágeis; os ossos são muito robustos, as articulações são móveis e parece que eram bem musculosos”, explica Martin Schwabacher, do Museu Americano de História Natural.

Nos filhotes, a proporção dos braços correspondia muito melhor ao tamanho do corpo, o que significa que podem ter sido capazes de usá-los para agarrar presas, como outros pequenos tiranossauros provavelmente faziam.

O adulto T. rex também pode ter usado seus braços e garras depois de derrubar uma presa com sua cabeça e mandíbula maciças. Mas com uma força de mordida estimada em 7.800 libras-força (34.500 newtons) – mais forte do que qualquer animal vivo e uma das mais fortes entre os animais extintos -, o T. rex provavelmente não precisava fazer muito com seus braços.

“Sua cabeça era adaptada para aplicar pressão até que os ossos explodissem”, esclarece Schwabacher.

fonte:via [LiveScience]