Após uma vida de maus tratos, veja a felicidade deste urso ao nadar pela primeira vez

Muitos antigos costumes criados eram tão cruéis e sem sentido que com o passar dos anos foram extintos. No entanto, alguns deles sobreviveram ao tempo e duram até hoje. A antiga medicina asiática mantém muitas tradições centenárias. Uma delas é o que se acredita ser um remédio milagroso a base da bile retirada de ursos.

Os animais são mantidos em jaulas minúsculas durante toda sua vida e ainda utilizam uma espécie de colete de ferro que lembra um ‘espartilho’ que aperta e fere seu corpo, agindo como um objeto eterno de tortura.Já a retirada da bile é feita através de uma ferida que fica aberta em sua barriga em tempo integral com ajuda do colete de ferro.

Este absurdo continua acontecendo na Ásia, mas felizmente existem organizações que lutam para combater a prática. Uma delas é a Animals Asia, que trabalha ativamente para acabar com essa tortura animal. Tuffy foi um dos ursos que deu a sorte de ser encontrado pelos voluntários da ONG.

Durante toda sua vida – 9 anos – ele viveu em uma jaula numa fábrica de bile no interior do Vietnã, sendo torturado por conta de uma superstição. Um dia a Animals Asia conseguiu resgatá-lo e, depois de tratado de seus ferimentos e recuperado totalmente, Tuffy foi levado para uma reserva natural.

No vídeo abaixo, Tuffy contempla a liberdade pela primeira vez após ser resgatado e estar recuperado. É possível sentir a felicidade do animal:


Tuffy ainda enjaulado


O urso já recuperado e finalmente livre


O terrível colete que os ursos são obrigados a usar para que lhes retirem a bile


Em liberdade!


Em liberdade!


Finalmente livre!

fonte:via

Anúncios

Fotógrafa retrata a luta de seus pais contra o câncer em ensaio tocante

Em 2013, a família da fotógrafa norte-americana Nancy Borowick sofreu um baque: Seu pai, Howie, foi diagnosticado com câncer em estágio avançado, sendo que sua mãe, Laurel, já vivia com a doença fazia anos. Os dois enfrentaram o tratamento juntos, e além de cuidar dos dois, Nancy aproveitou para documentar a luta pela vida através de suas lentes.

No ano seguinte, Howie, faleceu, e em 2015 foi a vez de Laurel. Agora, a fotógrafa lança o livro “The Family Imprint – A Daughter’s Portrait of Love and Loss” (algo como “Impressão Familiar – Retratos de Amor e Perda por uma Filha”), que a ajudou a lidar com as partidas.

As fotografias, sempre em preto e branco, documentam os tratamentos contra o câncer, incluindo as sessões de quimioterapia, a união da família e também os momentos felizes durante a batalha. “O câncer deu à minha família um presente duro, mas valioso: a consciência do tempo”, diz Nancy.

A jornada fotográfica acompanhou Nancy e Laurel em busca de riscar itens da lista de coisas que a mãe gostaria de fazer antes de morrer. Quando se lembra dos anos difíceis que se passaram, a fotógrafa não pensa no medo que sentia, mas nas gargalhadas que a família compartilhou, dos jantares caprichados, de danças na cozinha e de longas conversas com os parentes.

Cada um lida com seus medos, especialmente a morte, do seu próprio jeito”, escreveu Nancy. “Minha família se apoiou no bom humor para enfrentar os tempos difíceis. (…) Ao confrontar o que eu mais temia usando minha câmera como escudo, pude passar pelo trauma antecipado e realmente aproveitar o tempo que nos restava. Meus pais eram a definição de força e coragem, e ver essas imagens me lembra da importância de não deixar o medo me atrasar”, reflete.

fonte:via

Cat Parade: o festival belga dos gatos

A Cat Parade é uma espécie de ‘parada’ dedicado aos gatos, que acontece desde 1955 em Ypres, na Bélgica, com uma edição realizada a cada três anos, sendo que a próxima está prevista para 2018.

A tradição, que atrai visitantes dos quatro cantos do país, começou com uma história nada simpática, ainda na Idade Média, quando a cidade contava com uma superpopulação de gatos que começaram a ser executados pelos locais, fato que se tornou um verdadeiro ritual, já que a população passou a acreditar que os bichinhos traziam má sorte para a cidade.

Até que em 1817 aconteceu a última tentativa de assassinato, quando um gato sobreviveu e fugiu antes que pudesse ser pego novamente. Em 1938, um grupo organizou o que viria a se tornar a Cat Parade e, em 1955, o evento passou a ser tradição na cidade, com multidões indo às ruas, onde pessoas se vestem com fantasias, além de desfilarem com enormes esculturas de gatos. Um verdadeiro mini-carnaval fora do Brasil, e com temática animal. Vale a pena conhecer!

kattenstoet-ypres-16

kattenstoet-ypres-22

kattenstoet-ypres-32

kattenstoet-ypres-42

kattenstoet-ypres-56

kattenstoet-ypres-76

Imagens © Tim Dobbelaere/Rostyslav Kudlak/Cedric Dubois /fonte:via

Este apartamento com uma casinha simpática na cobertura em NY está conquistando corações

Andar pelas ruas de Nova York já é uma aventura, e reparar nas mais diversas casas e apartamentos locais é uma verdadeira atração. Mas uma casa em especial tem chamado a atenção de quem passa pelo East Village, bairro descolado de Manhattan.

