As pessoas estão ficando sem palavras ao ver estas ondas emitindo luz

Foto: Mark J Terrill/AP

Quem frequenta as parias da Califórnia, nos Estados Unidos, no período da noite tem recebido uma grata surpresa. Ondas bioluminescentes quebram diante de seus olhos cirando deslumbrantes efeitos de luz

Na costa Sul da Califórnia o evento ocorre em alguns anos. O que tem destaque neste ano é a luz especialmente brilhante, relatam moradores da região. Essa mudança pode estar relacionada com o histórico volume de chuva que atingiu a região e pode ter provocado o aumento expressivo na quantidade de algas.

Foto: Mark J Terrill/AP

O show de luzes deste ano tem significado especial para algumas pessoas, por ocorrer logo depois de começar a reabertura após quase um mês de restrições relacionadas ao controle da disseminação do novo coronavírus.

O pastor Dale Huntington falou ao The Guardian que surfa há 20 anos e nunca viu algo assim.

Os responsáveis por esse efeito neon são microscópicos fitoplânctons. Estes organismos provocam o que é conhecido como maré vermelha, por se aglomerarem na superfície da água durante o dia. Mas à noite as algas propiciam um show de luzes. Elas são mais brilhantes em águas turbulentas.

Além das ondas, um fotógrafo de Newport Beach registrou golfinhos nadando em água bioluminescente.  A quantidade de pessoas atraídas pelo espetáculo das ondas preocupou alguns moradores, pelo acúmulo de pessoas na praia nesse período em que autoridades de saúde recomendam o distanciamento social como forma de combate à disseminação da Covid-19.

Por outro lado, há quem considere o espetáculo como um alívio diante dos desafios relacionados à pandemia. Esportes no mar foram recentemente autorizadas em San Diego.

Foto: KC Alfred/ZUMA Wire/REX/Shutterstock

Causa do show de luzes

A maré vermelha é provocada pela aglomeração de dinoflagelados. Estes organismos unicelulares tem uma proteção solar que lhes confere uma cor marrom avermelhada. Em dias ensolarados o acúmulo deles na superfície marinha provoca a coloração da água que dá nome ao fenômeno. Durante a noite, quando esses fitoplânctons são agitados emitem brilho azul, como forma de evitar predadores.

O fenômeno é imprevisível e nem toda maré vermelha produz bioluminescência. De acordo com o cientista da Scripps Institution of Oceanography da Universidade da Califórnia em San Diego, Michael Latz, marés vermelhas provocadas pela Lingulodinium polyedra são conhecidas na região desde o início dos anos 1900 por cientistas da instituição.

Atualmente, eles coletam amostras para identificar mais informações sobre características genéticas e metabólicas dos organismos. A maré vermelha se estende de Baixa Califórnia até Los Angeles.

A melhor forma de ver o efeito bioluminescente é em praia escura pelo menos duas horas depois do por do sol, mas a visibilidade não é garantida. Os cientistas não sabem quanto tempo vai durar essa maré vermelha, a duração de eventos anteriores variou desde uma semana até mais de um mês. fonte:via [The GuardianUniversidade da Califórnia]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s