Projeto dá novos e positivos usos para gaiolas apreendidas da caça ilegal

 

Você provavelmente concorda que a caça ilegal de animais deve ser combatida e que é importante libertar os animais enclausurados para prazer humano, certo? Mas já parou para pensar no que fazer com as gaiolas que (ainda bem) ficam vazias depois disso?

A questão foi levantada no Grupo de Escoteiros de Treviso, uma cidade de Santa Catarina. Foi assim que nasceu o projeto “Quem ama deixa voar”, em parceria com a Polícia Militar Ambiental do estado e com o Instituto do Meio Ambiente.

Em conjunto com o ateliê Maria Lamparina, os escoteiros pegam as gaiolas, que antes estavam abandonadas em depósitos, e as transformam em luminárias, porta-velas, floreiras, comedouros para animais, jardins suspensos ou o que mais a imaginação permitir.

As gaiolas reformadas serão expostas na praça da cidade e posteriormente distribuídas em estabelecimentos comerciais de Treviso, para que sua utilidade seja permanente.

Além do aspecto lúdico da transformação dos materiais, é uma ação de conscientização ambiental importante para as crianças e adolescentes do Grupo de Escoteiros, que, antes de colocar a mão na massa, recebem explicações sobre as origens das gaiolas apreendidas e a importância de preservar a vida silvestre.

Fotos via Maria Lamparina /fonte:via

Ela passou 4 meses criando corais de papel e o resultado é de cair o queixo

A talentosíssima artista francesa Mlle Hipolyte costuma dedicar seu tempo à ilustração e à direção de arte, mas são seus trabalhos com papel que mais nos chamaram atenção.

Ela é capaz de fazer incríveis obras inspiradas em aves e plantas, mas seu último trabalho, inspirado nos corais, atingiu um outro nível. Foram 4 meses em que ela se dedicou à obra, que tinha como um dos objetivos fazer com que ela aprimorasse sua técnica.

Com cortes 100% feitos à mão, Mlle também quis chamar atenção para a necessidade da proteção ambiental, por isso escolheu os corais, animais cuja ameaça de extinção pode causar um impacto tremendo à biodiversidade.

“Símbolo da fragilidade e de questionamentos sobre passado, presente futuro”, o trabalho incrível da francesa se tornou um quadro de 2 x 1 metros, mas cada pedaço é uma obra de arte em si.

Lindo, não é? Vale a pena acompanhar o trabalho da artista no Instagram ou no Facebook!

 

Arte por Mlle Hipolyte /fonte:via