Tragédia: Agrotóxico da Monsanto está exterminando as abelhas, aponta estudo

A Monsanto é uma ameaça ao meio ambiente. O Roundup, vendido pela empresa norte-americana de agrotóxicos, é responsável pelo extermínio das abelhas. Um estudo feito pela Universidade do Texas, aponta que o glifosato presente no produto está afetando o microbioma intestinal das abelhas, as deixando vulneráveis à infecções.

Os pesquisadores dizem que o agrotóxico mais usado do mundo possui um princípio ativo chamado N-(fosfonometil)glicina, que contribui para a morte das abelhas. A artigo publicado no Proceedings of National Academy of Sciences explica que, assim como em seres humanos, a saúde das abelhas depende de um ecossistema de bactérias que vivem em seu trato digestivo.

O problema é que o glifosato inibe o desenvolvimento destas bactérias, causando um desequilíbrio que reduz a capacidade do inseto de combater infecções. O princípio ativo do Roundup age ao ser absorvido pela folha das chamadas plantas de crescimento rápido, o popular mato, impossibilitando a existência destas enzimas.

“Diretrizes atuais consideram que as abelhas não são prejudicadas pelo herbicida. Nosso estudo mostra que isso não é verdade”, explica Erick Motta – estudante de pós-graduação que liderou a pesquisa, ao lado da professora Nancy Moran.

O resultado foi possível por meio da realização de testes que expuseram as abelhas a níveis encontrados em plantações e jardins. Três dias depois de serem liberadas, os pesquisadores notaram uma redução da microbiota intestinal saudável nas abelhas.

Para se ter ideia dos efeitos, das oito espécies dominantes de bactérias saudáveis, quatro foram consideradas menos abundantes. O grupo mais atingido foi o da Snodgrassella alvi.

“Estudos em humanos, abelhas e outros animais mostraram que o microbioma intestinal é uma comunidade estável que resiste à infecção por invasores oportunistas. Se você interromper a comunidade normal e estável, estará mais suscetível a essa invasão de patógenos”, conta Nancy Moran.

O estudo integra uma longa lista de acusações contra a Monsanto. Há poucos meses, a companhia especializada em agrotóxicos foi condenada na Justiça dos Estados Unidos a pagar 290 milhões de dólares a um jardineiro com câncer terminal. A decisão foi considerada história e representa uma ameaça ao modo de operação de uma das empresas mais controversas do mundo.

Fotos: Creative Commons/fonte:via

Por que a Suécia ergueu um monumento para celebrar as abelhas

As abelhas já entraram para a lista das espécies em processo de extinção nos Estados Unidos. Uma das principais hipóteses para a diminuição da população destes insetos é o crescente uso de pesticidas no mundo. Mas, considerando que cerca de um terço da comida que alimenta os humanos é polinizada pela espécie, fica fácil entender que o problema vai muito além da colmeia.

Para homenagear as abelhas e lembrar sua importância, um grupo de designers criou um monumento celebrando sua existência. A obra foi uma criação do escritório de arquitetura e design Carpenter | Lowings. O projeto foi exposto durante a Agrikultura, uma trienal de obras públicas e intervenções urbanas sediada em Malmö, na Suécia.

Com o nome de “Orientação – Monumento às Abelhas“, a obra faz referência aos elementos de orientação das abelhas. “O projeto também faz referência à ameaça mortal para a população de abelhas causada pelos inseticidas onipresentes com os quais as sementes são tratadas, o que interrompe os processos de orientação neural pelos quais as abelhas encontram seus alimentos“, explica o site da trienal.

A exposição terminou no último 27 de agosto. Desde então, a instalação já foi adquirida pela cidade de Bergen, na Noruega, onde deverá fazer parte de um Parque de Esculturas no início do próximo ano, de acordo com informações do Arch Daily.

/fonte:via

 

O assustador álbum de maternidade dessa mulher rodeada por um enxame de abelhas foi feito por um bom motivo

Se você encontrasse uma mulher grávida com o corpo coberto de abelhas, provavelmente sairia correndo para chamar alguém que pudesse resgatá-la. Mas, no caso de Emily Mueller, a companhia dos insetos foi opcional e fez parte de seu álbum de maternidade.

A escolha foi por um bom motivo: Emily e o marido são responsáveis pela empresa Mueller Honey Bee, que vende mel e tem como objetivo “salvar as abelhas“. Com remoção e relocação de enxames encontrados em lugares indesejados, a empresa resgata abelhas na região de Ohio, nos Estados Unidos.

Graças a isso, o ensaio fotográfico contou com a participação de “algumas” abelhas resgatadas por Emily. De acordo com o site Cleveland, cerca de 20 mil insetos participaram da cena. As imagens foram registradas pela fotógrafa Kendrah Damis, que viu seu trabalho se tornar viral após ser publicado no Facebook.

Para que as abelhas ficassem próximas à sua barriga, Emily segurou um recipiente com a abelha-rainha próximo ao ventre – dessa forma, o restante do enxame à seguiria. Além disso, os animais foram alimentados antes do ensaio fotográfico, o que tornaria mais difícil para eles picarem a futura mamãe. Mesmo assim, Emily foi picada quatro vezes durante a realização das imagens, mas ressaltou à People que ainda não há pesquisas que indiquem qualquer efeito negativo de picadas de abelhas em fetos.

 

Todas as fotos © Kendrah Damis/fonte:via