Foi por isso que os neandertais foram extintos, de acordo com simulação de supercomputador

Cientistas do IBS Center for Climate Physics (ICCP), um centro internacional de pesquisa climática, usaram simulações em um supercomputador para concluir que apenas a competição com os Homo sapiens poderia explicar o rápido declínio e extinção dos neandertais.

Essa era uma das hipóteses dos pesquisadores, junto com mudanças bruscas no clima glacial e o cruzamento com nossa espécie.

Um desaparecimento, várias possíveis causas

Os neandertais viveram na Eurásia por pelo menos 300 mil anos até que, cerca de 43 a 38 mil anos atrás, eles simplesmente desapareceram da face da Terra.

Os cientistas sabem que esse desaparecimento coincide com um período de flutuações climáticas rápidas, bem como com a chegada dos Homo sapiens na Europa.

No entanto, determinar quais fatores dentre todos esses era a causa principal da extinção dos neandertais se provou um desafio.

Entra o supercomputador do IBS

Os pesquisadores utilizaram o supercomputador “Aleph” do IBS para quantificar quais processos desempenharam um papel maior no declínio dos neandertais.

Os modelos matemáticos, compostos por milhares de linhas de código de computador, simularam a migração tanto dos neandertais quanto dos Homo sapiens, suas interações, o cruzamento e a competição entre as duas espécies, bem como o ambiente climático em mudança.

Tais modelos computacionais são super realistas, com os principais parâmetros obtidos a partir de simulações de dados climáticos, genéticos e demográficos.

Os resultados descreveram como os hominídeos se moveram em uma paisagem glacial levando em conta temperaturas flutuantes, padrões de chuva e de vegetação, a competição pelos mesmos recursos alimentícios e o cruzamento entre as espécies (seres humanos modernos possuem até hoje resquícios de DNA neandertal).

Conclusão

De acordo com Axel Timmermann, diretor do IBS Center for Climate Physics e membro da Universidade Nacional de Educação de Busan (Coreia do Sul), a equipe pode avaliar o impacto de cada fator através da ativação/desativação de processos diferentes, como mudanças climáticas abruptas, cruzamentos ou concorrência entre as espécies.

Ao comparar esses resultados com dados paleo-antropológicos, genéticos e arqueológicos existentes (Figura 1), os pesquisadores chegaram à conclusão de que a única explicação possível para o desaparecimento rápido dos neandertais era a competição por comida com os Homo sapiens.

Em outras palavras, os Homo sapiens tiveram vantagens significativas sobre os neandertais em termos de exploração dos recursos alimentares existentes.

Os modelos de supercomputador não mostram como isso aconteceu exatamente, mas os cientistas especulam que essas vantagens estavam associadas a melhores técnicas de caça, maior resistência a doenças e/ou maior nível de fecundidade.

Menos clima, mais competição

Segundo Timmermann, as simulações computacionais deixam claro que a competição entre espécies foi muito mais determinante para a extinção neandertal do que as mudanças climáticas.

“Os neandertais viveram na Eurásia pelos últimos 300.000 anos experimentando e se adaptando a mudanças climáticas abruptas, ainda mais dramáticas do que aquelas que ocorreram durante o tempo de seu desaparecimento. Não é por acaso que eles desapareceram exatamente na época em que os Homo sapiens começaram a se espalhar pela Europa”, argumenta.

O próximo passo da pesquisa será melhorar a performance dos modelos, a fim de incluir megafauna e mais mudanças climáticas abruptas realistas.

“Este é um novo campo de pesquisa em que os cientistas climáticos podem interagir com matemáticos, geneticistas, arqueólogos e antropólogos”, concluiu Timmermann.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Quaternary Science Reviews. fonte:via [Phys]