O motivo? Ela fica em cima de um prédio! Isso mesmo. Ela faz parte de um apartamento de quase 300 m2, construído em 1868 e restaurado em 1980 por Henry Merwin, um escultor que adquiriu a propriedade e a manteve até falecer, em 2015.

Segundo sua esposa Gale, foi o próprio Henry que construiu a simpática casinha no topo do prédio, que serviu até mesmo de moradia para seu filho, que morou lá durante o início da juventude.

Se você se interessou, Gale pois a propriedade à venda. Mas prepare o bolso, já que ela custa nada menos do que 3,5 milhões de dólares. Mas se você estiver de passagem pela cidade, pode aproveitar para conhecê-la por fora. A casa fica na 72 East 1st Street, pertinho do bar inspirado no Tim Burton.

east-village-cottage-exterior-21

426F0A6C00000578-4705618-The_house_features_18_inch_ceilings_comes_with_two_wood_burning_-a-18_1500352680178

426F0A7000000578-4705618-The_penthouse_has_22_windows_so_as_to_give_a_clear_view_of_Lower-a-20_1500352680278

426F0A9400000578-4705618-It_used_to_be_a_part_of_the_Minthorne_Farm_a_50_acre_plot_sold_t-a-24_1500352680402

426F0AEC00000578-4705618-The_cottage_itself_comes_with_its_own_bedroom_and_bathroom-a-16_1500352680033

426F09E800000578-4705618-The_East_village_property_includes_four_bedrooms_three_and_a_hal-a-23_1500352680398

426F09F000000578-4705618-The_location_of_the_property_is_also_ideal_because_it_s_lodged_r-a-17_1500352680033

426F091000000578-4705618-A_stunning_penthouse_has_hit_the_New_York_real_estate_market_at_-a-21_1500352680380

052317featuresrooftoplivingbz_144393578

Todas as fotos © Compass /fonte:via

Usando apenas areia e água ele esculpe impressionantes castelo modernistas

Quando pensamos nos castelos de areia que, na praia, costumam ser feitos na infância, imaginamos muito mais um mero amontoado de areia no formato de um balde, ou simplesmente uma porção de montinhos tortos e sem forma, do que propriamente castelos de fato. O trabalho do artista nova-iorquino Calvin Seibert, porém, alcança o extremo oposto: seus castelos de areia não somente se parecem realmente com construções verdadeiras, como são obras de arte da arquitetura, que mereciam ser construídas na vida real.

Calvin utiliza somente um balde, espátulas de plástico e em torno de 565 litros de água para construir cada um de seu castelos – e nenhum planejamento prévio. O artista garante que simplesmente cria, a partir de ideias em sua cabeça, mas sem nunca saber onde cada obra vai chegar ao fim. Ondas, gaivotas e até mesmo crianças podem ser ameaças ao longo e doloroso processo de criação de suas obras – que podem durar somente minutos em pé, ou alguns dias, para depois acabarem destruídas.

Aos 57 anos, Calvin parece manter acesa a criança que há dentro dele – mas que hoje é movida pela sabedoria e a técnica de um artista impressionante.

© fotos: Calvin Seibert/fonte:via

Esses pôsteres vão te fazer colocar os parques nacionais dos EUA no topo da lista de viagens

Para explorar a diversidade e compartilhar a beleza dos parques nacionais dos Estados Unidos, um grupo de artistas e designers amantes da natureza, criou uma colorida coleção retrô de cartazes.

Nostalgicamente conhecidos como “a melhor ideia da América”, os Parques Nacionais abrangem uma incrível variedade de formas e paisagens impressionantes. Com isso em mente, os talentosos artistas capturaram as características distintivas de cada um dos 59 parques nacionais e a beleza natural de todo país. De cânions e cavernas a lagos e vulcões, os cartazes mostram todo o esplendor da América.

É possível comprar os pôsteres na loja online da Fifty-Nine Parks. A renda com as vendas das obras, vai para o fundo que administra os parques.

Confira alguns deles:

01
Kilian Eng.

02
Thomas Danthony

03
Chris Turnham.

04
Benjamin Flouw

05
Dan McCarthy

06
Camp Nevernice

07
Matt Taylor

08
Marc Aspinall

09
Two Arms Inc.

010
Brave the Woods

Imagens: Fifty-Nine Parks –  Website | Facebook | Instagram | Twitter |fonte;via

O documentário que reúne imagens imperdíveis de mais de 30 países

O homem é capaz de coisas horríveis. Crueldade com animais, racismo, preconceito, desrespeito, guerras. Mas volta e meia surge algo para lembrar a gente que por trás de tanta coisa ruim existe esperança. Existem momentos de pura beleza, paz, magia. E esse é o caso de Awaken, documentário com previsão de estreia para o início do ano que vem.

