O antes e depois desta Husky vai te encher de alegria

A incrível história de Hope (esperança em tradução do inglês), cachorro da raça Husky, deixou muita gente com lágrimas nos olhos. Isso pois seu dono, Rico, que encontrou a cadela em condições degradantes, compartilhou recentemente uma foto surpreendente de sua recuperação.

Rico se deparou com o animal ainda filhote e muito machucado e tão magro que era possível ver seus ossos aparecendo sob a fina camada de pele. Mesmo ciente do pouco tempo de vida restante para a jovem cadela, Rico Soegiarto, de 26 anos, resolveu apostar no poder do afeto e do cuidado para recuperá-la.

A experiência foi um sucesso absoluto e cada conquista da cadela era compartilhada nas redes. A última imagem publicada no Facebook foi a mais comovente. Em postagem com mais de 61 mil compartilhamentos, é possível ver Hope totalmente diferente do momento do resgate. Com os grandes olhos azuis saltados e com o pelo brilhante, a mascote aparece feliz da vida na companhia do melhor amigo.

O caso de Rico e Hope é um alento para Bali, uma ilha da província da Indonésia, mas que apesar das belezas naturais, enfrenta grandes dificuldades em conter o avanço do número de cães de rua.

“É algo do coração, de sentimentos. Eu a encontrei quando estava voltando para casa do trabalho, ela estava abandonada no meio da rua”, relembrou Rico dando um grande exemplo de solidariedade.

Foto: Reprodução/Facebook/fonte:via

Anúncios

Ela achou que tinha adotado um cachorro… Meses depois, descobriu que não

Na província de Shanxi, na China, Ms Wang foi a um pet shop para comprar um filhote de spitz japonês. Ela pagou 140 libras (cerca de 680 reais) pelo mascote, mas quando o pequeno completou três meses de idade, parou de consumir ração para cachorros e sua cauda começou a mudar e ficar comprida e peluda.

O animal também causava estranheza por não latir, mas as suspeitas aumentaram somente quando Wang decidiu passear em um parque com a mascote. Outros visitantes apontavam o até então suposto cachorro e foi então que ela descobriu que se tratava de uma raposa.

“Outros cachorros ficavam com medo do meu animal de estimação, então eu andava com ele em uma coleira”, contou a mulher. Com as suspeitas, ela levou o ‘cachorro’ ao Taiyuan Zoo, onde confirmaram se tratar de uma raposa e não um cão.

“É uma raposa domesticável, por causa do tamanho. Ela tem um cheiro forte que pode ficar ainda mais forte conforme ela cresce”, explicou Mr. Sun, o responsável pelo atendimento.

Quando descobriu que o animal se trata de uma raposa-do-ártico, Wang decidiu doá-la ao zoológico onde ela poderá visitá-lo sempre que tiver saudades.

Imagens: Reprodução/fonte:via

Mulher é filmada abandonando 4 cães. Mas a união das pessoas salvou o dia

O abandono de animais é uma das práticas mais cruéis de um ser humano, mas infelizmente muito comum. Só no Brasil, estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) existem 30 milhões de bichos nas ruas, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.

Nos Estados Unidos a história não é diferente, mas desta vez a tentativa de uma mulher de se livrar de seus quatro cachorros foi frustrada graças ao esforço coletivo de moradores de San Antonio, no Texas.

O final feliz foi possível pois enquanto despejava seus cachorros na rua, a mulher não percebeu que estava sendo filmada. Mesmo assim demonstrou frieza e não reduziu o ímpeto nem ao ser informada das das consequências da ação.

Quando as autoridades entraram no caso e encontraram três dos quatros animais o jogo virou. Arrependida da atitude cruel e sensibilizada com a busca pelo quarto cachorro, a ex-dona auxiliou os policiais a encontrá-lo. Em seguida os encaminhou para um órgão especializado em assistência animal. De acordo com a lei texana, um indivíduo condenado por abandono pode ficar um ano preso e pagar multa de R$ 13 mil.

No Brasil o abandono de animais também é crime e está enquadrado na Lei de Crimes Ambientais e segundo o artigo 164 do Código Penal pode resultar de 15 dias 1 ano de prisão, além de multa.

https://rumble.com/embed/v27r87/

 

Fotos: Reprodução/fonte:via