FOTOS DO DIA

 

Home
Morning rays
Somewhere in Arizona
Obligatory fall road photo

 

 

 

Homem compra negativos desconhecidos e descobre uma das mais talentosas fotógrafas de rua do século 20

Em 2007, o corretor de imóveis e eventual historiador John Maloof estava em busca de material para compor um livro sobre bairro de Chicago Portage Park. Ele comprou em um mero leilão local uma caixa com 30 mil negativos.

Ao revelar alguns filmes descobriu que se tratavam de fotos de rua feitas nas décadas de 1950 e 60 retratando principalmente as ruas de Chicago e Nova York: crianças, cenas cotidianas e vários autorretratos. A única pista que tinha sobre a autoria daquelas imagens era um nome escrito num envelope: Vivian Maier. Sua árdua pesquisa em busca da fotógrafa misteriosa só obteve resultado em 2009, quando leu uma pequena nota no obituário publicado no Chicago Tribune. Maloof entrou em contato com os entes de Maier e descobriu que ela nascera nos Estados Unidos e passou a vida trabalhando como babá.

Provavelmente a artista não apresentou seu trabalho que produziu durante toda sua vida para ninguém. Ela os guardava junto com outros pertences em guarda-móveis da cidade, que foram abandonados com o tempo. Eles foram parar no leilão onde Maloof, por fim, comprou o restante do material, totalizando a aproximadamente 150 mil negativos.

Vivian Maier foi uma cronista de sua época e sua técnica aguçada para a fotografia continua sendo um mistério. Em 2013 foi lançado um documentário intitulado Finding Vivian Maier, onde vários especialistas discorrem sobre as obras da artista.

Foi publicado no Brasil o livro escrito por Maloof Vivian Maier – Uma fotógrafa de rua. Suas fotografias também foram exibidas por aqui durante os meses de abril e maio deste ano no MIS através da exposição O mundo revelado de Vivian Maier.

Para saber mais sobre Vivian Maier e acessar suas obras acesse o site oficial da fotógrafa.

Todas as imagens © Vivian Maier

O artista de rua que espalha “portais” coloridos pelas cidades

 

Desde 2009, o artista 1010 começou a colorir as ruas da cidade Hamburgo, na Alemanha, criando imagens que pareciam portais coloridos. A sensação é de que realmente é possível entrar nas paredes, mas tudo não passa de uma ilusão criada pelas muitas camadas de tintas de diversas cores utilizadas pelo artista na composição das imagens.

Agora, suas pinturas impressionantes já estão espalhadas por países como Alemanha, Panamá e Estados Unidos, colorindo o cenário urbano com muita criatividade. Recentemente, o artista foi convidado a expor suas criações no Hashimoto Contemporary, localizado em São Francisco. A mostra, que inclui a imagem abaixo, ganhou o nome de Limbus e já está desperando a curiosidade de quem passa pelo local.

Dá uma olhada:

limbus1

limbus8

limbus2

limbus3

limbus7

limbus6

limbus5

limbus4

limbus13

limbus12

limbus11

limbus16

limbus15

limbus14

Todas as imagens via Juxtapoz Magazine

Caça ilegal pode colocar girafas em risco de extinção

Agência espacial da Índia lançou um novo lote espetacular de imagens feitas pelo MOM – a missão Mars Orbiter – primeira sonda da Índia enviada para o Planeta Vermelho e que conseguiu alcançar a órbita há quase um ano.

Recentemente, uma caçadora criou certo alvoroço nas redes sociais ao publicar uma foto ao lado de uma girafa morta, defendendo que havia matado um animal ‘muito perigoso’. Entretanto, sabemos que apesar das girafas terem condições de fazer grande estrago em seres humanos, os ataques são extremamente raros.

Na verdade, os humanos é que podem ser perigosos para esses animais. A Lista Vermelha da União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN) não considera os seres humanos como potenciais ameaças às girafas quando leva em consideração a caça regulamentada. No entanto, é a versão ilegal desta caça, seja por alimento ou ‘troféus’, que coloca em risco esses animais. Isso porque essa modalidade acaba reduzindo o tamanho de áreas de conservação e causando colapsos populacionais.

foto:Frank Vassen
As girafas não são consideradas ameaçadas pela IUCN, mas nem tudo está tão bem para nossas amigas de pescoço comprido. Em 1999, o especialista em vida selvagem Rod East estimou que existiam 140 mil espécimes vivendo na África: hoje em dia, a estimativa caiu para 80 mil – de acordo com a Fundação de Conservação das Girafas. De acordo com uma publicação do portal ‘IFLScience’, essa queda veloz sugere que em breve esses animais podem estar risco de extinção.

Existem controvérsias em relação à moralidade das caças por diversão à girafas e outros animais. No entanto, mais importante do que esforços para banir esse tipo de prática, é necessário pelo menos regulamentar as caçadas, para que não percamos animais tão carismáticos e presentes na nossa vida – mesmo que muitos nunca tenham os visto pessoalmente.

Homem de 66 anos descobre que é mulher após visita ao médico

Uma cidadã de Hong Kong que viveu os 66 anos de sua vida como homem descobriu em uma consulta médica que na verdade é uma mulher, informa a agência AFP.

A paciente visitou os médicos para tratar de um inchaço no abdomên. Eles descobriram que o problema era provocado por um grande cisto no ovário, segundo o jornal de medicina de Hong Kong.

A condição do paciente decorre de duas raras desordens genéticas: a Síndrome de Turner, que afeta os cromossomos de mulheres e tem como efeitos infertilidade e baixa estatura, e a Hiperplasia Adrenal Congênita, que aumenta os hormônios masculinos de uma paciente e faz com que ela pareça um homem. A mulher tinha barba e um micropênis.

A paciente tem 1,37 de altura e parou de crescer aos 10 anos. Segundo médicos ouvidos pela AFP, há apenas seis casos registrados na literatura médica em que um paciente possuía as duas desordens.

Apesar do diagnóstico, ela decidiu que continuará a ser vista como um homem.

Sem-teto

Sem-teto, desabrigado ou sem-abrigo é uma pessoa que não possui moradia fixa, sendo sua residência os locais públicos de uma cidade.

É comum identificar a figura do sem-teto com a do mendigo ou do morador de rua de uma forma geral. Um sem-abrigo, pode também viver em abrigos institucionais de associações sem fins lucrativos ou instituições de solidariedade social, colocando-se frequentemente a questão da reinserção do indivíduo no mercado de trabalho. 1

Considerado como um problema social, a presença de população sem-teto ocorre em praticamente todos os países. A falta de moradia geralmente resulta de condições socioeconômicas adversas, agravadas por problemas de saúde (alcoolismo, drogadição, distúrbios psicológicos etc.) do indivíduo.Por isso eles nunca estão meramente sozinhos,veja fotos   mostrando o amor que os mendigos tem pelo seu maior amigo o cão.

Até quando o dono esta preso ele está com você.

mendigos-caes-01

mendigos-caes--27

mendigos-caes-10

mendigos-caes-6

mendigos-caes-2

mendigos-caes-12mendigos-caes-28

PIANO

Muitas vezes a reciclagem fica mais bela do que o objeto quando era usado.