Filmado em mais de 30 países no período de 5 anos, Awaken explora a relação das pessoas com a tecnologia e a natureza, tanto no âmbito individual quanto coletivo. Através de imagens estonteantes, o documentário nos leva em uma viagem por praias, montanhas, lagos e cidades. Sempre com poesia, sensibilidade e uma boa dose de emoção.

Quem vê as imagens do trailer pode imaginar por um instante que esse filme só foi possível graças a uma extensa equipe, mas está longe disso. Tom Lowe assina a filmagem, edição, direção e produção da obra, o que já tinha acontecido em seu primeiro documentário, Timescapes, lançado há 5 anos.

Awaken_03

Captura de Tela 2017-07-24 às 23.48.55

Captura de Tela 2017-07-24 às 23.47.39

Captura de Tela 2017-07-24 às 23.48.40

Awaken_02

Todas as imagens © Reprodução/fonte:via

Bairro queridinho de Paris vira miniatura em museu

O bairro de Montmartre, em Paris, ganhou o coração do mundo inteiro com o filme O Fantástico Mundo de Amelie Poulain. No entanto, bem antes disso, o local já era um conhecido ponto de encontro de intelectuais e artistas de renome como Degas, Cézanne, Monet, Van Gogh, Renoir e Toulouse-Lautrec, fazendo com que o bairro ganhasse a fama de boêmio e moderno.

Atualmente o bairro atrai centenas de turistas que o visitam para ver de perto os locais onde foram gravados o filme, a famosa Moulin Rouge, a Basílica de Sacré Cœur, seus bares e restaurantes. No entanto, agora Montmartre não existe apenas em Paris. O bairro foi reconstruído em três dimensões no Musée des Automates em La Rochelle, na costa oeste da França.

Tudo foi pintado à mão e possui diversas referências nostálgicas, anúncios publicitários, vitrines de lojas e grandes magazines da Paris entre os anos 1920 e 1950.

Confira algumas fotos do local:

19250694_10207472213323523_4069256069069224062_o

19388634_10207472213283522_3655420329281554494_o

19388683_10207472214043541_2233749277407965119_o

19400432_10207472213723533_2966661978541651236_o

* Imagens: Efikz Emporio /fonte:via

Cadela que vivia com medo após ser adotada se torna a melhor musa que seu dono fotógrafo poderia pedir

Nikita chegou à casa de Troy numa cesta e envolta num cobertor encharcado de urina. Ela tinha medo de receber carinho e demorou meses para que o novo dono sentisse um laço de confiança se formando. Quando o canadense decidiu largar a carreira na indústria de moda em Toronto e voltar para casa na pequena Ilha Vancouver, eles já eram bons amigos.

Agora, os dois viajam pelo Canadá e pelos Estados Unidos, e ver a cadela curtindo a liberdade de correr através de florestas ou pulando pelas pedras e montanhas o inspira. “Posso dizer honestamente que alguns dos melhores momentos das minhas viagens são simplesmente observa-la correndo”, conta.

A antes medrosa Nikita hoje é uma aventureira, cheia de confiança, que faz amizades com outros cães e já comeu peixes que havia acabado que pegar em um lago, ajudou a procurar veados na floresta, brincou com um gambá (até levar um jato da secreção fedida que torna esses animais famosos) e correu por um lago congelado.

“Seu melhor amigo pode já existir e estar esperando por aventuras”, Troy falou ao My Modern Met, se referindo à possibilidade de adotar animais. Ele já levou Nikita para conhecer lugares como Quebec, Washington, Oregon e Montana, sempre fazendo registros da companheira em meio a lindas paisagens e publicando no Instagram.

Todas as fotos © Troy Moth /fonte:via

Você precisa cogitar Hvar como seu próximo destino de férias

Hvar é a quarta maior das ilhas da Croácia, com 300 km² de extensão. Há muito sol e ainda assim, chove o suficiente para os belos campos de lavanda, alecrim, sálvia, manjerona, tomilho e vinhas permanecerem cuidadosamente cultivados. Por esta razão, na primavera, a ilha tem cheiro delicioso de uma grande horta.

Os hoteleiros locais se orgulham do clima consistentemente bom do local, tanto que, se houver mais de quatro horas de chuva por dia, oferecem uma redução na estadia e se nevar, a hospedagem é gratuita.

Hvar vem ganhando reputação de destino de luxo na Croácia. Isso porque em parte se trata de um local caro comparado com alguns outros destinos, mas também porque é a escolha de muitos famosos que navegam pela ilha em seus maravilhosos iates. Nos últimos anos, o príncipe Harry, Jay-Z e Beyoncé passaram pela ilha.

* Imagens: Reprodução/fonte:via