Manoucher Yektai: o incrível pintor abstrato iraniano que também era poeta

Enquanto era celebrado como um dos grandes nomes da action painting e da vanguardas das artes plásticas dos anos 1950 em Nova York, o artista iraniano Manoucher Yektai atuava também um poeta forte e delicado em seus versos, político e profundo, escrevendo somente em Farsi, seu idioma natal.

O pintor e escritor se dedicaria às suas duas formas de expressão artística ao longo de mais de sete décadas de seu trabalho em uma vida quase centenária dedicada às artes – das imagens pintadas e escritas.

“Blue Table” (1960)

“Blue Table” (1960)

Expressionismo abstrato 

Associado ao grupo da Escola de Nova York e do expressionismo abstrato dos EUA, seu trabalho como pintor o colocou nos braços da crítica e do público, como um dos nomes fortes da arte dos anos 50 no país. O crítico Harold Rosenberg era admirador declarado das cores fortes e pinceladas intensas que formavam suas abstrações e, depois, as naturezas mortas de seus quadros: outro fã de Yektai era o pintor estadunidense Mark Rothko.

Tomato Plant (1959)

Tomato Plant (1959)

Seus quadros eram marcados por uma espécie de “visão aérea”, pelo fato do artista costumeiramente pintá-los no chão, colocando-se de pé e sobre as telas.

Assim, em posição semelhante a que  Jackson Pollock utilizava com seu estilo gotejante, o iraniano é reconhecido também como um dos grandes nomes da action paiting, em português chamada de “Gestualismo”, forma de pintura em que o gesto do ato de pintar se imprime na tela.

Manoucher Yektai "sobrevoando" a tela com sua action painting

Manoucher Yektai “sobrevoando” a tela com sua action painting

“Striped Vase” (2002)

“Striped Vase” (2002) 

Em sua poesia, ao escrever em Farsi, Yektai se mantinha atento aos dilemas sociais e políticos do Irã, bem como às tradições e aos temas atuais, se valendo de versos narrativos que se aventuravam em traços de humor surreal e nas sintaxes medievais do idioma. Manoucher Yektai faleceu aos 97 anos em Nova York, como um dos mais interessantes e singulares artistas de seu tempo – e de todo o mundo, do Irã aos EUA.

“Strawberries” (1982)

“Strawberries” (1982)

© fotos: Manoucher Yektai/Hyperallergic/reprodução/fonte via