Mãe Ilustra dia a dia como sua vida mudou após nascimento de filho

Ser mãe em tempo integral pode ser uma tarefa bastante solitária e desgastante. Mesmo assim, é a opção de muitas mulheres que buscam passar mais tempo com os filhos nos primeiros anos de vida – mesmo que seja necessário fazer uma pausa na carreira para isso.

Kara Western é uma destas mães.

Quando seu filho James nasceu, há pouco mais de dois anos, ela passou a desenhar algumas situações cotidianas ao lado do menino. Visitas ao médico, pequenas descobertas e momentos simples, mas que valem muito, são o tema de suas ilustrações.

Pode ser uma tarefa mundana, como lavar roupas, ou momentos emocionantes, como os primeiros passos de James, meu bebê. Eu quero colocá-los no papel para que eu possa apreciar melhor esses momentos fugazes que frequentemente deixamos passar“, escreveu ela no site Bored Panda.

Kara compartilha suas ilustrações e histórias cotidianas através do Instagram, onde já reúne mais de 2 mil seguidores.

É difícil não se identificar com cada um dos desenhos da artista. Vem ver!

Fotos por:Kara Western /fonte:via

Anúncios

Projeto artístico espalha sorrisos pelas ruas de São Paulo

Pelo quarto ano consecutivo, as ruas de São Paulo se enchem de arte com o Projeto Sorriso Para Todos, uma realização do Ministério da Cultura, com patrocínio da Colgate, através da Lei de Incentivo à Cultura e do Governo Federal.

Esta edição conta com um novo formato, com 48 ruas da cidade ambientadas com intervenções artísticas interativas, com balanços e em formato de sorrisos.

Essa não é a primeira vez que a Colgate espalha sorrisos pelo país e o Hypeness fez a cobertura das 3 edições anteriores. Se você não viu, é só clicar aqui, aqui ou aqui.

Além de apreciar as obras realizadas pelos artistas David Magila, Thiago Toes, Danilo Danone, Mao Oplês e Odirlei Regazzo, o público pode participar de uma “Batalha de Sorrisos”. Nessa competição, os artistas duelavam entre si apresentando suas técnicas e o público votava – tanto no evento, quanto no site do projeto – em suas obras preferidas e em quais regiões da cidade gostariam de vê-las. Espia só o que rolou em uma das 10 Batalhas:

As batalhas terminaram, mas as intervenções fazem parte do cotidiano da cidade desde o dia 28 de abril, data que celebra o Dia Mundial do Sorriso. A proposta é justamente usar a arte para transformar a vida das pessoas e oferecer a elas mais motivos para sorrir. Genial, né? 🙂

As obras estão espalhadas por todas as regiões de São Paulo, incluindo bairros centrais e mais afastados, reforçando a preocupação com a inclusão. Todas elas serão doadas para a cidade após o término da ação, no dia 28 de Maio.

Além disso, para amplificar seu impacto, o projeto irá realizar ações educativas em escolas de ensino público de São Paulo, bem como em uma instituição para deficientes visuais. Através destas ações, crianças e adolescentes serão levados a conhecer mais do universo da arte por meio de mediações e atividades lúdicas.

Quem visitar as esculturas tem a chance de registrar a experiência com a hashtag #SorrisoparaTodos, mas quem estiver fora da cidade também pode acompanhar no site do projeto, que conta com os endereços das instalações e demais informações (veja a localização das obras também no mapa abaixo).

O projeto Sorriso Para Todos é uma iniciativa que visa despertar o interesse pela arte e, ao mesmo tempo, estimular um momento de alegria às pessoas. Nós da Colgate acreditamos que todos merecem um futuro com motivos para sorrir e ficamos muito felizes em proporcionar uma ação tão impactante”, comenta Christopher Smiros, vice-presidente da marca.

Fotos: Divulgação/fonte:via

Nossos antepassados se relacionaram com neandertais – e há um pouco deles em cada um de nós

Encontrar os primeiros passos dados na trilha que a humanidade traçou até os dias de hoje é um dos desafios mais intrigantes da ciência. Grandes pesquisadores têm se dedicado a essa questão há séculos, e, embora ainda estejamos longe de decifrar o enigma, algumas certezas vão se confirmando. E uma delas é que os Homo Sapiens e os Neandertais fizeram sexo muito tempo atrás.

