Família inspiradora constrói casa biossustentável com as próprias mãos em apenas 3 meses

No Mato Grosso, uma família inteira vem ressignificando a questão de moradia sustentável através de princípios da permacultura e, construiu sua casa com as próprias mãos. A casa inteira foi feita usando materiais recicláveis e possui um sistema conhecido como círculo de bananeira, do qual a água é reutilizada em pias e chuveiros e, ainda por cima, beneficia a plantação de bananas.

família bioconstrução 3

A casa, localizada em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, possui dois quartos, sala, banheiro, cozinha e sala de jantar. O aprendizado da permacultura, que não está limitada apenas ao design sustentável, mas sobretudo, à engenharia ecológica, começou há 10 anos, quando a família conheceu um grupo de argentinos e franceses. Desde então, se apaixonaram por este modelo ecológico e já construíram algumas casas através dele.

família bioconstrução 1

A primeira de todas, a Casa de Cupim, uma referência a um cupinzeiro que existia no local, hoje serve como local de separação do material industrial, que é incinerado. Os materiais orgânicos são todos devidamente separados e enviados para ser feita uma compostagem.

família bioconstrução 2

As vantagens deste tipo de construção são inúmeras. Além do custo baixíssimo, já que praticamente todos os materiais são recicláveis, ela ajuda a construir um mundo melhor, com princípios ecológicos que deixarão um legado importantíssimo na sociedade, beneficia a agricultura local, une a comunidade e, abraça a educação e a economia circular. Todos os ensinamentos que vêm sendo adquiridos há uma década são passados para a comunidade local, através de cursos e palestras.

casa de cupim

Fotos: Luana Santana / Centro América FM/fonte:via

Usando tutoriais do Youtube, casal construiu uma casa de dois andares sem experiência prévia

Foram três anos, do primeiro tijolo até os últimos retoques no acabamento, mas o casal Evandro Balmant e Ane Caroline Balmant conseguiram construir, a partir de consultas a tutoriais no YouTube, a própria casa, gastando 50% menos do que seria necessário contratando pessoas para fazer o serviço.

Os dois vivem em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba (PR), e estão morando na casa recém-construída, um sobrado de 200 metros quadrados – e ainda é preciso finalizar o andar superior.

Evandro, que é analista de sistemas, contou também com o auxílio de uma tia, técnica em edificações, e uma prima, arquiteta, para tirar o projeto do papel. O motivo da empreitada foi o orçamento curto que o casal possuía para comprar ou construir a própria casa.

Foram muitas manhãs antes do expediente e finais de semana que o casal dedicou a bater massa, empilhar tijolos e tudo mais que fosse necessário. Eles estão morando na casa há um ano e meio e, conforme o dinheiro possibilita, vão terminando de fazer o andar superior, onde ficará a suíte do casal.

O projeto custou, até agora, 150 mil reais, metade do que eles haviam orçado com arquitetos e construtoras. O pai de Evandro e um pedreiro também deram uma forcinha para que alguns detalhes pontuais não fossem prejudicados pela empreitada individual do analista de TI.

Créditos das fotos: Denis Ferreira Netto/Tribuna do Paraná

Com informações da Tribuna do Paraná /fonte:via

Vila de mini casas erguidas por voluntárias para abrigar mulheres em situação de rua

Mulheres em situação de rua ficam expostas a diversos tipos de violência. Embora em menor número, elas são mais propensas a se tornarem vítimas de estupros e agressões do que os homens.

Para auxiliar essas pessoas, um grupo de voluntárias decidiu erguer uma vila com mini-casas em Seattle. A vila ganhou o nome de Whittier Heighs e conta com 15 casinhas exclusivamente para uso de mulheres que não têm um lar.

Idealizado pelo Low Income Housing Institute (LIHI), o projeto deve oferecer moradia temporária para até 20 mulheres por vez. O ojetivo é oferecer privacidade, segurança e estabilidade para que as mulheres possam se reerguer e, com isso, consigam reestabelecer suas vidas.

Segundo uma reportagem publicada pelo ABC News, cada casa tem cerca de 9 m². As construções contam com energia elétrica e aquecimento e espera-se que as estruturas durem pelo menos oito anos.

A vila conta ainda com banheiros em uma área comum, com produtos de higiene íntima disponíveis para as moradoras. Além disso, a área é cercada, o que aumenta a segurança das mulheres que vivem no local.

A iniciativa é a primeira voltada exclusivamente para mulheres criada pelo LIHI, que espera replicar o projeto em outras localidades caso ele seja bem sucedido. A instituição desenvolve casas para beneficiários de auxílios do governo, pessoas em situação de rua e pessoas que já estiveram nessa situação no passado.

Fotos: reprodução/fonte:via

10 fotos chocantes revelam a extrema desigualdade entre ricos e pobres ‘parede com parede’

Mesmo os problemas sociais mais evidentes muitas vezes vão se tornando distantes abstrações, que podem precisar de uma ilustração gráfica e inconteste para nos despertar para sua gravidade. A desigualdade social e a pobreza não deveriam ser um desses, mas em todo caso o trabalho do fotógrafo sul-africano Johnny Miller visa justamente ilustrar, na mais crua e direta prática, tal desequilíbrio entre os mais ricos e mais pobres de uma cidade. Viajando por países diversos, como México, Índia e a própria África do Sul, Miller registra com suas fotos essa cruel divisão.

