A contrário do que pensamos, morcegos são muito mais fofinhos do que assustadores

A organização sem fins lucrativos Bats Qld (Flying Foxes & Microbats) Inc. resgata, reabilita e libera de volta à natureza raposas-voadoras e micromorcegos no sudeste de Queensland, na Austrália.

As raposas-voadoras são morcegos do gênero Pteropus, encontrados especialmente em ilhas costeiras da África, Ásia e Oceania, enquanto os micromorcegos ou microquirópteros são morcegos da subordem Microchiroptera.

Um dos objetivos da ONG, além de tomar conta desses belos animais, é mostrar às pessoas quão inofensivos e importantes ao meio ambiente eles são – coisa que fazem muito bem com suas fotografias fofíssimas de morcegos em uma conta do Instagram.

Mitos sobre morcegos

Infelizmente, existem muitos mitos em torno desses mamíferos voadores. Por exemplo, é comum se ouvir que os morcegos são sujos. O Bats Qld rejeita imediatamente essa noção: “Os morcegos são animais muito limpos, se limpam o tempo todo”, informou um porta-voz da ONG ao Bored Panda.

Outra concepção errônea sobre os morcegos é que eles atacam pessoas. Já sentiu que um morcego estava “mergulhando” do céu em sua direção?

“Os morcegos não podem voar como pássaros, mas devem descer um pouco antes de poderem levantar voo, como um parapente. Isso costuma ser confundido com um ataque”, explicou o voluntário da Bats Qld.

Outra coisa que você provavelmente já ouviu sobre os morcegos é que eles passam doenças. “Falso, os morcegos na Austrália carregam apenas uma doença que representa risco para as pessoas, que é o lissavírus do morcego australiano. Ele é encontrado em menos de 0,01% da população de morcegos”, esclareceu o porta-voz, complementando que existe uma eficaz vacina pós-exposição.

Salvem os mamíferos voadores mais fofos do mundo!

Em outras palavras, morcegos não são nada do que se fala deles. São na verdade adoráveis (vide imagens) e muito importantes para o ecossistema.

“Os morcegos têm um papel significativo na polinização e dispersão de sementes. Por exemplo, a floresta de eucalipto da qual os coalas dependem é polinizada pelas raposas-voadoras”, contou o porta-voz.

Esses animais noturnos também contribuem para controlar as populações de insetos.

Infelizmente, essas boas ações são pouco conhecidas ou esquecidas pelos seres humanos, atualmente uma verdadeira ameaça aos morcegos.

De acordo com a ONG, os principais motivos pelos quais esses animais precisam de ajuda é arame farpado, enroscamento em redes, ataques de animais domésticos e atropelamentos. Razões maiores incluem desmatamento e perda de habitat.

É uma pena. Olhe para essas carinhas lindas. Eles não merecem serem salvos e amados? [BoredPanda]

fonte:via [BoredPanda]

Cientistas conseguem alterar algas para produzir hidrogênio

Cientistas conseguiram alterar a fotossíntese em algas com objetivo de desviar o fluxo de elétrons da assimilação de CO2 para a redução de prótons. O resultado é a alta produção sustentada de bio-hidrogênio na presença de luz.

O hidrogênio é uma alternativa promissora aos combustíveis fósseis, mas atualmente tem 90% de sua produção através da extração dos próprios combustíveis fósseis. Outras maneiras de produzi-lo são pela eletrólise da água, pela termólise ou pela reação redox. O que químicos gostariam de obter é hidrogênio em larga escala por meio de processos mais baratos.

Por isso, ter uma fonte de hidrogênio que dependa apenas de algas e da energia solar tem o potencial de ser uma alternativa sustentável. O grande desafio é que as algas, apesar de produzirem  hidrogênio naturalmente, não o produz em quantidade suficiente.

Tentativas anteriores de melhorar o processo foram bloqueadas pelo oxigênio, que inativa a produção de hidrogênio e outro processos dentro da célula ao competir por elétrons.

O novo processo promissor foi desenvolvido por Iftach Yacoby da Universidade de Tel Aviv (Israel) e por Kevin Redding da Universidade Estadual do Arizona (EUA) e suas respectivas equipes. O que eles conseguiram para superar o problema da competição por elétrons foi reposicionar a enzima natural da alga para capturar elétrons diretamente do fotossistema I antes que eles entrem no pool celular geral.

“Conseguimos descobrir que você poderia interceptar esses elétrons que vêm da fotossíntese no lugar onde eles têm a maior energia para que você consiga conduzir uma química interessante”, diz Redding.

Como produzir hidrogênio com algas

Chlamydomonas reinhardtii

O processo experimental acontece da seguinte maneira: os cientistas retiraram todo o gene estrutural da hidrogenase (psaC-hydA2) do genoma nuclear de algas verdes da espécie Chlamydomonas reinhardtii, uma alga verde unicelular móvel com 10 micrômetros de diâmetro. Esse gene é transplantado para a sequência de subunidade PsaC do fotossistema 1.

O ponto perfeito da PsaC para implantar o gene é em uma curva dessa subunidade. O psaC-hydA2 então foi colocado no genoma do cloroplasto para substituir o gene psaC endógeno. O resultado foram células de algas modificadas e capazes de produzir H2.

Este estudo pode ser a base para um futuro em que algas e luz solar serão suficientes para gerar combustível limpo. Seguimos sonhando com a era do uso total de combustíveis limpos. fonte:via [Chemistry World]