A imagem básica que se tem da evolução é aquela linha em que primatas foram se tornando bípedes até se tornarem o que conhecemos como humanos, mas a ciência sabe que se trata de um caminho muito mais complexo, com diferentes espécies se desenvolvendo e extinguindo, até que sobramos nós, os Homo sapiens.

Entre teorias descartadas e outras que continuam sendo consideradas, a mais aceita indica que o Homo Sapiens e os homens de Neandertal surgiram a partir de um ancestral comum na África, e depois seguiram caminhos distintos (Diferentemente do que algumas pessoas pensam, o Homo Sapiens não é uma evolução dos Neandertais).

Paleontologistas tentam desvendar o motivo que fez com que os neandertais tenham se extinguido, enquanto os Homo Sapiens seguem vivos até hoje – com uma população que deve ultrapassar os 10 bilhões de habitantes nas próximas décadas.

Se há algum tempo o darwinismo sugeria a hipótese de que os neandertais fossem menos desenvolvidos cognitivamente, a ideia tem caído por terra graças a achados arqueológicos que mostram que a espécie também era capaz de criar ferramentas, usar ornamentos e até de desenvolver práticas funerárias.

Como dito, a ideia mais aceita dentro da comunidade científica é a de que os Homo Sapiens e os Neandertais surgiram de um ancestral comum na África há cerca de 500 mil anos. Os neandertais teriam migrado para a Europa e continuado a evoluir por lá, depois se expandindo rumo à Ásia, enquanto os Homo Sapiens permaneceram na África por um bom tempo.

Um dos grandes desafios para quem tenta decifrar a humanidade é o fato de que nossos feitos só começaram a ser registrados há cerca de seis mil anos, o que deixa os arqueólogos e paleontólogos com um intervalo enorme a ser investigado.

E a análise do DNA de fósseis tem representado um grande salto para a ciência. E é graças à genética que podemos saber que, ao longo dos milhares de anos em que neandertais e Homo Sapiens coexistiram, eles se encontraram, se relacionaram, fizeram sexo e reproduziram.

Estima-se que os encontros eram raros, mas deixaram um traço genético que permanece presente até hoje. Todos os humanos modernos, excetuando aqueles de ancestralidade 100% africana, têm de 1% a 2% de traços genéticos de neandertais.

É difícil precisar quando essas relações aconteceram, mas os cientistas estimavam que os encontros rolaram há 50 mil anos, graças à análise do DNA de um fóssil de neandertal encontrado numa caverna na Croácia. Ele compartilhava mutações genéticas com os europeus e asiáticos de hoje.

Uma unha de neandertal encontrada na Sibéria, cuja análise genética encontrou material relacionado ao dos Homo Sapiens, mudou o paradigma científico: estima-se que o indivíduo tenha vivido há 100 mil anos, o que pode indicar que houve uma migração de Homo Sapiens muito antes do que é imaginado.

Ainda há muito mais dúvidas do que certezas, mas o avanço da ciência e da análise genética indicam que, nos próximos anos, devemos encontrar muitas outras peças do quebra-cabeças da humanidade. Inclusive que expliquem melhor o neandertal que há em cada um de nós.

Imagens: Museu de História Natural/fonte:via

Última teoria de Stephen Hawking diz que universo não é infinito

As teorias modernas a respeito do surgimento e do funcionamento do universo sugerem que sua criação se deu a partir de uma breve explosão, em uma fração de segundo após o Big Bang, a partir da qual o cosmos rapidamente se expandiu – e segue se expandindo. Esse movimento de expansão seria um evento eterno, acontecendo em distâncias incalculáveis, sendo a parte observável do universo uma mínima fração da totalidade do cosmos, onde o processo se concluiu e por isso foram formadas as estrelas, planetas e galáxias.

A última teoria publicada pelo físico inglês Stephen Hawking antes de sua morte, no entanto, contraria algumas dessas máximas – e pode alterar tudo que entendemos sobre o tema.

