Veja maior impressora 3D do mundo imprimindo barco

O UMaine Advanced Structures and Composites Center, na Universidade do Maine, recebeu três Guinness World Records. Os recordes foram conquistados por apresentar o maior protótipo de impressora 3D de polímero do mundo, o maior objeto sólido impresso em 3D e o maior barco impresso em 3D. O barco tem 25 pés (7,62 metros), pesa 5mil libras (pouco mais de 2 toneladas) e foi nomeado 3Dirigo. Sua navegabilidade foi verificada em laboratório para teste de modelos offshore.

Essa impressora 3D foi projetada para imprimir objetos de até 100 pés (30 metros) de altura e 22 pés (6 metros) de largura, podendo imprimir 500 libras (aproximadamente 226 quilogramas) por hora.  No vídeo em time-lapse é possível conferir, em menos de um minuto, o trabalho de impressão do 3Dirigo, que durou 72 horas. Fonte: UMaine VIDEO

A cerimônia de revelação do barco foi realizada na quinta-feira, com a presença de autoridades e representantes do Guinness World Records, para confirmar os três recordes.

Outras aplicações

Entre as iniciativas que serão apoiadas com o uso da impressora, está o desenvolvimento de matérias-primas de base biológica, com o uso de celulose derivada de recursos de madeira, e prototipagem rápida de aplicações civis, de defesa e de infraestrutura.

A Universidade estabeleceu parcerias para unir a expertise dos pesquisadores com a de líderes da indústria marítima, para desenvolver e comercializar a impressão 3D. O objetivo desse trabalho conjunto é beneficiar os construtores de barcos no estado do Maine. O uso de plástico com 50% de madeira na impressão, tanto de moldes quanto de partes de barcos, pode deixar a produção muito mais rápida e econômica do que com os métodos utilizados atualmente.

A impressora tem recursos de fabricação aditivos e também subtrativos de alta precisão. A UMaine ainda exibiu um abrigo de comunicação do Exército dos Estados Unidos, impresso em 3D. fonte:via[Futurism, UMaine]

Inédito: lagarta põe ovos e dá à luz na mesma ninhada

Normalmente, os animais se reproduzem ou colocando ovos ou dando à luz a filhotes, mas uma espécie de lagarto australiano aparentemente pode fazer as duas coisas na mesma gravidez.

Cientistas da Universidade de Sydney testemunharam um réptil conhecido como lagartixa-de-três-dedos (Saiphos equalis) colocar três ovos antes de dar à luz a um bebê vivo, um evento que nunca havia sido observado em nenhuma espécie de vertebrado antes.

Lagarto flexível

Se houvesse qualquer animal capaz desse truque, seria a lagartixa-de-três-dedos. Encontrada ao longo da costa leste da Austrália, este pequeno réptil pertence a um grupo raro de espécies “bimodalmente reprodutivas”. Isso significa que alguns membros da espécie põem ovos, enquanto outros dão à luz a filhotes vivos.

Enquanto a espécie como um todo pode “escolher” entre os dois métodos, os cientistas pensavam que cada indivíduo era geneticamente predisposto a um ou outro método por toda a vida.

Agora, parece que não só as lagartas da espécie podem alternar entre os dois métodos, como podem usar ambos dentro da mesma gravidez.

“É uma descoberta muito incomum”, explicou Camilla Whittington, principal autora do novo estudo. “Estávamos estudando a genética desses lagartos quando notamos que uma das fêmeas colocou três ovos. Várias semanas depois, ela deu à luz a outro bebê. Ver esse bebê foi um momento muito emocionante”.

Em detalhes

Para investigar mais, a equipe usou um microscópio eletrônico para estudar os revestimentos dos ovos, descobrindo que eles eram mais finos do que os de lagartas normais.

Em termos de estrutura, pareciam ter uma 5 maneiras terríveis de como a natureza transforma o parto em um filme de terror.

A equipe diz que a descoberta faz dessa espécie um bom modelo para estudar a evolução da gravidez em animais.

Em termos evolutivos, a postura de ovos é o método mais antigo de reprodução, com muitas espécies desenvolvendo posteriormente a capacidade de gerar seus filhotes internamente. No entanto, a postura de ovos nunca desapareceu – ambos os métodos têm seus prós e contras.

Dúvidas

Por enquanto, a equipe ainda não tem certeza do que desencadeou essa fêmea em particular a fazer a troca, de pôr ovos a dar à luz a um filhote vivo.

“No contexto da biologia evolutiva, ser capaz de alternar entre colocar ovos e dar à luz poderia permitir que os animais façam suas melhores escolhas de acordo com as condições ambientais”, sugere Whittington.

Um artigo com a descoberta foi publicado na revista científica Biology Letters.fonte:via [NewAtlas