Na maior parte dos casos tal divisão é literal, feita somente por uma cerca, um muro, uma estrada ou um rio – mostrando de um lado um bairro rico e, de outro, uma região pobre. Suas fotos são feitas com drones, e vão ao alto para ver na devida perspectiva a diferença de um local para o outro, mesmo sendo vizinhos.

O projeto, intitulado Unequal Scenes (Cenas desiguais, em tradução livre) procura justamente desafiar a maneira com que naturalizamos e muitas vezes aceitamos tais desigualdades, tolerando a ideia de que pessoas tão próximas possam viver vidas tão radicalmente diferentes. Se era preciso desenhar para se entender o quão cruel a desigualdade econômica pode ser, Miller decidiu ir além – e a fotografou.

© fotos: Johnny Miller/fonte:via

Conheça as 10 casas mais desejadas do Airbnb no Brasil

A maneira como nós nos hospedamos em viagens sofreu uma profunda transformação na última década, quando passamos a utilizar plataformas de compartilhamento de casas, como é o caso do Airbnb. Esta é mais uma revolução que nasce a partir do uso da tecnologia, que nos deixou mais livres e menos dependentes de hotéis ou outras formas de hospedagem.

Além de ser mais econômico e nos dar muito mais liberdade, alugar uma casa ou, até mesmo um quarto, nos permite vivenciar a realidade do lugar em que estamos, conhecer pessoas novas e viver como um local.

Porém, com a crise econômica que o Brasil vem enfrentando e a alta do dólar – que acaba influenciando outras moedas também, viajar para o exterior está se tornando cada vez mais difícil. Por outro lado, esta é uma oportunidade de viajarmos pelo Brasil, tão imenso e variado, com paisagens e cidades para todos os gostos.

Para incentivar os brasileiros a viajarem mais pelo Brasil, a plataforma fez uma seleção das 10 casas mais desejadas do Airbnb no Brasil e temos certeza que sua mão vai coçar para fazer uma reserva para as próximas férias ou quem sabe, feriado!

Propriedade única praia particular em Florianópolis – SC

Casa na árvore em Monte Verde – MG

Casa com vista em Ubatuba – SP

Ilha privativa em Ilha Grande – RJ

Casa estilo grego de frente para o mar – Rio de Janeiro

Apto 5 Estrelas em SP

Charmoso Apto Ilhabela

Chalé acima das nuvens em Campos do Jordão – SP

Bangalô romântico com vista para o mar – Ubatuba

Home boutique chic nos Jardins – SP

Fotos: reprodução Airbnb /fonte:via

O incrível conceito de casa-submarino das Terras Altas da Escócia

Imagine uma casa projetada para trazer uma sensação de nostalgia náutica. A obra arquitetônica da Roderick James Architects foi construída em forma de submarino, com revestimento de alumínio permite que a luz banhe seu interior. Com uma visão tão esplêndida e expansiva, esta casa contemplativa é o lugar ideal para refletir e descansar.

A casa está localizada nas Terras Altas da Escócia e é impressionante. Confira as imagens:

Fotos: Roderick James Architects/reprodução/fonte:via

Por que estas casas minúsculas e esféricas podem ser o futuro da habitação

Após 25 anos trabalhando como engenheiro automotivo, Jag Virdie decidiu usar essa experiência para criações que não fossem feitas sobre rodas.

Em 2015, seu primeiro projeto de uma residência foi construído. Com ar futurista, suas casas esféricas trazem tecnologias sustentáveis e muita praticidade – apesar disso, o projeto ainda aguarda patente.

As residências projetadas pelo engenheiro ganharam o nome de The Conker. Elas são construídas completamente em Cheshire, na Inglaterra, e possuem 3,9m de diâmetro, com uma área total de 10m² de piso por esfera.

Feitas em alumínio e plástico reciclado, as casas podem ser montadas em apenas 1 dia. A construção também oferece eficiência energética, contando com um sistema de recuperação do calor que promete manter o ambiente aquecido mesmo durante o rígido inverno inglês.

São muitas as possibilidade de uso do The Conker como sugere a empresa. As esferas podem ser usadas como um espaço social, escritório, área de meditação ou mesmo uma minúscula residência – nesse caso, o projeto precisaria ser adaptado, visto que os espaços não contam com banheiro ou cozinha.

Com um custo avaliado em £ 21.000 (cerca de R$ 100 mil), a construção foi pensada principalmente para ser usada como um cômodo extra localizado na parte de fora de uma residência – o nosso famoso puxadinho.

Assim, ela ofereceria toda a comodidade de estar ao lado da casa principal, ao mesmo tempo em que funcionaria como espaço com mais privacidade para filhos adultos que vivem com a família ou mesmo para reuniões de trabalho.

Já pensou em passar um tempo numa dessas casinhas futuristas?

Olha só todas as possibilidades que elas oferecem!

Fotos: Reprodução The Conker  /fonte:via