O estudo foi realizado por Hawking em parceria com o professor Thomas Hertog, da universidade KU Leuven, na Bélgica, e foi publicado pelo Journal of High-Energy Physics, na semana passada. Segundo o estudo, o universo seria mais simples e, especialmente, seria finito.

A pesquisa foi realizada em julho do ano passado, e publicada antes da morte de Hawking, ainda com a chancela do gênio da física e da cosmologia. Em resumo, a última teoria de Hawking e Hertog afirma que a ideia da inflação eterna está errada.

“Prevemos que o nosso universo, nas maiores escalas, é razoavelmente simples e globalmente finito. Portanto, não é uma estrutura fractal”, afirmou Hawking na pesquisa. A pesquisa ainda precisa ser confirmada em novos trabalhos, mas sugere uma redução significativa no universo e “uma categoria muito menor de possíveis universos”, afirmou Hawking. Se confirmada, a nova pesquisa terá implicações intensas sobre o paradigma do multiverso que rege os estudos cosmológicos hoje.

Hawking é um dos maiores astrofísicos da história, e Hertog recebeu, em 2014, uma bolsa de dois milhões de euros por seus anos de trabalho em cosmologia holográfica quântica.

© fotos: divulgação/fonte:via

Este é o Nappy, um banco de imagens maravilhoso com apenas negros e 100% de graça

O padrão de beleza vigente na sociedade é o de pessoas brancas e, por isso, é muito difícil propagandas de televisão e anúncios de revistas mostrarem outras etnias, sobretudo afrodescendentes, mesmo no Brasil, onde os negros representam 54% da população do país.

Obviamente, este é um problema mundial e a falta de representatividade está em todo lugar, inclusive nos bancos de imagens. Por isso foi criado o Nappy, um site com fotos em alta resolução de pessoas negras e 100% gratuito.

O Nappy foi idealizado pela SHADE, uma agência de criadores negros do Brooklyn, Nova York. As imagens mostram pessoas negras em situações cotidianas exatamente como as milhões de fotos que existem na internet ou em outros sites de imagens, só que com pessoas brancas.

Pode parecer simples encontrar fotos de pessoas digitando em um laptop, tomando café sentada em um Starbucks, namorando em um banco de praça, amamentando seu filho no sofá da sala, mas quando se tratam de pessoas negras, é praticamente impossível.

No descritivo do site, os criadores explicam isso:

“[…] se você digitar a palavra “café” no Unsplash (outro site de imagens grátis), raramente verá uma xícara de café sendo segurada por mãos pretas. É o mesmo resultado se você digitar termos como “computador” ou “viajar”. Você pode encontrar uma ou duas imagens, mas elas são muito raras. Mas os negros também bebem café, usamos computadores e certamente amamos viajar.”

Imagens: Nappy/fonte:via

Este 8 cliques nos lembram como Linda McCartney era uma fotógrafa incrível

Muito antes de se tornar a mulher de Paul McCartney – com quem permaneceria casada até o fim de sua vida, de 1968 até 1998 –, Linda McCartney era Linda Eastman, uma jovem fotógrafa que registrou com talento extraordinário o universo do qual fazia parte anos antes de conhecer o baixista dos Beatles: o mundo do Rock e da música pop.

Os maiores nomes do gênero, como Jimi Hendrix, Bob Dylan, Janis Joplin, Eric Clapton, Jim Morrison, Paul Simon, Aretha Franklin e Neil Young, entre muitos outros, posaram para as lentes de Linda. Agora, 63 de suas fotografias foram doadas para o museu V&A, em Londres.

Frequentadora assídua da cena de rock de Nova York na segunda metade dos anos 1960, Linda se tornou uma espécie de fotógrafa não-oficial de casas de show como a lendária Filmore East, na cidade – e foi assim que se tornou, por exemplo, a primeira mulher a assinar a foto de capa da revista Rolling Stone, com uma imagem de Eric Clapton em 1968, e ganhou um prêmio de melhor fotógrafa mulher dos EUA em 67 e 68.

Amiga pessoal de muitos dos maiores nomes do rock da época, foi fotografando em Londres em 1967 que Linda conheceu Paul, em uma boate. Quatro dias depois o músico a convidou para a festa de lançamento do histórico disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band – e o resto tornou-se uma longeva história de amor.

