Nova arma de eletrochoque atinge suas vítimas a 100 metros de distância

Armas de eletrochoque são boas para imobilizar pessoas, mas precisam ser disparadas a uma distância geralmente muito curta.

Não a SPECTER (Small arms Pulsed Electronic Tetanization at Extended Range, algo como “arma pequena de tetanização eletrônica pulsada”).

Essa nova arma, sendo testada pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, pode eletrocutar um indivíduo a 100 metros de distância.

Em comparação, os tasers utilizados atualmente pelos militares e pela polícia americana possuem um alcance de apenas 8 metros.

Como funciona

O projétil, financiado pelo Departamento de Defesa dos EUA e desenvolvido pela empresa de tecnologia americana Harkind Dynamics, pode ser atirado de qualquer arma calibre 12.

Dentro de um metro do alvo, o SPECTER atira três dardos afiados o suficiente para perfurar roupas. Os eletrodos podem continuar eletrocutando o indivíduo enquanto detectarem movimento.

Para evitar impactos perigosos, a companhia adicionou um “paraquedas” minúsculo ao design do projétil, que é implantado logo antes de ele atingir o alvo. Isso diminui sua velocidade pela metade.

É realmente seguro?

Armas não letais, como essa de eletrochoque, têm feito manchetes nos EUA recentemente, após alguns incidentes durantes os protestos “Black Lives Matter” (“Vidas Negras Importam”).

Balas de borracha disparadas por policiais causaram lesões nos olhos de diversos protestantes, em alguns casos permanentes.

Por hora, não está claro se o SPECTER é de fato seguro. Alguns especialistas já expressaram dúvidas, como um porta-voz da Omega Research Foundation, uma organização de segurança do Reino Unido.

“Se o paraquedas não for acionado, você corre o risco de sofrer um impacto direto com trauma contuso e possível penetração. Se [o projétil] atingir a cabeça, existe o risco de ferimentos graves ou morte”, disse à New Scientist. fonte via [FuturismNewScientist]