Marido faz serenata todos os dias para mulher que enfrenta o Alzheimer






Tocar violão e cantar sempre foi parte da rotina diária do músico de origem argentina Lúcio Yanel. Vivendo no Brasil há mais de 40 anos, há 25 anos que ele divide sua vida como um dos mais importantes representantes da música gaúcha com sua mulher, Sueli de Fátima Teixeira.

As serenatas vespertinas que sempre fizeram parte da rotina do casal, hoje, no entanto, tornaram-se uma busca pela saúde e pelo encontro dele com sua amada – que agora enfrenta a fase mais difícil do Mal de Alzheimer, que a atinge desde 2008. Uma foto postada recentemente por Lúcio mostrando a comovente cena rapidamente viralizou.

A foto da serenata que viralizou

Junto da foto, um desabafo. “Já faz alguns anos que o maldito Alzheimer vai me roubando a minha amada companheira. E para que me sinta ao seu lado, minhas serenatas diárias. Tu és o meu melhor público”, escreveu o músico, que afirma que Sueli passa os dias na cama, chorando, precisando de ajuda para tudo – ela só para de chorar para lhe ouvi-lo cantar.

Suely tinha somente 52 anos quando a doença começou a se manifestar, e desde 2015 que já não consegue andar ou falar.

Acima, o casal à época que se conhecerem, e Sueli, abaixo, também nos anos 90

O amor do casal, no entanto, não se abala diante de tais curvas da vida e, apesar da dor, Lúcio – que largou a carreira para cuidar da esposa, mas já tocou com gigantes como Mercedes Sosa, Astor Piazzola e gravou um disco com seu discípulo Yamandu Costa – prefere cuidar da esposa. Ele costuma tocar canções do folclore pampeano e clássicos do sertanejo, as músicas que ela sempre gostou.

O casal com seu filho Pedro, na última viagem que fizeram juntos

Apesar de saber que a doença não tem cura, o músico espera que o sucesso da publicação – que 60 mil compartilhamentos – possa trazer melhorias para a qualidade de vida de Sueli. A foto foi tirada por Pedro, filho do casal.

© fotos: arquivo pessoal/ fonte:via

Vídeo mostra as formas que um homem encontrou de cuidar da esposa com Alzheimer

Em um mundo contemporâneo, onde amores tornam-se descartáveis por motivos banais, imagine o quanto essa história é inspiradora: Bill e Glad são casados há 50 anos e, desde 2004, que a mulher sofre com a doença de Alzheimer.

Sabemos o quanto essa doença é cruel: imagine ter todo um passado com sua esposa apagado? Onde ela não lembra por vezes do seu nome e muito menos das coisas que viveram? Mas Bill sabe que o fato de Glad não lembrar do que eles viveram não invalida tudo, não significa que não aconteceu. E mais: Bill considera um privilégio cuidar de quem a vida lhe deu para amar. “Eu não considero um fardo ter que cuidar dela”, diz Bill no vídeo, que tem entre suas tarefas dar banho, escovar os dentes, dar comida, enfim, tudo.

Por Bill ter desenvolvido ao longo da vida o hábito de usar bicicleta para fazer praticamente tudo, ele mandou adaptar uma cadeira na frente da bike e, assim como fazia com seus filhos os levando na cestinha da frente, agora leva Glad para todos os lugares. É um amor que transborda e ultrapassa tudo, e nos ensina muito sobre a nossa postura com a vida.

Confira no vídeo abaixo:

Post por Razões para Acreditar. /fonte:via