As imagens doadas ao museu percorrem um período de quatro décadas, desde os anos 1960 até os anos 1990, com imagens de grandes astros do rock ao lado de retratos bucólicos e amorosos de sua família – e até algumas de suas polaroides, reveladas ao público pela primeira vez.

“Linda McCartney era uma talentosa testemunha da cultura pop, que explorou muitos olhares criativos com sua fotografia artística. Sua câmera também capturou momentos afetuosos com sua família. Esse presente fotográfico incrível complementa a coleção do museu. Nosso maior agradecimento vai para Sir Paul McCartney e sua família por esse presente generoso e incrível” disse Martin Barnes, curador de fotografia do V&A.

Acima, Stella McCartney; abaixo, Mary McCartney

As fotos de Linda McCartney estarão expostas no novo centro de fotografias do V&A Museum, em Londres, com abertura ao público no dia 12 de outubro de 2018.

Acima, foto sem título; abaixo, a família McCartney na Escócia

© fotos: Linda McCartney/fonte:via

Cientistas se empolgam ao descobrir uma lula diferente de qualquer outra já vista

Biólogos marinhos encontraram uma lula diferente de qualquer outra que já haviam visto antes. Eles suspeitam que ela possa representar uma espécie nova para a ciência.O animal foi descoberto pela tripulação da Okeanos Explorer, uma embarcação de pesquisa da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (EUA).

Os pesquisadores avistaram a criatura sob as ondas do Golfo do México, na zona mesopelágica, a uma profundidade de cerca de 850 metros.Ela nadava em uma posição muito incomum, com os tentáculos dobrados para trás, o que parecia uma postura defensiva, mas em um nível extremo – tanto que parecia quase completamente diferente de uma típica lula.

Estranheza

Sua maneira de nadar lembrava um nautilóide, e sua coloração lembrava a de uma lula-vampira-do-inferno (um cefaloide aparentado com lulas e polvos).Por enquanto, os cientistas acreditam que pode ser uma lula misteriosa chamada Discoteuthis discus, que só é conhecida a partir de espécimes mortos e incompletos.

No entanto, porque os pesquisadores não coletaram o animal, eles não podem estabelecer isso apenas pela filmagem que fizeram. Eles não sabem o que a lula come, ou como obtém sua comida, nem a razão pela qual sua postura é tão estranha – se é camuflagem, um sinal de doença, uma maneira de otimizar a coleta de alimentos ou outra coisa.

Outras lulas foram observadas em postura semelhante, mas essa era diferente. “Era realmente extremo”, disse o biólogo Mike Vecchione à National Geographic. “Um par de tentáculos estava dobrado bem na parte de trás, outro dobrado para baixo, e um par saindo para o lado”.

A pesquisa continua

Mergulhos futuros podem revelar mais informações sobre o comportamento e as características do animal, ajudando os cientistas a identificarem a lula – se é uma espécie já conhecida pela ciência se comportando de maneira estranha, ou se é algo completamente novo.

Enquanto isso, se você quiser ver mais criaturas oceânicas intrigantes e surpreendentes, pode se inscrever no canal do Okeanos Explorer na plataforma Youtube.

fonte:[via][ScienceAlert]

10 vezes em que a arte criada ‘sem querer’ foi melhor que a arte convencional

A arte está em todos os lugares e, embora haja talento e genialidade em muitos seres humanos, as forças da natureza e, muitas vezes o próprio acaso, são rivais de muitas obras de arte produzidas de forma convencional.Para provar isso, eis uma bela compilação de obras de arte criadas pela Mãe Natureza, aquelas obras acidentais que são um resultado das leis da física, da gravidade e caprichos da luz, vento e cor.Aproveite para dar uma olhada a seu redor, você nunca sabe onde a arte acidental pode estar se escondendo!

