Primeiro carro voador deve ser lançado em 2025

Com o avanço veloz das tecnologias, tornou-se banal anunciar que o futuro havia finalmente chegado – e poucos símbolos do nosso imaginário significam mais e melhor essa chegada do que o sonho, nutrido por filmes, livros e desenhos animados, do carro voador. A literal corrida por lançar o primeiro carro funcional e seguro a abandonar as pistas e ganhar os céus vem se dando de forma intensa, e alguns protótipos já ganharam o noticiário por testes bem-sucedidos – nenhum, porém, com o resultado que a empresa alemã Lilium acaba de anunciar: um carro que decola verticalmente e voa a 100 km/h, e que já atravessou com sucesso uma bateria de mais de 100 testes.

O Lilium Jet

Trata-se do Lilium Jet, um veículo com autonomia anunciada de 300 quilômetros, e capaz de alcançar até 300 km/h de velocidade – e o mais importante: totalmente elétrico, sem utilizar combustíveis fósseis ou outros poluentes. Em maio desse ano os testes com o carro voador pilotado remotamente mostravam somente voos curtos, com duração de segundos em distâncias igualmente pequenas.

No novo vídeo, porém, o Lilium Jet efetivamente voa, de forma estável e segura, decolando e pousando como num filme de ficção científica.

Segundo a empresa, os planos para lançar operações com passageiros seguem dentro do esperado: a ideia é que uma frota totalmente operacional esteja funcionando em 2025. O veículo é pilotado do solo, e funcionará como uma espécie de táxi aéreo, um uber voador capaz de transportar até 5 passageiros de uma vez – redimensionando tudo que pensávamos sobre transportes de pequenas e médias distâncias.

Não se sabe se essa será a última vez que esse anúncio será feito no que diz respeito aos carros voadores, mas o fato é que nunca pareceu tanto e com tanta clareza que aquele futuro com que sonhávamos finalmente chegou.

© fotos: divulgação/reprodução/fonte:via

Mais de 20 anos após fabricação, lata de refrigerante é achada em ilha no Guarujá

O impacto da ação humana, da poluição e do despejo irregular de lixo pode ser medido na prática, com o passar do tempo – e a triste comprovação efetiva da permanência do lixo na natureza. Foi o que aconteceu com Renato Lemos Miranda em uma simples caminhada, relatada em um post no facebook. Renato percebeu uma latinha de alumínio no entorno da Ilhas das Palmas, no Guarujá: quando olhou a data de validade, descobriu com espanto: novembro de 1998.

A latinha já tinha 21 anos desde o vencimento, e além de manter as cores e a própria impressão da data de validade, a própria lata estava somente enferrujada, mas mantinha-se sólida e intacta – esperando pelos mais de 100 anos que o alumínio leva para se dissolver na natureza. “Vamos refletir nossos impactos”, diz Renato em seu post, no qual relata sua triste descoberta nas areias da praia. “Quanto tempo levaria para esta lata se desintegrar na natureza?”

“Quando peguei a lata na mão não consegui ver a data porque o fundo da lata estava muito sujo. Lavei e esfreguei com as pontas dos dedos, tomando cuidado para não arranhar, e assim pude ver a data de validade: Novembro de 1998”, conta Renato. A latinha é da marca Pop Cola, lançada pela Antarctica em 1995 – que deixou de ser fabricada em 2000. Essa não é a primeira vez que o próprio Renato encontra esse terrível símbolo da ação humana: em 2015 ele encontrou na praia de Sangava, na mesma região, uma latinha de Heineken de 1995.

A latinha que Renato já havia encontrado na região

© fotos: reprodução