1. Esta cerca depois de uma noite de neve em Terschelling, na Holanda

2. Este chão depois de nevar que mais parece uma pintura

3. Este gatinho deitado na frente de um vitral parecendo um personagem de Dr. Seuss

4. Uma arte de janela em forma de pássaro criado por uma pedra

5. Laranjas fotografadas através das placas de vidro de uma estufa

6. Pôr-do-sol refletido em um espelho quebrado

7. Respingos de lama na janela do carro criaram um Monet

8. Esta explosão vulcânica em uma tampa de uma lata de tinta

9. Uma estampa de árvore dentro de uma árvore

10. Casca de uma árvore com um pouco de neve parece uma pintura

Imagens: Reprodução/fonte:via

Cão abandonado por ser ‘feio’ é adotado e tem mudança de comportamento inacreditável

Beaux Tox é um Labrador Retriever que nasceu com uma deformidade facial e viveu uma vida de constante rejeição e negligência, até encontrar Jamie Hulit, sua alma gêmea.

Beaux nasceu com características únicas, resultado de ter sido esmagado no ventre de sua mãe quando ela estava grávida de mais seis filhotes. “Ele simplesmente foi empurrado para fora do caminho e formou como ele se formou”, Jamie disse ao The Dodo. Este foi apenas o começo da vida para Beaux, cuja inteligência e personalidade não foram afetadas pela deformidade.

“Por causa de sua deformidade facial, as pessoas que o estavam criando não conseguiram vendê-lo”, explicou Jamie. “Então eles o entregaram de graça.” Beaux acabou vivendo com um homem que o negligenciou e o deixou do lado de fora, sozinho, por 5 anos. Ele foi negligenciado na medida em que os grupos de resgate locais tentaram intervir, sem sucesso, e tudo o que restou de Beaux foi um animal triste, cheio de doenças e parasitas, sem o menor resquício de esperança.

Então, Jamie chegou. Jamie não se intimidou com o estado desesperado de Beaux e estava determinada a dar-lhe uma segunda chance. “Eu não me importava com o quanto ele estivesse doente”, disse ela. “Eu só não queria que ele entrasse no sistema de adoção novamente e fosse devolvido.”

“Eu queria que ele tivesse estabilidade e um lugar que ele soubesse que era sua casa. É por isso que o adotei diretamente do dono”.

Jamie podia ter empatia com Beaux, pois ela também cuidava de crianças adotivas e conhecia os sentimentos de falsa esperança e rejeição que vêm sendo transmitidos de família em família.

Agora ele se encontra como parte de uma família feliz, tornando-se um irmão mais novo para outro Retreiver chamado Riley. Eles se uniram e se tornaram melhores amigos. “Riley e Beaux absolutamente se amam”, diz Jamie sobre o par. “Eles são perfeitos um para o outro, mesmo com a diferença de idade (Beaux tem 6 e Riley, 13) e, embora Beaux aja como um cachorrinho, isso ajuda Riley a continuar jovem.”

Então tudo está bem quando acaba bem. Apesar de uma vida de dificuldades, Beaux Tox exala a alegria e a inocência de um filhote e não poderia ser mais feliz em sua nova família.

 

Imagens: Reprodução/fonte:via

Trança em forma de rosa se torna nova tendência de penteado e o Instagram está enlouquecido

Hoje em dia não é preciso ser hippie para usar tranças e nem estar prestes a ir a um festival de música para usar flores nos cabelos. A tendência de cabelo mais quente do momento são tranças organizadas de tal forma que se assemelham a uma rosa e estão tomando conta do Instagram.

O penteado criado por Alison Valsamis, cabeleireira de Fairfield, Connecticut, Estados Unidos, tem tema primaveril e pode parecer muito complexo e difícil de ser feito em casa. No entanto, felizmente para nós, Alison explicou o passo a passo em uma entrevista à Allure.

Para criar essas rosas, começo com uma pequena trança de três mechas enrolada para servir como a parte mais central”, disse ela ao site de moda e beleza. “Em seguida, eu alterno entre tranças escama de peixe e tranças comuns separadas para criar volume. Eu termino com uma trança holandesa de três mechas, apenas puxada para o lado mais externo para criar a pétala grande de uma rosa em flor.”

Parece bem simples, não é? Para um guia mais aprofundado de visual, basta conferir algumas das fotos abaixo e dar uma olhada no Instagram de Alison para se inspirar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens: Reprodução/fonte:via